OpiniãoRumores

[opinião] Uma troca de design a cada 3 anos não é algo tão ruim assim para o iPhone

Hoje, a blogosfera tecnológica está noticiando algo que já estava ficando óbvio há algum tempo: o ciclo de mudança do design do iPhone pode aumentar de 2 para 3 anos. Mas não é preciso ser nenhum jornal asiático para concluir que isto já estava prestes a acontecer, bastava olhar em volta e perceber os movimentos da Apple nos últimos meses.

Desde o iPhone 3G, as mudanças de design dos novos iPhones têm seguido um ritmo constante e bem preciso: a Apple lança um novo modelo em um ano, completamente reformulado por fora, e repete o seu exterior no ano seguinte, incluindo um “S” no nome. Foi assim com o iPhone 3GS, 4S, 5s e 6s, todos visualmente semelhantes ao modelo anterior, só mudando os componentes internos que adicionaram mais performance e rapidez ao aparelho.

Primeiras fotos iPhone 3G S

Mas este paradigma parece estar prestes a mudar, e isso ficou um pouco evidente com o novo iPhone SE. Ele é o primeiro modelo a ser a terceira geração usando o mesmo design exterior, apenas mudando os componentes internos. A Apple nunca tinha feito isso até então.

iPhone 5-SE

Os rumores atuais que estão circulando ainda divergem em um ponto aqui, outro acolá, mas todos são unânimes ao afirmar que o design do modelo que será lançado no segundo semestre deste ano não deverá ser muito diferente por fora do que o iPhone 6 e 6s. Como este tipo de rumor nos últimos anos se mostraram uma boa indicação do que está por vir, é bem lógico considerar que realmente o tal “iPhone 7” (ou seja lá como Tim Cook o pretende chamar — talvez iPhone 6sE?) não sofra muitas mudanças no seu exterior, deixando as novidades na sua forma para o modelo do ano que vem, quando a linha iPhone completará 10 anos de vida.

E se querem saber, não acho tão absurdo ficar três anos sem mudanças radicais. O mercado de smartphones está desacelerando e “novidades” no mundo do design de produtos também não são infinitas. Não tem como reinventar a roda todo o ano, a não ser fazer o aparelho ficar cada vez mais fino (em detrimento da bateria). Se lembrarmos a década passada, a moda era lançar telefones cada vez menores, mas depois do StarTAC, não se tinha muito mais para onde correr, e os que tentaram fazer aparelhos ainda menores, acabaram sacrificando a usabilidade. No momento atual, ou lançam algo realmente diferente (como telas dobráveis e coisas que vemos em filmes de ficção) ou então será apenas uma releitura do “mais do mesmo“.

Mas isso não significa que as gerações estacionaram. O iPhone 3G não foi igual ao 3GS, nem o 4S igual ao 4. É importante termos evoluções internas constantemente e isso já é uma tradição no mundo da computação há décadas. Mas se formos comparar com os computadores, eles sempre melhoraram o processador, sem mudar o aspecto exterior. Aliás, foi a Apple quem deu uma mexida nesse sentido em 1998, quando lançou um computador que não era bege, e nem era um monitor ligado a uma torre. Por alguma razão, aceitamos que computadores fiquem 5 anos sem mudar seu design exterior, mas quando isso acontece com um celular, o chamamos de ultrapassado. Por que isso?

Eu acredito nestas evidências que indicam que a Apple lançará pelo terceiro ano consecutivo um iPhone com o mesmo design. E não vejo razão para acharmos que isso seja algo ruim.

Conteúdo original © Blog do iPhone

Tags
Mostrar mais

Ale Salvatori

Applemaníaco desde 1995, quando precisou aprender a usar um Mac em uma semana para conseguir um emprego em uma agência de publicidade. Acha que a Apple não é mais a mesma depois da saída do Gil Amelio.

Artigos Relacionados