Notícias

Tim Cook explica as razões de ter ido ao encontro com Trump

Na semana passada houve o encontro entre o presidente norte-americano recém-eleito Donald Trump e os top-executivos das principais empresas de tecnologia. Nele, ficou notoria a insatisfação de Tim Cook em estar presente, o que era visível pelas expressões de seu rosto em todas as fotos.

Ontem, o site TechCrunch revelou o conteúdo de um comunicado interno que Tim enviou a seus funcionários, em que explica as razões que o levaram a se encontrar com o futuro presidente do país.

“Você não muda as coisas apenas gritando”

Eu seu comunicado interno, Tim Cook justificou a sua ida ao encontro com Trump. Isso porque é notório que o futuro presidente bateu forte em diversas empresas de tecnologia durante a campanha, inclusive a Apple. Questionou a insistência da empresa em não ceder ao FBI na questão de San Bernardino, além de dizer que a Apple não estava sendo patriota ao produzir seus produtos na China. Sem contar outros pontos racistas e polêmicos do candidato, que vão contra o que a Apple sempre pregou.

Cook afirmou que estava lá porque não adianta ser contra um governo e ficar trancado dentro da sua sala; é preciso estar presente, mostrar a sua voz, fazer as coisas acontecerem, e isso só é possível através de diálogo e debate. Ele tratou rapidamente de deixar claro que estava lá não porque baixou a cabeça e aceitou tudo o que Trump pensa em fazer, mas sim para ocupar sua posição de força naquilo que a empresa acredita.

Tim enfatizou que a Apple já cria um número considerável de empregos nos Estados Unidos (2 milhões, segundo ele), principalmente ao oferecer a oportunidade de muitos serem desenvolvedores de aplicativos e venderem sua obra para o mundo inteiro.

trumpmeet4

Outro ponto que o Tim enfatizou foi na questão da mudança de lei que evita que os chamados patent trolls (que são empresas que nunca lançaram nada, mas processam outras empresas só porque tiveram uma ideia parecida no passado) processem outros se eles nunca lançaram efetivamente o produto. Isso me fez lembrar o caso iphone Gradiente, em que a empresa brasileira teve que lançar um hardware qualquer às pressas para não perder o direito de disputar a marca (leia mais sobre esta novela aqui).

Cadastro de muçulmanos

Na reunião com Trump, não foi divulgado o que ele conversou reservadamente com os executivos presentes, mas a imprensa levantou uma questão sobre uma das promessas de campanha: um cadastro digital de muçulmanos. No começo do mês, 22 advogados que defendem grupos de direitos humanos enviaram cartas às principais empresas de tecnologia, para que elas se posicionassem em relação a esta intenção do futuro presidente.

Algumas empresas se manifestaram oficialmente contra este tipo de registro, inclusive a Apple:

Nós achamos que todas as pessoas devem ser tratadas da mesma maneira, não importando quem elas veneram, como elas se parecem ou quem amam. Nós não fomos convidados [a ajudar neste cadastro de muçulmanos] e nós nos opomos a tal esforço.

Diversos funcionários de empresas tech também assinaram uma carta repudiando a criação de qualquer tipo de cadastro de cidadãos para individuar raça, religião ou sua origem.

Comunicado interno

Eis a íntegra do comunicado de Tim Cook, em forma de pergunta-resposta:

Na semana passada você e outros lideres de tecnologia se encontraram com o presidente-eleito Donald Trump. O quão importante é para a Apple o engajamento com governos?

É muito importante. Os governos podem afetar a nossa capacidade de fazer o que fazemos. Podem afetar de maneiras positivas e de maneiras não tão positivas. O que fazemos é focar nos princípios. Algumas das nossas principais áreas de foco estão em privacidade, segurança e educação. Foco em defender os direitos humanos para todos, e expandir a definição de direitos humanos. Foco no meio ambiente e luta contra as alterações climáticas, algo que fazemos ao usar 100% de energia renovável em nossa empresa.

E, claro, criar empregos é uma parte fundamental do que fazemos, dando oportunidade às pessoas. Não só aquelas que trabalham diretamente para a Apple, mas um grande número que estão em nosso ecossistema. Estamos muito orgulhosos de ter criado dois milhões de empregos neste país. Uma grande porcentagem deles são desenvolvedores de aplicativos. Isto dá a todos o poder de vender o seu trabalho ao mundo.

Temos outras coisas que são mais centradas em negócios — como a reforma fiscal — e algo que há muito temos defendido: um sistema simples. E gostaríamos que a reforma da propriedade intelectual tentasse impedir que pessoas criem processos quando não fizerem nada como empresa.

Há um grande número de questões e a maneira como você pode fazê-las avançar é se engajar. Pessoalmente, eu nunca achei que ficar de fora [dos problemas] fosse um lugar bem sucedido para estar. O jeito que você influencia essas questões é estar na arena. Então, se é neste país, ou na União Européia, ou na China ou na América do Sul, nós nos envolvemos. E nos envolvemos quando concordamos e quando discordamos. Eu acho que é muito importante fazer isso porque você não muda as coisas apenas gritando. Você muda as coisas mostrando a todos por que seu caminho é o melhor. No fim, é um debate de ideias.

Fincamos o pé pelo que acreditamos. Achamos que é uma parte fundamental do que a Apple é. E continuaremos a fazê-lo.

Engajamento é a palavra

A mensagem de Tim Cook é bem bonita, independente se a Apple vai conseguir resistir à pressões do governo ou não. Não adianta ficar reclamando nas redes sociais e comentários de blogs sobre a situação ruim, temos que levantar o traseiro da cadeira e estar onde possamos mudar alguma coisa. Xingar muito no Twitter ou dar likes no Facebook não muda o mundo de ninguém, nem o seu, nem o meu. 😉

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Tim Cook pra presidente jaaaaaa

    • Pablo Rangel

      os EUA ja teve presidente negro e quase teve uma mulher. Um homossexual acho que ainda vai demorar um pouco. Mas gosto da ideia de empresarios comandando o executivo!

      • filipembarreto

        O presidente eleito é um empresário.

        • Ele sabe disso, apenas deve ter enfatizado o ponto.

      • André D Palhares

        Chamem-do que quiser, mas Trump vai ser o melhor presidente americano dos últimos 30 anos, podem printar.

        • Emmanuelle Dolan

          Tomara, mas com essa mídia esquerdista que chama Fidel castro de herói, vai ser difícil assumir isso haha

  • Malladi

    Chamar uma pessoa de racista simplesmente por causa das opiniões dela é um tanto que infantil. Pegando os mesmos argumentos de esquerdistas q não sabem debater e não tem argumentos. Sempre bom procurar fontes alternativas tb.

    • Engraçado que você também não usa argumentos para defender a sua tese. Apenas DITA a sua verdade, chamando de infantil quem não concorda com você. Em nenhum momento de seu comentário você tenta argumentar o porquê da afirmação de racismo estar equivocada, nem sugere como poderia ser o correto. Apenas tece seu julgamento seco, como se sua opinião refletisse a pura e incontestável verdade.

      Até mesmo por você ter citado “os esquerdistas”, dá a entender que você é daqueles que simplificam o mundo atual em dois lados: esquerda ou direita. Se este blog não fala bem do Trump, ele é de esquerda. Se ele não questiona alguns pontos polêmicos do mesmo, ele é de direita. Coxinhas vs. petralhas. Uma visão, na minha opinião, bem medíocre e limitada do mundo, o qual não se limita apenas à duas cores ou dois lados extremos. Pessoas que querem mudar o mundo contestando nas redes sociais, sem tirar a b*** da cadeira.

      Mas claro, esta é apenas a minha opinião.

    • CarlinhosDOWN

      Chamar uma pessoa de racista simplesmente por causa das opiniões dela é um tanto que infantil

      Como assim?
      Você está dizendo que a pessoa não é racista se aquilo que ela disse for a sua opinião?
      Não faz o menor sentido a sua frase.

      Se minha opinião for de que os chineses são inferiores, eu não sou racista porque é minha opinião? Se eu acreditar que os negros são mais burros que os brancos, eu não sou racista porque essa é a minha opinião?

      Que tipo de comentário foi esse?

      • Leonardo Negrisoli

        Se usarmos premissa dele, nunca teremos crime por racismo, já que o suposto “réu” só estava emitindo sua opinião, né? É cada uma que a gente lê…..
        Acho que a “nossa opinião” deixa de ser só nossa a partir do momento que agredimos outra pessoa, seja por raça, gênero, credo ou qualquer outra coisa.

    • paulotutu

      “Chamar uma pessoa de racista simplesmente por causa das opiniões dela é um tanto que infantil.”

      O cérebro chega a bugar com tamanha falta de lógica.

    • Henrique Augusto Banci

      Claramente temos aqui um cara que não entende absolutamente NADA de racismo. Fã do trump e dessa barbarie de ter um cadastro de pessoas por ser de determinada religião. Deplorável esse teu comrntário.

    • Thiago

      Cara, releia seu próprio comentário e veja se acha sentido. Eu não achei.

    • Breno

      Mais um que perdeu uma excelente oportunidade de ficar calado e não falar bobagem.

    • Opiniões violentas, que transformadas em atos são criminosas, e pior, no futuro homem mais poderoso do mundo? Não tem nada de infantil em se opor a isso. Se eu fosse você, se opunha também, porque o Trump não morre de amores por nenhum Sul-americano de terceiro mundo igual a gente.

    • vedder silva

      Esse ditadorzinho do iLex exclui os comentários que discordam dele, super democrático… Deve ser um eleitor da dilma ou do Psol…
      Um recado pra ele: Vai tomar no c.u.!

  • paulotutu

    A última parte diz tudo sobre os revolucionários de cadeira, a nova modinha do Brasil e alguns paises.

    • Adnnu Baut

      É uma moda global mesmo. Todo mundo sabe tudo sobre um assunto que só leu o título. Falam nas redes sociais como se fossem especialistas.

  • Rodrigo Barreto

    O progressismo sem noção e estupido ainda custará a liberdade e a vida de muitos…
    É paradoxal que algumas pessoas que vivem dos avanços da civilização ocidental tenham a inocência e a presunção de superioridade moral ao defender pessoas e ideias que invariavelmente vão roer a corda que segura nossos pilares, a despeito de tudo que tenta eliminar nosso estilo de vida.
    Vai ser um tanto icônico quando a tão sonhada “igualdade” mostrar o seu efeito prático.
    Cenas das próximas décadas.

    • Essa seu comentário foi muito infeliz, amigo. Te falo que é muita pouca gente que pensa igual a você. Se não me falha a memória o último que aplicou ideias iguais á sua foi Adolf Hitler, na Alemanha. Essas ideiazinhas fizeram seu partido, seu governo e suas ideologia inteira ser aniquilada. A maioria esmagadora do mundo estraçalhou tudo o que ele achava certo, incluindo o Brasil e o famigerado Estados Unidos, o mesmo que você diz precisar ser “protegido”. Você acabou de descrever uma superioridade de uma raça no seu comentário, acho que você nasceu no século errado.

      • Rodrigo Barreto

        Acho que você não tem condições de analisar o que se passa.
        Passe bem, boas festas.

      • Rodrigo Barreto

        A propósito, em nenhum momento defendo ideias como o cadastro. Isso você infere levianamente. Ainda que o fosse, Hitler marcou judeus que não eram violentos e não ameaçavam a existência de ninguém, e pôs-se em um movimento de guerra.
        Algumas correntes islâmicas ameaçam os outros e estão em movimento de guerra.
        Pois vemos que há fundamentalmente uma questão de segurança.
        Não seja superficial e “intelectual” sem analisar o que lhe dizem por aí.

        • Nem é você, o próprio Trump defende o cadastro digital de muçulmanos. Ameaça por ameaça, podemos citar outros que foram pra câmara de gás e não eram judeus. Qualquer um que fosse ‘fundamentalmente’ um problema também ia. O que precisa ficar claro é que criminoso é criminoso, e religião é religião, não confunda. O estado islâmico sim precisa ser combatido, agora querer combater todos os muçulmanos te coloca na mesma posição de Hitler. E não se iluda, esse pensamento seu é o mais previsível que existe.