Notícias

Apple responde oficialmente às acusações do Spotify

O assunto do dia sem dúvida foi a carta que os advogados do Spotify enviaram à Apple, acusando a empresa de Cupertino de tomar atitudes anticompetitivas e de usar o poder que tem na App Store como “uma arma” contra os concorrentes. Esta carta foi enviada no domingo, dia 26 de junho.

Hoje, dia 1º de julho, o time de advogados da maçã respondeu à empresa sueca, também sob forma de uma carta de três páginas, rebatendo todas as acusações. Eles afirmam que o Spotify usou meias-verdades e rumores para tentar ganhar um tratamento diferencial na App Store.

Na carta, a Apple enfatiza que suas práticas na loja não são nenhuma violação às leis antitruste e ainda destaca que o Spotify já foi capaz de ganhar centenas de milhares de dólares em faturamento adicional graças à plataforma iOS.

Obrigado pela carta de vocês. Como um valoroso desenvolvedor da App Store, nós estamos desapontados com os ataques públicos que vocês fizeram e apreciamos a oportunidade de registrarmos o que é correto. Não há dúvidas que o Spotify se beneficiou enormemente da sua associação com a App Store. Desde 2009 a plataforma da Apple gerou para vocês mais de 160 milhões de downloads de seu aplicativo, resultando centenas de milhares de dólares de receita incremental para o Spotify. É por isso que achamos problemático vocês nos pedirem por exceções nas regras que aplicamos a todos os desenvolvedores, além de espalhar fofocas e meias-verdades publicamente sobre nossos serviços.

Nossas diretrizes aplicam-se igualmente para todos os desenvolvedores, criadores de jogos, vendedores de livros digitais, serviços de vídeo-streaming ou distribuidores de música digital, isso independentemente de serem ou não concorrentes da Apple. Nós não alteramos nosso comportamento ou nossas regras quando criamos nosso próprio serviço de streaming de música ou quando o Spotify tornou-se um concorrente.

Na carta, a Apple ainda lembra que recentemente disponibilizou um novo modelo de comissionamento para as assinaturas que durem um ano ou mais, baixando de 30% para 15%. Afirma também que a equipe da App Store sempre esteve acessível para ajudá-los na atualização, que só não aconteceu por estar fora das regras da loja.

Eles ainda reforçam os altos custos que têm para manter a App Store:

O Spotify se beneficiou enormemente do uso da loja que desenvolvemos. Nosso investimento na App Store não é algo trivial — qualquer grande rede de lojas irá lhe dizer que é necessário uma incrível quantidade de esforço e recursos para manter uma boa loja. Entretanto, se o usuário decidir fazer uma assinatura do serviço ou de um produto digital por outro meio fora da App Store, o desenvolvedor não nos precisa pagar um tostão, e seu conteúdo continuará funcionando nos dispositivos da Apple. Pedir para que o Spotify não precise pagar para aproveitar os benefícios do trabalho árduo da Apple, como todos os desenvolvedores fazem, daria a vocês uma enorme vantagem competitiva sobre os outros desenvolvedores. Isso seria injusto e sem sentido.

A íntegra da carta pode ser conferida no site BuzzFeed. Para entender melhor as acusações do Spotify, confira este outro artigo.

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados