Notícias

Tim Cook faz visita ao Papa Francisco no Vaticano

Em um encontro rápido e claramente formal, o CEO da Apple Tim Cook fez uma visita oficial ontem ao Papa Francisco, no Vaticano. Os dois conversaram privadamente por poucos minutos e o teor da conversa não foi revelado.

Muitos acreditam que um dos assuntos levantados por Cook foi sobre a preocupação com a questão ambiental, que é uma das bandeiras tanto da Apple quanto do Papa. Ele, como um dos principais líderes religiosos do mundo, é uma grande influência na opinião pública, e Tim Cook sabe disso.

Mas outro ponto que pode ter sido discutido é sobre a diversidade. Francisco é o Papa mais aberto da história nesta questão, e Tim Cook é um declarado ativista na defesa dos direitos humanos, principalmente na questão racial e sexual. Desde 2015, ele faz a Apple comemorar publicamente o dia de Martin Luther King, além de apoiar a participação de seus funcionários como voluntários em causas humanitárias e manifestações públicas.

Em um vídeo, porém, é possível perceber que o encontro não foi muito empolgante, parecendo algo bem formal e burocrático. Eles trocaram presentes e posaram para fotos. Tim aproveitou para fazer uma doação para os trabalhos de caridade do Vaticano, cujo valor não foi revelado. Junto com ele estava o vice-presidente financeiro da Apple, Luca Maestri (que é italiano) e Lisa Perez Jackson, vice-presidente de iniciativas sociais, políticas e ambientais da empresa.

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Será quele tem um iPhone? rsrs que eu saiba o Papa posta ate no Twitter.

  • Douglas Gonçalves

    Foi levar um iPad Pro pra ele…

  • Carlos Frederico

    Não tenho religião nem incentivo as pessoas a serem religiosas, muito pelo contrário, mas esse papa tem feito um bem danado principalmente em relação à Igreja.

    Até agora os feitos dele foram ótimos, com exceção do fato de ele ter conversado com um certo indivíduo feminino que foi contra e não recuou quando precisava fazer o trabalho administrativo de um casamento homossexual nos EUA num estado que não é permitido, sendo que a lei é federal, em outras palavras, passa por cima da lei estadual.
    No resto, ele têm sido bem sensato, porém, o fato de ele provavelmente ter passado a mão na cabeça da mulher que foi contra, já diz que ele não é tão aberto assim, pelo menos na questão da homossexualidade.

    • Raiden

      Certo… Mas é sempre bom ficar de olho bem aberto nessas ocasiões, Carlos. Ele pode ser o Papa, lá pode ser o Vaticano, mas ainda é gente como a gente.

      Muito já se especulou dessa mudança toda por lá. Mas é óbvio que um dos motivos foi tentar não afastar ainda mais clientes fiéis do catolicismo para outras religiões. Porém, sempre nesse tom blasé, que, na pratica, não ajuda, nem atrapalha.

      É notável a força de muitos movimentos contrários à ideias antigas da igreja católica. Por quê excluir fiéis em potencial, se eu posso trazê-los com ajuda do ~ melhor ~ tipo de preconceito, o preconceito velado?

    • Rafael Valentim

      Desculpa, mas ficou meio confuso pra mim, em relação à casamento homoafetivo, seria na igreja ? Ou somente o casamento pelo casamento ?

      Não sou católico, porém estranho querer exigir de um líder religioso cristão que ele aceite casamento homoafetivo, seria o mesmo que pedir a alguém do estado islâmico, mas ninguém pede ao estado islâmico.

      • Carlos Frederico

        No caso, foi um casamento registrado no cartório mesmo, nada de festa religiosa ou igreja envolvida. Em vez da funcionária seguir a lei federal, ela se recusou e não acatou o pedido de registro.
        Aí o papa, em vez de ponderar a falta de bom senso dela, foi lá e passou a mão na cabeça dela.

        Ele não tem obrigação alguma de gostar ou apoiar, mas não pode também passar por cima do bom senso, ainda mais quando ele mesmo disse que ele não é “Deus” para julgar os homossexuais. Ora ele dá palavras sensatas, ora ele dá atitudes que não fazem sentido.

        Não é também para ficar espantado: as religiões são conservadoras. E as instituições delas são mais ainda.

        • Rafael Valentim

          Sou protestante, porém se a lei permite o casamento, que assim seja. Acredito que o papa não deva se envolver em políticas exteriores ao Vaticano, porém isso é só minha opinião.

          Em relação ao conservadorismo, da mesma forma que pessoas lutam pelo respeito a diversidade, deve haver respeito a quem prefere manter o conservadorismo. Culturas diferentes, povos diferentes, seres humanos iguais.

          • Carlos Frederico

            Na realidade o Papa É a figura política do Vaticano para assuntos exteriores. Senão, qual a finalidade real dele? A igreja precisa [e deve] ter uma figura política para se sustentar moralmente, economicamente e, claro, politicamente.

            Como político, o papa Francisco tem feito um belo papel, afinal de contas, está forçando a igreja ser menos conservadora e propícia a atrair mais fiéis, principalmente os jovens, afinal são eles que vão continuar o mundo. Está quebrando dogmas antigos e intocáveis. E tudo isso para o bem da igreja. Você pode ver que até agora eu nem mencionei a religião em si. A religião é só uma ferramenta utilizada pela igreja. A religião também depende da igreja para se prosperar, ou seja, ser compactuada entre os povos.

            A minha opinião em relação ao conservadorismo vai muito além do que simplesmente o respeito: o conservadorismo não permite evolução. Pode parecer radical falando assim, mas a própria natureza deixa isso claro: combinação genética sempre nos fortalece. Quanto mais diversidade você tem, mais ligações e pontos de vistas você possui. Um africano pode ter uma ideia totalmente diferente de você diante de um problema só pelo modo de vida que ele vive. Um deficiente (eu) tem uma ideia completamente distinta a respeito da usabilidade de um produto em relação a uma pessoa com habilidades plenas.
            É por isso que cientificamente o conservadorismo não é bom. Assim como mudanças radicais extremas. O extremismo nunca é bom. Mas entre o conservadorismo mediano e a diversidade maior, eu certamente prefiro a segunda opção 😉

            • Rafael Valentim

              Entendi sua posição, citando primeiro sobre o conservadorismo, o que me referi foi sobre o que citam como família tradicional e o que clamam como família nova, porém isso é um assunto que deveríamos sentar com um bom café e uma boa música para ser conversado. Em relação ao papa, não tenho muito que dizer, sou totalmente contra a religião se intrometer no estado, mesmo sendo cristão protestante, eu não vejo necessidade segundo minha crença de se levantar alguém para defender ” interesses ” religiosos, pois acredito que o tipo de ” interesse ” que o cristão deve ter é outro, fora que não tenho o papa como meu representante.

            • Carlos Frederico

              É, eu entendi errado então quando você falou a respeito do conservadorismo! E concordo que daria um bom assunto para um café bem longo, aliás, muito longo! Café expresso sem chance kkkk!

              Mas só um adendo, pois é interessante tocar nesse ponto: nisso o Papa, até onde vejo, infelizmente tem feito absolutamente nada. Padres não podem casar, a Igreja não reconhece um casal homossexual com filhos, etc. E nisso mora um conservadorismo doente, longe de ser mediano, que foge completamente do bom senso: o que é melhor? Uma criança ficar num orfanato ou ser adotada por um casal homossexual que geralmente possui condições dignas de vida? O fato do papa ter passado a mão na cabeça da funcionária já demonstra que ele não é amigável com essa vertente, o que é uma pena. E por que isso gira em torno da Igreja? Porque o casamento, embora ele seja simplesmente uma junção de um homem e uma mulher, ele ainda tem muita conotação religiosa. Ficou banalizado. Nisso eu prefiro a intromissão completa do judiciário, que sempre tenta enxergar as coisas tecnicamente.

              Quanto ao Estado ser laico, sem dúvida nenhuma concordo contigo. Pelo menos, para mim, quanto menos a religião tiver influência, melhor. Embora eu seja totalmente contra a seguir doutrinas e crenças religiosas (veja que tem nada a ver com crer ou não crer em Deus), eu amo as religiões por questão cultural. Vejo a religião como uma imensa inspiração para novos pontos, histórias, filosofias e tudo mais. Mas há de concordarmos que não dá para colocar a religião na frente do avanço científico, que não dá para reger um Estado utilizando uma doutrina antiga que naquela época favorecia certos interesses de grupos que tinham poderes, etc., que, por fim e continuando, não dá mais, definitivamente, colocá-la como formadora principal de uma moral universal.

              Da mesma forma que milhares de pessoas são cristãos e idolatram Jesus (que historicamente foi um excelente ser humano, fazendo tudo o que a Igreja justamente não queria), existem mais de um bilhão de pessoas que sequer sabem que ele existiu ou da importância que ele representa para tais igrejas e religiões.

              Cara, isso vai longe! Acho que valeu (e continua valendo!) a pena a nossa discussão! Acredito que dessa forma é que contribuímos a todos bons pontos de vista com a intenção de fomentar opiniões sadias 😀

            • Rafael Valentim

              É nesse ponto que divergimos nossas opiniões, sobre avanços científicos, a ciência sempre andou ao lado da religião, basta uma pequena busca e verá que grande parte dos grandes cientistas eram devotos a Cristo, e deixavam isso bem claro, não precisa de muita procura. Em relação ao casamento, isso varia do que se crê, a história da civilização tem muitas vertentes e variantes, existem diversas fontes, então se não tivermos fontes em comum, sempre discordaremos e isso torna uma conversa sobre esse assunto um tanto quanto desnecessária, porém acredito no casamento como algo criado por Deus, para continuidade de sua criação, fugindo da religião e indo pra ciência ( mesmo ambas andando lado a lado na minha opinião ) a junção de duas espécies do mesmo género resultaria em extinção completa, o que acredito que não é o propósito nem da criação nem da natureza, a natureza sempre lutará pela existência de cada espécie.

              Sobre a adoção por casais do mesmo género, isso é um ponto que me pauto na minha crença, então não preciso dar minha opinião, porém como já conversamos nesse mesmo tópico, se a lei ordena o direito de casais do mesmo género se casarem e também os da o direito de adotarem crianças, que assim seja, o que muito me chateia muitas vezes é afirmação de que ” vocês já viram casais homoafetivos abandonarem seus filhos?” Isso é um tanto ignorante, pois ser ou não homossexual não faz da pessoa um não ” ser humano “, a pessoa continuará sendo ser humano, com falhas, defeitos, imperfeições, e se caso duas pessoas do mesmo género pudesse gerar vida, alguma delas também poderia abandonar essa vida, heteros e homossexuais são seres humanos iguais, existem pessoas boas e pessoas ruins, isso não difere de cor, crença, etnia, nação ou opção sexual.

              Pelo que creio, não devo lutar contra ninguém, minha luta é diferente, o que devo fazer é orar para que se cumpra aquilo que creio com minha vida, eu não sigo religião, acho que religião é algo que causa cegueira, isso pode soar estranho já que disse que sou cristão protestante, porém há como ser servo de Cristo e não seguir religião, apenas seguir seus mandamentos, pois foi apenas isso que ele deixou, porém isso já seria o assunto pra continuar também com o café que eu lhe disse, e concordo, seria muito café hahaha.

              Continue na luta pelos seus ideais, isso é o que torna o Ser “humano”, sempre respeitando opiniões que divergem as suas, isso te torna uma boa pessoa, e eu continuarei seguindo meu caminho respeitando opiniões que divergem da minha da mesma forma. O mundo será um lugar melhor assim.

              Espero um dia nos conhecermos para termos esse papo com o café que falamos, é sempre bom conhecer pessoas dispostas a conversar e discutir assuntos delicados como esse, um grande abraço e que Deus abençoe sua vida.

              Ps. Me desculpa se houver erros de português, escrevi meio que com pressa indo pro serviço.

        • Rafael Valentim

          Quero ressaltar que gostei da forma que você se expressou, precisamos de pessoas assim na sociedade, que sabem discutir e lidar com opiniões diferentes, parabéns.

          • Carlos Frederico

            Opa! Obrigado, você também se expressa muito bem e é coerente! 🙂

            • Rafael Valentim

              Obrigado =)

            • juhnior

              Desculpa me meter mas é a primeira conversa EM ANOS (literalmente) que acontece nos comentários de um site em que duas pessoas de opiniões diferentes são saem simplesmente se agredindo verbalmente. Honestamente, eu parei de ler comentários e dar minha opinião porque, na internet, todo mundo é dono da verdade, o outro é sempre imbecil, burro, que precisa de leitura etc. É até difícil acreditar que ainda exista um lugar virtual que as pessoas saibam ter um diálogo respeitando as diferenças de cada um. Parabéns pra vcs dois e pro BlogDoiPhone que consegue, de alguma forma, selecionar os leitores que tem. Não to aqui pra criar polêmicas mas não posso deixar de pensar que o fato de sermos usuários de iPhone ainda possa ter alguma coisa a ver com isso. Eu morro de vergonha alheia quando uso meu android corporativo, vou baixar um app na Play Store e tem milhões de comentários dando notas mínimas para apps e com texto tipo: “to baixando e assim que usar dou nota melhor”. São dezenas de comentários assim. Se eu fosse desenvolvedor eu cortava meus pulsos vendo meu aplicativo avaliado com nota 1 ou 2 por pessoas que sequer usaram mas sentiram uma necessidade de avaliar negativamente.

            • Rafael Valentim

              Hahaha, compreensível, vou ser um pouco arrogante, mas podemos dizer que pessoas de bom gosto se entendem melhor ?

            • @juhnior:disqus concordo plenamente com você, que papo bacana desses dois e como é bom ver na internet pessoas conversando de forma sadia e inteligente, mesmo tendo opinioes opostas. Admirei!

              @rafaelvalentim:disqus @carlos_frederico:disqus Manos, vou ser sincero, não concordo com vocês em mtas coisas mencionadas na conversa. Mas gostei mto da linha que vocês seguiram e também me interesso por este papo acompanhado de um bom café. (Um pão de queijo vai bem também)

              =)

  • Raiden

    Que irônico… ?

  • Fabio Santos

    Nitidamente Tim Cook, assim como Jobs odeia religião kkk

    • Diego

      Errado!

    • Fern

      Interesses

  • Edmilson Morishita Pereira

    [iOS AJUDA]
    olá galera tenho uma dúvida, gostaria de saber se alguém pode me ajudar, sou assinante do icloud e gotaria de saber se tem como eu mandar todas as fotos para o icloud ter acesso as fotos sem que ocupe espaço no meu iphone, e como devo fazer pra configurar caso dê, pois as que eu tinha no icloud estavam ocupando espaço no meu iphone entao quando apaguei do meu iphone, foram apagadas do icloud tbm.

    Desde já agradeço

    • Thiago C. Carvalho

      Ajustes > iCloud > Fotos > Otimizar no iPhone (Fototeca do iCloud deve estar ativada).
      Acho que é isso que você esta querendo.

      • Edmilson Morishita Pereira

        Oi Thiago obrigado, então dessa parte eu já sei, mas tipo quando eu apago do iPhone ele acaba apagando do iCloud tbm e não é isso o que eu quero que aconteça, eu quero que permaneça no iCloud mesmo depois que eu apague do iPhone assim como no Dropbox, isso no iCloud pq eu assino e o Dropbox não.

        • Sinto lhe informar mas isso é impossível. Se a fototeca do iCloud estiver ativada, você não vai conseguir deixar as fotos em um único dispositivo.
          O que você pode fazer é baixar o Google Fotos que faz o backup de todas as suas fotos pra nuvem G e lhe dá a opção de apagar do seu iPhone, consequentemente liberando espaço no aparelho.

  • Pablo Rangel

    Apple precisando de um milagre mesmo 🙂

  • Zelotes Universal

    Quem sabe ele foi pedir um milagre … Forma de baixar os preços no BR mais uma bateria que dure!

  • Bernardo

    Se eu fosse papa, queria ganhar um Mac Pro e um vale na app store… God bless

  • Pax vobiscum!

  • Fabão

    Vamos por partes…

    “Mas outro ponto que pode ter sido discutido é sobre a diversidade. Francisco é o Papa mais aberto da história nesta questão, e Tim Cook é um declarado ativista na defesa dos direitos humanos, principalmente na questão racial e sexual.”

    Antes, vamos explicar algo…

    Nós, católicos, acreditamos que:
    1) Jesus é o próprio Deus encarnado;
    2) Seus ensinamentos são, portanto, revelação de Deus;
    3) Jesus delegou sua autoridade divina para a Igreja, na pessoa de Pedro, que foi o primeiro papa;
    4) Jesus prometeu que a Igreja permaneceria fiel e não erraria em termos de Doutrina;
    5) Até hoje, o Papa tem essa mesma autoridade, recebida por Pedro diretamente de Jesus e a Igreja permanece fiel à Doutrina que recebeu de Jesus e também dos apóstolos e seus sucessores (os bispos, os cardeais e o Papa).

    Assim, essa Doutrina não muda e não pode mudar. A interpretação dessa Doutrina pode evoluir e se aprofundar, mas o cerne, a essência, não muda e não mudará nunca.

    Ou seja, a Igreja nunca apoiará a união homossexual e muito menos a equiparará à família. Ponto final. E a mesma coisa vale para o divórcio, por exemplo. Isso acontece porque a Doutrina a respeito do Matrimônio envolve a união entre homem e mulher com caráter exclusivo e indissolúvel.

    O artigo abaixo deixa claro que o Papa não está disposto a sair um centímetro da Doutrina. Aliás, se estivesse, não seria nem católico, muito menos sacerdote, que dirá bispo ou papa…
    “Papa: nenhuma confusão entre matrimônio e outras uniões”
    (http://www.news.va/pt/news/papa-nenhuma-confusao-entre-matrimonio-e-outras-un)

    Isso não quer dizer, de forma alguma, que a Igreja esteja excluindo os homossexuais. A Igreja tem suas regras e quem quer seguir o que a Igreja ensina tem que seguir suas regras, como qualquer outra instituição, religiosa ou não. Simples assim. Querer que a Igreja mude simplesmente não faz sentido, já que ninguém é obrigado a ser católico.

    Sobre a funcionária que se negou a registrar a união homossexual, citada pelo Carlos Frederico, trata-se de objeção de consciência. Se eu, por meus valores morais, sou contrário a essa união, não posso ser obrigado, nem mesmo por força de lei, a colaborar com isso. E digo mais, querer que o Estado puna ou obrigue o indivíduo a agir contra suas convicções é totalitarismo. Como vivemos
    (por enquanto) num estado democrático de direito, estamos (por enquanto) livres desse tipo de atitude ditatorial.

    É preciso notar também que Papa é um líder religioso e também um líder político. Ele é o chefe de Estado do Vaticano, e como tal, toda visita que ele faz ou recebe segue um protocolo, por isso a impressão de formalidade e burocracia.

    Por fim, se o Tim Cook foi lá discutir mudança na Doutrina, com certeza foi ouvido, mas não terá seus pedidos atendidos…

  • Desculpa comentar isso, mas os crente pira num possível acordo entre o anticristo e a nova ordem mundial ao saber da existência desse encontro. kkkkkk só de zoas <3

  • Encontro dos líderes de duas das maiores religiões do planeta, kkkkkk!

  • Jorge Luiz

    Tim Cook se encontra com o Papa e a matéria nem cita o fato dele ser DECLARADAMENTE GAY ? É um encontro no minimo curioso. Ou a Igreja ta mudando muito (para melhor, com menos intolerância)… ou como sempre o $$$ ta falando mais alto. Talvez esta seja a resposta de toda a formalidade… “Eu finjo que sou hetero e você finge que acredita.”

    • A “reportagem” também não cita que Tim Cook é branco, não cita que ele é simpatizante do partido democrático e nem que seu namorado é de origem oriental. Tem um universo de coisas que o texto não cita, porque o foco da notícia é o encontro. Ser gay não é algo para ser visto de forma extraordinária ou diferente.

      O Papa Francisco é um dos mais abertos em relação a relações homossexuais, tanto que já recebeu um grande amigo seu no Vaticano, acompanhado de seu companheiro. Aquilo sim foi notícia e não tinha dinheiro envolvido. Agora, a notícia é outra.