Testes

Teste demonstra quanto tempo a tela OLED do iPhone X aguenta antes de sofrer um burn-in

O novo iPhone X foi o primeiro celular da Apple a adotar a tela OLED, que já é bastante usada por outras marcas. Ela é mais intensa nas cores e gasta menos energia, porém, como já comentamos aqui, possui um problema que é próprio da tecnologia usada: pode deixar marcas permanentes (o chamado burn-in) se uma imagem estática ficar muito tempo acesa na tela, com brilho intenso.

Um site resolveu testar quanto tempo leva até o problema realmente se concretizar.

De fato, quando comentamos aqui sobre o burn-in, muitos leitores ficaram receosos quanto ao problema, temendo que seus novos iPhones X pudessem sofrer também deste mal. Deixar a tela acesa deixa marcas? E se eu usar um navegador GPS em uma viagem de 4 horas? Assistir um filme pode manchar a tela?

Calma. O burn-in já é um problema conhecido e a Apple se preocupou com ele desde o princípio, tanto que dedicou uma página inteira em seu suporte apenas para falar disso. Tomar certos cuidados fazem com que as chances de isso acontecer fiquem bem pequenas, como por exemplo, sempre deixar ligado o brilho automático da tela, para que ele seja regulado conforme as condições do ambiente. Além disso, ajustar o repouso da tela para o menor tempo possível, para que a tela só seja usada quando realmente for necessário.

Para ligar o Brilho Automático no iOS 11, basta ir em
Ajustes > Geral > Acessibilidade > Adaptações de Tela.

Um site chinês resolveu testar qual o limite que a tela do iPhone X aguenta sem ficar com marcas, e precisou de 510 horas de tela constantemente acesa no brilho máximo para começar a ver algum sinal de burn-in.

Para isso, ele pegou também dois outros modelos para participar do teste: um Galaxy S7 Edge e um Galaxy Note 8. Vale lembrar que tanto a tela OLED do iPhone X quanto a dos Galaxys são feitas pela mesma empresa: Samsung Displays. Apesar disso, se notam diferenças significativas no comportamento de cada uma.

O teste consistiu em deixar acesa uma imagem colorida na tela, com brilho no máximo, durante o maior tempo possível.

Nas primeiras 90 horas (equivalente a mais de 3 dias e meio), nenhuma das telas mostrou nenhum sinal notável de marcas fixas, apesar do iPhone X começar a ficar um pouco amarelado e o S7 perder progressivamente a intensidade do brilho. Confira o vídeo:

Depois de 155 horas (6 dias e meio), o teste ainda não mostrou marcas da imagem fixas na tela do S7 Edge e do iPhone X, apesar de se perceber manchar coloridas nas bordas, efeito do burn-in.

Tela do Galaxy S7 Edge depois de 155 horas
Tela do iPhone X depois de 155 horas

O impressionante foi o Note 8, que teoricamente é o topo de linha da Samsung. Ele, no mesmo período, já começou a apresentar marcas da imagem na tela.

Tela do Galaxy Note 8 depois de 155 horas

O teste completo durou 510 horas (21 dias), tempo necessário para o iPhone X começar a apresentar algum sinal significativo de marcas fixas da imagem na tela.

O Note 8 ficou com marcas bem fortes, impossíveis de serem ignoradas. Eis um exemplo do uso da câmera para tirar uma foto:

Já no caso do iPhone X, as marcas são bem mais discretas, apesar de serem perceptíveis.

Já no S7 Edge o burn-in não deixou muitas marcas, mas provocou uma perda enorme de brilho na tela, prejudicando definitivamente o seu uso.

É impressionante perceber que, mesmo sendo o mesmo fabricante, as telas são diferentes de acordo com as especificações que recebem. A Apple possui tecnologias próprias de gerenciamento de cores e pixels na tela, passando para a Samsung apenas a tarefa de fabricá-la. O teste prova que a coreana realmente não fornece nada além de mão de obra, tendo a maçã todo o desenvolvimento do aparelho e de seus componentes.


É muito bom que este site teve coragem de fazer este teste por todos nós, mas lembramos que mesmo assim você deve ter o máximo de cuidado para que a tela do seu iPhone X dure o máximo possível. Evite deixar a tela acesa na mesma imagem por longos períodos e deixe sempre ativada a função de Brilho Automático.

E respondendo às perguntas no início deste artigo: usar o iPhone como navegador ou assistir um filme longo nele não prejudicam a tela, não se preocupe. A não ser que isso dure mais de um dia, mas não será o caso, certo? 😉

Fonte
Cetizen
Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Júlio Liza

    Valeu pela dica. Nunca vou deixar o meu precioso tanto tempo assim ligado numa imagem fixa! Mas gostei do teste! 👍

  • Dodi

    Para ligar o Brilho Automático no iOS 11, basta ir em
    Ajustes > GERAL > Acessibilidade > Adaptações de Tela.

    • Ops! Verdade, obrigado pelo toque. 😉

  • Carlos Frederico

    É o tipo de teste que mostra como a engenharia da qualidade tem evoluído de fato. Assistir um filme durante 8 horas é o menor dos problemas, já que não teremos uma imagem estática nem por 1 segundo.

    • Iago Souza

      Depende, se para se ajustar a tela do iPhone X o video tiver que possuir áreas em preto, o Burn-in pode sim ocorrer com o passar do tempo.

  • Pedro Luna

    Dado que os ímãs atrapalham o carregamento sem fio, até usar como GPS fica mais chato com esse modelo heheheh

  • Serginho Arnoud

    Pior que eu uso muito o waze em viagens. Claro que dificilmente viajo mais de 4h sem uma parada, mas desligo a tela, coloco o celular no bolso e 20mim depois já está ele de novo no Waze. Não sei até quando uma tela OLED aguentaria esse tipo de uso. Apesar de não ser 12h ininterruptas, acabam sendo grande parte do dia em algumas aventuras automobilísticas hehehe

    • Alessandro Galvão

      No caso dos navegadores (Waze, Google Maps, etc.) não há problemas pois a imagem não é estática, fica mudando com o decorrer da viagem.

      • Leonardo Negrisoli

        mais ou menos né? o mapa em si muda, mas a barra em baixo e em cima não ficam mudando :S

    • Leonardo Negrisoli

      Eu, no seu caso, consideraria ter um celular podrão só pra mapas… tenho dó de usar o GPS nessa intensidade 😡

  • Douglas Knewitz

    Acho que vou aguardar a próxima geração, pra pegar um plus! Meu receio é ela usar LG, e as telas serem inferiores às da Samsung, e isso ficar evidente, igual a os modelos pixel!

    • Thiago Luiz

      A LG já confirmou! Saiu no MACRUMORS

  • Jordan rodrigues

    Só lembrando q unidades diferentes podem apresentar Burn in mais forte ou mais fraco, aqui em casa já tivemos 2 galaxy s5 e o meu apresentou mais apesar da minha irmã usar o dia todo praticamente

  • Fernando

    Apesar de que se usar o GPS por muito tempo, na estrada por exemplo, o celular esquenta bastante (consequentemente a tela também). Acredito que nesse caso a chance de ocorrer burn-in aumente consideravelmente…..

  • Paulinho Henrique

    Quem trabalha com uber ultilizando o gps numa média de 6h por dia, será que ocorre esse efeito?

  • BS

    Só não entendi uma coisa no teste: se as telas ficaram ininterruptamente ligadas durante 510hs, como eles fizeram a observação intermediária (90hs e 155hs) sem apagar a tela? Ou apagou? (Aí não seria ininterrupta!). Ou usou mais de um aparelho de cada??

    Não ficou muito claro o procedimento usado no teste…. Será realmente um teste verdadeiro??

    • Daniel Guimarães

      Eu também fiquei com essa mesma dúvida. Devem ter usado diferentes aparelhos para medir.

      • Alessandro Galvão

        É o que eu acho. Até porque avaliar baseado em apenas um aparelho é pouco credível.

    • Amigo, não precisa desligar a tela pra ver se o efeito burn in já aconteceu, basta colocar um fundo branco e isso continua usando a tela, ou seja, podemos considerar que o teste ocorreu de forma ininterrupta.
      Basta eles terem criado duas imagens e, por exemplo, a cada 10h rolar a imagem pro lado (vindo a imagem branca) e constatar se teve alguma alteração. Não existindo alteração, rola pra imagem anterior com o logo da empresa colorido e esperar mais 10 horas.

  • Dodi

    Bom diaa…
    Apple alterou os termos da App Store e agora os aplicativos já são vendidos em Reais…

  • palatoqueimado

    O site Cetizen – que conduziu o teste – é coreano, e não chinês.
    Os primeiros sinais de burn-in do iPhone X surgiram com 17 horas de teste, não com 510 horas.
    Com 62 horas de teste já se notava burn-in nas telas, não com 90 horas.
    E com 510 horas de teste, o burn-in já havia se firmado em todos os aparelhos.

  • Leonardo Negrisoli

    ótimo artigo… posso ficar menos neurótico agora.