Notícias

Apple detalha como é o sensor de frequência cardíaca do Apple Watch

Cobertura Apple Watch - pre

Desde que a Apple apresentou pela primeira vez o Apple Watch, em setembro, surgiu a dúvida de quão preciso seria seu sensor de batimentos cardíacos, um dos carros-chefes do relógio. Principalmente porque esta função não é tão performática em relógios da concorrência, como o Moto 360, que constantemente falha ao tentar medir a pulsação.

Antes mesmo do lançamento, a empresa já preparou um documento em que dá dicas de como fazer os sensores funcionarem bem no seu smartwatch.

Por enquanto a página está apenas em inglês e detalha o funcionamento dos sensores. Mas através dela já é possível saber que o Watch mede a frequência cardíaca do braço a cada 10 minutos, e envia a informação para o aplicativo Saúde, que registra e estima quantas calorias você está queimando durante o dia. E durante um exercício, é possível saber a sua intensidade.

Sensores cardíacos Apple Watch

Além desta medição automática, é possível medir os batimentos a qualquer momento, puxando a tela de Resumo (Glances), em um movimento similar àquele que fazemos para visualizar a Central de Controle do iPhone (de baixo para cima).

Como ele mede a frequência cardíaca

O sensor de frequência cardíaca do Apple Watch usa a fotopletismografia. E ela explica o que significa esta palavra feia:

Esta tecnologia, ao mesmo tempo difícil de pronunciar, é baseada em um fato muito simples: o sangue é vermelho porque ele reflete a luz vermelha e absorve a luz verde. O Apple Watch usa luzes LED verdes emparelhadas com fotodiodos sensíveis à luz para detectar a quantidade de sangue que flui através de seu pulso em um dado momento. Quando seu coração bate, o fluxo de sangue em seu pulso – e a absorção de luz verde – é maior. Entre batidas, é menos. Ao piscar suas luzes LED centenas de vezes por segundo, o Apple Watch pode calcular o número de vezes que o coração bate por minuto – ou seja, a sua frequência cardíaca.

Sensores cardíacos Apple Watch

Na mesma página ela também explica algumas razões da leitura eventualmente poder falhar: pulseira muito solta ou muito apertada, baixa perfusão do sangue (ocasionada por ambientes muito frios, por exemplo), e exercícios com movimentos irregulares, como boxe ou tênis. Já os rítmicos, como corrida ou bicicleta, ele tem mais facilidade de apresentar boas leituras.

O relógio também é capaz de usar outros sensores de acordo com a ocasião. Por exemplo, se você estiver caminhando ou correndo em uma esteira de academia, ele usará o acelerômetro para medir a quantidade de atividade. Se estiver na rua, correndo ou andando de bicicleta, ele usará o GPS do iPhone. Isto tudo alimentará o aplicativo Atividade, para incentivar você a sempre se movimentar mais.

O sensor de batimentos cardíacos é fundamental para medir diversas atividades de saúde, que é uma das funções mais alardeadas pela Apple para seu novo Watch. Por isso a sua preocupação em que todo mundo saiba como fazer funcionar corretamente, para que não se crie um futuro sensorgate por causa de sensores que não funcionam direito.

O lançamento oficial do Apple Watch será nesta sexta, dia 24, e você acompanha a cobertura completa aqui no Blog do iPhone.

Nordweg Cobertura Watch

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Hades666

    Otima noticia sobre a cobertura….

  • Ricardo Marcílio De Britto

    Ainda não me conformo desse relógio não possuir GPS embutido.

    • Thiago Silvério

      Isso o tornaria imbatível mesmo frente aos GPS esportivos, mas aí não haveria bateria que durasse. Tomara que em poucos anos isso se torne viável pra valer.

      • Ricardo Marcílio De Britto

        Em um relógio que se propõe a ser usado em atividades esportivas e saúde de maneira geral, não ter GPS embutido é imperdoável. Qualquer relógio básico de atividade física possui um e a bateria não morre em um dia… não é o GPS que iria matar essa bateria, sinto muito mas não é desculpa.

        • Thiago Silvério

          Concordo plenamente, até porque faz parte da apresentação do produto. Mas
          acredito ainda que isso deva ter sido considerado, mas é bem possível que a questão da bateria pegue (e já há relatos muito interessantes nesse sentido).

          E outra, os esportivos não tem boa parte das funções do brinquedinho aí, rs.

          De toda forma, essa primeira versão já aponta como um sucesso de vendas, e nas próximas esse bendito GPS embutido vai aparecer. Quando isso acontecer, meu Garmin velho de guerra pode subir no telhado.

          • Ricardo Marcílio De Britto

            Pois é, quero aposentar meu Polar. O velhinho já trabalhou demais 🙂

            • Pedro Damasceno

              Cara, eu comprei um Gear Fit e vendi. Esse aí é a mesma coisa, no final das contas só é mais caro porque é um Apple, mas faz basicamente a mesma coisa com um visor maior e algumas funções a mais, mas te garanto que seu Polar velhinho, ou um Garmin da vida mesmo modelo de entrada é melhor que esta bosta de relógio smart.
              Sensor com led verde é babaquisse… o Instant Heart Rate mede o a frequencia cardíaca usando LED branco a própria cam do celular… não tem nada mágico nisso, ele pega a oscilação do sangue e mede.
              Os relógios inteligentes, usam led verde porque aumenta a precisão, mas a forma de medir não garante precisao, comparado a eletrodos que usamos no peito, como faz a cinta do seu polar velhinho.
              Em uma faixa de até 100 Bpm, o relógio capta bem, mas depois disso começa a perder precisão. Existem videos de teste que comprovam isso, mas nem precisa, basta voce mesmo colocar os dois e ver.
              Continue com seu polar, se quer melhorar, sugiro que vc compre o Polar H7, que é apenas a cinta, mas com bluetooth, que joga tudo pro celular… ai vc roda o Runtastic e terá um top dos tops.
              A única vantagem que vejo nos relógios inteligentes, é a questão do sono, que eles medem o quanto vc se mexeu a noite e te gera um grafico.. isso é realmente útil e só eles podem fazer, graças ao acelerometer

  • Murilo Herrmann

    Nordweg *___* um dia terei $$ pra lhe usar 🙂

    ótima notícia sobre a cobertura, na hora já teremos muita informação pra começar a analisar se o Watch é tudo aquilo mesmo

  • Carlos Alves

    Acho que a partir de agora, a Apple deu uma utilidade real aos novos relógios inteligentes que estão surgindo a cada dia que passa. Com certeza será campeão de vendas.

  • William Rosa

    Gostaria muito de comprar, mas deixarei para o Apple Watch 2, pois depender do iPhone para gps prefiro continuar com o meu suunto ambit 3.

    • Thiago Silvério

      Na hora que esse negócio tiver GPS esses fabricantes tradicionais de GPS esportivo vão entrar em parafuso (devem estar numa corrida louca agora, inclusive): ou fazem produtos mais baratos com recursos legais, ou vão ser engolidos pelos smartwatches. Garmin, Suunto, Polar…geral deve estar queimando as pestanas agora.

      Meu Garmin 310 XT e suas 8 horas de bateria não seriam páreo para um Apple Watch, sem dúvida.

  • Achei as malas da Nordweg muuuito legais… Se tivesse um cupom de desconto, acho que compraria uma… 😎 #olhaadica

  • Fabio Correa

    Apple sempre prezando pela qualidade.
    Porém, esperava que viesse com sensores de pressão, glicose, sono, etc.
    Mas entendo que não tenham vindo em razão da limitação de bateria. Quem sabe venham na 2ª geração!
    Na minha opinião, deveriam ter aproveitado a pulseira para colocar mais bateria.

  • Eduardo Ribeiro Bueno Netto

    Fiquei de cara com essas bolsas, muito sensacionais!!! Hahahaha Parabéns, iLex, por encontrar um bom parceiro, e obrigado, porque já estão no meu radar!

  • Ubirajara Batalha

    Uma dúvida que tenho desde o início que se fala nesses sensores do Apple Watch é se ele contabiliza bem os batimentos cardíacos, gastos calóricos e intensidade do treino numa musculação! Sempre leio falando sobre bicicleta, esteira, caminhada (geralmente atividades para perda de peso)… agora li que em movimentos como boxe e tênis não é muito eficaz, mas e na musculação? Porque é um esporte* que tem ganhado muitos adeptos e é o meu caso! Então minha pergunta é, e na musculação com finalidade de ganhar músculos, como o Apple Watch se comporta?

    • Sobre o Apple Watch ainda não sei, mas posso te dizer que pesquisei muito sobre o assunto e o melhor fitness tracker (custo e benefício) que encontrei foi o Fibit Charge HR. Para funcionar bem a contabilização dos batimentos cardíacos é necessário a pulseira estar bem apertada e ela deve ser deslocada um pouco pra baixo também, sob risco de haver uma falta de precisão do recurso. Alguns reviews dizem que é inviável usar a pulseira o dia inteiro assim, e que a maioria apenas o deixa na posição certa no momento dos exercícios. Eu acredito que o Apple Watch, sendo da Apple vai simplesmente funcionar, sem causar desconforto, ou precisar colocá-lo em outra posição. Eles tinham aquele laboratório “secreto” também pra isso, eu acho.

      • Ubirajara Batalha

        Muito obrigado pela informação amigo!

    • É, a Apple não específica nada sobre musculação, mas estou torcendo para que apareçam apps que sejam direcionados para isso, como contadores de flexão, por exemplo.

      Tem um que já foi adaptado para o relógio e será capaz inclusive que marcar automaticamente o tempo de repouso entre as sessões: o fitlist.

      • Ubirajara Batalha

        Muito obrigado iLex! Assim que soube dessa notícia sobre o Apple Watch e seu funcionamento com a musculação poste algo aí por favor! 😉

        • Ubirajara, esses dias eu li que para a musculação, o Apple Watch não terá sensor próprio tão cedo, com o fim específico de saber quanto peso a pessoa está levantando. Foi uma informação ventilada de engenheiros da Apple. Mas evidente que isso não impede um acessório no futuro com alguma finalidade mais próxima dos adeptos da musculação. Atualmente eu uso o exercício livre quando vou malhar, mas só pra ter uma noção mínima.

          • Ubirajara Batalha

            Valeu amigo pela informação!

  • Anderson Campos

    Algo que eu percebi agora é que o app Saúde do iPhone não salva dados na nuvem. Perde um pouco o sentido pra mim. Dei uma zerada no iPhone e todos os dados anteriores se foram. Tive que fazer a ficha médica de novo e os passos foram contados do zero. Não há dias anteriores mais.

    • Tem a ver com leis americanas q proibem q esses dados possam ser divulgados, algo assim, por isso vc nao consegue salvar nas nuvens e nem enviar por msg (logico q da pra tirar um print da tela).

    • Gustavo Rezende

      Verdade, isso é bem chato, devia salvar criptografado e pronto, mais importante para mim que meus dados de saúde são outros dados que são salvos automaticamente na nuvem.
      Se servir de consolo o backup normal do iPhone salva, troquei de iPhone e restaurou todos os dados do Saúde.

  • Gerinho Faustino

    Esse site da Nordweg, meu amigo, só tem produto de qualidade, deve ser bem uma filial da Apple para seus acessórios rsrsrs. Gostei muito da carteira, vou levar.

    • Ganhei a mochila ano passado, de dia dos pais. Faz um sucesso absurdo em reuniões com clientes!

  • Felipe

    Enquanto isso nos aparelhos de ergometria, Aerobike é a melhor solução!

  • Tami Otani

    Essas mochilas aí da Nordweg… Mais vontade de comprar uma dessas do que um Apple Watch, lol~

  • Pedro Damasceno

    Thiago, calma… ja teve um Smart Watch? Cara, o sensor no pulso não tem precisão com batimentos fortes, acima de 100, 120, ja começa a perder precisão. Infelizmente, só um eletrodo no peito é capaz de medir com perfeição

    • Thiago Silvério

      Sensor de batimentos fora da avaliação então. GPS integrado é suficiente para a comparação, rs.

  • Pedro Damasceno

    alguém conhece o Instant Heart Rate? É um dos pioneiros apps medidores de batimentos. Não tem mistério, é só analisar a variação de cores do sangue e terá um resultado do seu pulso. A questão de qualquer sensor de pulso é a falta de precisão. Mesmo sendo da Apple, não é preciso. Nenhum sensor por iluminação substitui um bom eletrodo em cima do seu miocárdio. Então, se querem brincar de “eu tenho o relogio caro da apple”, podem comprar, mas se querem pra esporte, é melhor ficar com seu Polar, Garmin, Suunto ou qualquer outro que o sensor seja um eletrodo na cinta. Com relação ao app de dormir, é só baixar o Runtastic Sleep. Faz a mesma coisa e vc não precisa ficar com um relógio no pulso o dia todo.