Curiosidades

Campanha ‘Criado com iPhone’ faz homenagem à queda da Bastilha

Hoje é 7 de setembro na França (mentira, mas é o equivalente ao que seria no Brasil). O dia 14 de julho é comemorado há séculos como o Dia da Federação na França, desde que o povo derrubou (com muito sangue e guilhotina) a monarquia por causa, entre outras coisas, de uma grande crise e de altíssimos impostos (isso me soa familiar…).

Para homenagear o dia, a Apple aproveitou sua campanha publicitária “Criado com iPhone” (antes era “clicada“, mas em português a tradução recebeu uma atualização) para brincar com as cores da bandeira francesa.

Bleu, blanc, rouge

As fotos vão mudando a cada segundo, sempre respeitando as cores azul, branco e vermelho (bleu, blanc, rouge). A homenagem pode ser vista no site francês da Apple.

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • André

    “Povo” deburrubou a Bastilha? Melhor: massa de manobra encabeçada pelos ricos da época insatisfeitos com o estilo de vida nababesco da monarquia derrubou a Bastilha. Esse discurso heróico do povo é a maior falácia histórica.

    • Nada muito diferente do que acontece no Brasil desde sempre.

      • Dentro do raciocínio do debate acima concordo, mas num contexto comparativo é um pecado de afirmação! Nós nunca tivemos no Brasil nada que chegasse perto da Revolução Francesa, pois independentemente de quem deu a ignição, aponta o amigo que não foi o povo, foi um rompimento de sistema que marcou não apenas a história da França, mas a de todos os povos. Eu me recordo de ter lido que teve a ampla participação do povo francês sim, ainda que tenha sido por iniciada por um espírito burguês. Aqui existe a mesma opulência da monarquia francesa absolutista, mas ao invés de termos um rei e vários nobres, a gente tem uma casta de corruptos. Outro dia descobrimos um casamento em SC, no valor de 8,5 milhões, pago diretamente pelo MinC. No Brasil há muita tolerância porque existe muito contorno pra tudo. Mesmo com toda a festa nababesca que fazem com o dinheiro público, os brasileiros dão um jeito de minimizar as dificuldades, seja driblando impostos, seja driblando problemas de trânsito, etc… Na França eles não tiveram alternativa, no Brasil, desde colônia, sempre tivemos o jeitinho. Boa homenagem a essa data não só nacional, como internacional.

        • Antonio Frederico

          O que acontece no Brasil não há precedente nenhum na história da humanidade. Não tem palavras no dicionário para definir esse povo brasileiro, que se vangloria de imbecilidades como carnaval para se dizer um “povo feliz”. A discussão da política na internet, meu Deus do céu, gente tomando partido virando torcedor de político, o despreparo do brasileiro e a facilidade com que aceita a própria desgraça acho que isso nunca foi visto nem desde antes de Cristo.

          • Concordo em parte. No que tange a internet infelizmente é um debate que ocuparia milhares de linhas. As redes sociais e atual etapa do progresso tecnológico necessariamente vão se integrar com a política e com a forma que evoluímos a nossa história cada vez mais. Então infelizmente é uma questão de você aceitar ou não, pois isso serve para toda a população com pleno acesso à rede mundial. O papel da dela não deve ser menosprezado. Você disse tudo, virar torcedor é natural, o que podemos remediar é o preparo para que sejamos uma boa torcida. Nos tempos de Cristo era igual, mas ao invés das pessoas se aglutinarem numa praça em pequenos números, as pessoas se aglutinam num ambiente virtual. A porqueira das massas é igual, não se engane, o que mudou foi a proporção.

        • Daniel

          Só uma pequena retificação, A atual Bandeira do Brasil foi adotada em 19 de novembro de 1889. O desenho é do pintor Décio Villares e o projeto, de Raimundo Teixeira Mendes e Miguel Lemos, todos brasileiros. Ela é parecida com a bandeira do Império, que foi desenhada em 1822 pelo pintor Debret (francês)

      • André

        A história se repete.

  • KB

    Achei muito criativa esta idéia das fotos alternando, mas respeitando os tons das cores da bandeira. Bem clean, excelente homenagem.

  • Arthur

    imaginando a dificuldade dos prints, hahaha

    • Estanislaw Duarte

      Pensei o mesmo.

    • Ainda mais que foi feito no iPad, sem direito a edição no Photoshop. Confesso que foram uns 10 prints diferentes, e deu para perceber que mesmo assim não ficou perfeito. 😛