Confesso que não uso nem o Snapchat, nem o Instagram, mas é evidente a cara de pau deste último (que pertence ao Facebook) em copiar, sem cerimônias, todas as funções do primeiro. Desta vez, foi uma das características mais marcantes do Snapchat: os filtros de rosto.

Em uma nova atualização (que deve ficar disponível ainda hoje), o Instagram permitirá que se coloque efeitos e adereços virtuais no rosto. Confira o vídeo de apresentação:

Inicialmente serão 8 filtros diferentes, que poderão ser acessados através um ícone de carinha feliz, quando for tirar uma foto.

Outras “novidades” super “originais” nesta nova atualização será a possibilidade de fazer vídeos reversos e também colocar etiquetas na imagem com a hashtag.

Outra função “inspirada” no concorrente é o Eraser Brush (Borracha), que permite pintar a tela e apagar partes, o que pode render composições criativas e interessantes.

Para quem não sabe, o Facebook tentou no passado comprar o Snapchat, mas este último recusou todas as propostas, provocando a ira de Zuckerberg, que prometeu acabar com o concorrente. De fato, ultimamente tanto o Facebook quanto o Instagram estão implementando funções criadas pelo “inimigo”. E o pior é que, como as redes de Zuckerberg possuem muito mais força, estão atingindo mais usuários do que o Snapchat, que está perdendo relevância.

Eu sei que muitos não se preocupam com cópias, usando até mesmo o discurso “faz parte da evolução da indústria“, ou então “todo mundo copia todo mundo mesmo“, e assim vai. Mas quem perde somos todos nós, usuários. Copiar ideias é o contrário de evolução; é estagnação, todo mundo fazendo a mesma coisa, sem apresentar inovção. Se o Facebook tivesse optado combater o concorrente criando coisas ainda mais legais que o Snapchat (sem copiar o que já existia), aí sim faria o mercado evoluir e crescer, pois os concorrentes iriam buscar se superar, propondo ainda mais coisas novas.

Este círculo vicioso que um copia o outro que copia o outro que copia o outro é uma forma medíocre de manter a indústria funcionando. Não podemos apoiar este tipo de atitude e depois reclamar que os smartphones não inovam mais, ou que a tecnologia não apresenta mais nada que nos surpreenda.

É, a Apple também está inovando pouco, alguém vai dizer. É verdade. Quem sabe isso não é justamente um reflexo desta indústria em que muitos só ficam esperando o movimento de outro para lançar algo parecido?

Fonte: blog do Instagram