Aplicativos

Governo alemão manda Facebook parar de coletar dados de usuários do WhatsApp

No final do mês passado, o WhatsApp surpreendeu a todos ao anunciar o compartilhamento de todos os dados de seus usuários com o Facebook, para fins de publicidade. Agora, o governo alemão, através da Comissão de Hamburgo para Proteção de Dados e Liberdade da Informação, ordenou que o Facebook pare imediatamente de coletar dados do WhatsApp. No pedido, o órgão afirma que os usuários não foram devidamente informados da mudança nos termos de uso e, dessa maneira, o Facebook estaria desrespeitando os direitos dos alemães que usam o aplicativo.

Mais um capítulo da polêmica envolvendo o uso de dados de usuários do WhatsApp pelo Facebook. No entanto, essa é a primeira vez que o governo de um país decide intervir para garantir a privacidade de dados dos usuários. Segundo nota divulgada à imprensa, a Comissão alega que, com a mudança nos termos do WhatsApp, o Facebook poderia ter acesso a listas de contatos de pessoas que não estão cadastradas na rede social, o que caracterizaria uma violação das leis alemãs. Países da Europa, principalmente a Alemanha, possuem leis rígidas que regem a privacidade de dados de usuários de serviços online e aplicativos, o que leva essas nações para a direção oposta das políticas praticadas por diversas empresas de tecnologia.

O imbróglio, segundo um representante do governo, também acontece devido ao atropelo de prazos estabelecidos pelo Facebook nesta ação. “O Facebook deveria pedir essa permissão com antecedência, o que não ocorreu“, afirma o comissário Johannes Gaspar. Em resposta, a rede social disse ter cumprido com as leis do país e que pretende trabalhar com o órgão do país para chegar a uma solução que não prejudiquem os usuários.

A partir do anúncio da mudança nos termos (que realmente pegou muita gente de surpresa), muitos usuários mostraram preocupação em compartilhar suas informações. O Facebook pode acessar números de telefone, dados do perfil, mensagens de status e outras informações importantes de sua conta no WhatsApp. A rede social, entretanto, diz que as conversas continuam criptografadas e, por conta disso, não possui acesso as mensagens trocadas no aplicativo. Vale lembrar que, ao comprar o WhatsApp em 2014, o Facebook afirmou que a política de privacidade do mensageiro não seria alterada. Essa contradição gera hoje muitas criticas a rede social criada por Mark Zuckerberg.

A alteração dos termos não foi tão imediata. Os usuários receberam prazo de 30 dias (que venceu ontem, dia 26) para decidir se aprovavam ou não o compartilhamento de dados. Vencido esse período, não é mais possível desfazer a integração entre os aplicativos – ao menos que você exclua seu perfil e não use mais o mensageiro. Daqui por diante, novos usuários precisam aceitar os novos termos de uso para criar um perfil no WhatsApp.

via Engadget

Tags
Mostrar mais

Marvin Costa

Jornalista carioca apaixonado por cultura pop, fotografia, instrumentos musicais e produtos da Apple. Sempre que pode toca guitarra com amigos e utiliza seu iPhone como segundo instrumento.

Artigos Relacionados