Curiosidades

Para ex-executivo do Google, iPhone tira fotos muito melhores que qualquer Android

Quando lançou o iPhone 7 Plus em 2016, a Apple apresentou algo inédito em qualquer smartphone: o Modo Retrato, capaz de aplicar profundidade em fotos de pessoas ou de objetos. Com isso, a imagem fica realmente com um aspecto como se tivesse sido tirada com uma máquina mais profissional (DSLR).

Em um post pessoal, Vic Gundotra (ex vice-Presidente Sênior de Engenharia do Google) abriu seu coração e declarou que telefones com Android estão anos atrás do iPhone em termos de fotografia.

Diversas marcas (principalmente a Samsung) adoram se gabar pelo número de megapixels das imagens ou outros pontos que excitam geeks. Porém, na vida real do dia-a-dia, há outros fatores bem mais relevantes que fazem uma imagem muito melhor do que outras.

Gundotra possui um iPhone 7 Plus e relatou o que ele sente a respeito das fotos familiares que faz:

“O fim do DSLR já chegou para grande parte das pessoas. Deixei minha câmera profissional em casa e tirei essa foto no jantar com meu iPhone 7 [Plus] usando fotografia computacional (ou Modo Retrato, como a Apple chama). Difícil não chamar esse resultado (em um restaurante, tomado em um celular sem flash) deslumbrante. Ótimo trabalho, Apple.”

E para ele, o real problema desta defasagem dos outros smartphones em relação ao da Apple nem está em uma falha dos fabricantes, mas no próprio sistema Android e o fato dele não ser feito para um hardware específico.

“Aí está o problema: é o Android. O Android é um sistema operacional aberto (principalmente) que tem de ser neutro para todas as partes. Isso soa bem até você entrar nos detalhes. Já se perguntou por que um telefone Samsung tem uma variedade confusa e desconcertante de opções de fotos? Devo usar [o app] câmera Samsung? Ou o da Câmara do Android? Samsung Gallery ou fotos do Google?

É porque quando a Samsung inova com o hardware subjacente (como uma câmera melhor), eles têm que convencer o Google a permitir que a inovação seja disponível para outros aplicativos através de uma API apropriada. Isso pode levar ANOS.

Também a maior inovação não está acontecendo a nível de hardware – está acontecendo no nível de fotografia computacional. (o Google estava arrasando nisso há 5 anos – eles usavam técnicas de AI para remover automaticamente rugas, branquear dentes, adicionar vinheta, etc… mas recentemente o Google desistiu disso).

A Apple não tem todas estas restrições. Eles inovam no hardware subjacente, e simplesmente atualizam o software com suas últimas inovações (como o Modo Retrato) e as entregam ao usuário.

Conclusão: se você realmente se importa com ótimas fotografias, tenha um iPhone. Se não se importa de ficar alguns anos atrás, compre um Android.”

Ou seja, mesmo que a Samsung conseguisse fazer uma máquina fotográfica revolucionária em seu próximo aparelho, ela demoraria muito para funcionar plenamente para seus usuários, porque o sistema que roda no aparelho (Android) não foi feito especialmente para ele. É por isso que há essa defasagem, segundo o executivo que já trabalhou no Google, em relação ao iPhone.

O Modo Retrato realmente é algo que influencia diretamente no dia-a-dia de quem o usa. Diversos leitores já nos relataram que a função é um divisor de águas para eles. No final da semana passada, a Apple passou a divulgar na TV brasileira o comercial Barbeiros, que ressalta bem a função Modo Retrato do iPhone 7 Plus:

Por depender de uma câmera dupla, a função só está disponível na versão Plus. Torçamos para que nos futuros iPhones ela seja democratizada para aqueles que preferem aparelhos menores.

Tags

iLex

Personagem fictício criado para publicar textos no blog. Pode ser encarnado por editores diferentes do site.

Related Articles