Ao responder a uma pergunta feita no Quora, popular serviço de perguntas e respostas, Terry Lambert, um ex-funcionário da Apple, revelou alguns detalhes acerca do sigilo absoluto do “Projeto Púrpura”, codinome do projeto secreto que resultou no iPhone original.

Lambert, que trabalhou na Apple durante 8 anos e alega ter escrito cerca de 6% do kernel do OS X (que também é o coração do iOS), descreve que o segredo era tanto que era necessário antes assinar um termo apenas para poder ler um outro termo que revelava o codinome do projeto.

“Você assinava um termo de confidencialidade que lhe permitia ver o termo de confidencialidade que tinha o codinome nele. Você não podia ver o codinome enquanto não concordasse em não comentar sobre o mesmo”.

Ele continua, descrevendo como era o ambiente do projeto secreto:

Depois da sessão de leitura, você tinha acesso ao ‘laboratório secreto’, que era uma sala dentro do laboratório principal. Naquele normal muitos podiam entrar, mas no secreto ninguém entrava. Eu estive em áreas que havia panos escuros em toda a parte. (…) Era como eles cobriam os projetos secretos; você finge que não está vendo; era uma espécie de ignorância voluntária. Outra coisa que a Apple fazia era dar diferentes codinomes a diferentes grupos; em outras palavras, você poderia estar trabalhando em um mesmo projeto de outro colega, mas na verdade não sabia disso. Ou não era autorizado a discuti-lo [com ninguém].

Trabalhando na maior parte do tempo em testes e depuração do kernel, ele conta que nunca soube como era a forma do iPhone enquanto estava trabalhando nele:

Eu só vi o aparelho quando fazia os testes e depuração remotos, não a versão final — mas obviamente era um sistema baseado num processador ARM. A gente realmente não precisava ver o formato, porque quando você estava fazendo o trabalho inicial, tudo era protótipos em plexiglass.

A íntegra da resposta original em inglês pode ser lida no site do Quora.