AplicativosCuriosidades

O caso único do aplicativo que levou poucas horas para ser aprovado na App Store

charlie app

Quando alguém quer lançar um aplicativo para iPhone ou iPad, nunca consegue fazer isso com menos de 8 dias. Além da preparação e desenvolvimento do próprio app, tem outro fator que costuma atrasar bastante o lançamento: a revisão da Apple, que leva em média, de 5 a 7 dias úteis para ser revisado e aprovado (ou recusado).

Mas uma exceção foi aberta esta semana, pela primeira vez na história da loja. Com isso, um aplicativo em especial levou apenas poucas horas (e durante o final de semana) para ficar disponível na App Store mundial.

A iniciativa foi de dois desenvolvedores do sul da França, que pensaram em fazer um aplicativo para a comunidade que quer demonstrar sua união em torno do atentado ao Charlie Hebdo, na última quarta. Uma grande passeata nacional está prevista para este domingo, e por isso seria urgente que o aplicativo fosse aprovado a tempo de aproveitar esta mobilização.

Para resolver isso, os desenvolvedores enviaram um email diretamente para Tim Cook na sexta a noite, explicando o caso e solicitando que fosse aberta uma exceção na aprovação do aplicativo. Dez minutos depois, eles já tinham uma resposta. Sim, era possível aprovar o aplicativo em apenas 1 hora, mas com uma condição: o app tinha que ser associado a algum veículo de imprensa. Foi o tempo então de buscar um apoio; no final, o jornal Nice-Matin foi quem publicou o aplicativo.

O app é simples: seu objetivo é marcar em um mapa as pessoas que apoiam a causa “Je Suis Charlie“, para mostrar graficamente o quão grande é a união dos franceses contra o que aconteceu e, inclusive, ao redor do mundo. O app é gratuito e pode ser baixado neste link.

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Celso Pimentel

    Apesar de acompanhar o blog sou suspeito de fazer qualquer comentário a respeito desta iniciativa, penso diferente e ela me soa um tanto demagógica em virtude de milhares de pessoas inocentes que morrem todos os dias neste mundo, inclusive aqui no Brasil. Porque não fazem um aplicativo pela PAZ mundial?

    • Rafael Miranda

      Celso, pense um pouco mais diferente. Acredito que quem teve essa iniciativa de fazer um app buscando a paz (localmente) em Paris, também busca a PAZ mundial. Não são coisas excludentes.
      E a pergunta que vão lhe fazer será bem simples: Porque você não faz um app pela PAZ mundial?

      • Celso Pimentel

        Não sei fazer… :o(

      • Depende o que vc entende por paz mundial. Respeitar faz parte do que é necessário para a serenidade da paz. Por exemplo, uma religião proíbe entre seus seguidores imagens de seu líder religioso. Eu posso até não ser da mesma religião deles, mas se é a doutrina deles, para que raios eu vou criar? Em nome de liberdade de expressão? Isso soa mais como desrespeito as cresças alheias do que liberdade de expressão, que tem limites e muitos não entendem isso. Veja que são coisas diferentes sentar em uma rede e debater existencia ou não do ser superior, e simplesmente fazer caricatura pejorativa dele. A paz vem quando ambos os lados entendem isso. É um bom papo para uma mesa de bar =)

        • Celso Pimentel

          A solidariedade humana tem que ser praticada todos os dias (ninguém aqui está falando em deus) e não só quando um fato excepcional justificar uma extraordinária.

          • Celso, falei que é uma boa conversa para se fazer com cerveja XD

            Por exemplo, você pode entender o app como solidariedade, mas na visão errada, é apenas mais um objeto de intolerância. Claro, não julgo correto o atentado, longe disso, os culpados devem ser punidos, mas todas essas ações fazem pessoas ficarem contra pessoas na visão errada. E para um extremista, isso já serve de pretexto, mesmo não sendo a ideia.

            A título de curiosidade, certa vez eu conheci duas garotas que foram “mutiladas” em cerimónia do clitóris. Fui como um bom bocó com minha “opinião formada” questionar “vocês acham isso certo?”. A resposta delas, se alienadas ou não, é outro papo também, mas me disseram que foi um sinal de respeito a mulher. E ainda nos atacaram “algo que vocês não tem quando exibem o feminino como carne na televisão, filmes ou festas”. Ou seja, há muito mais quibe na conversa do que esperamos. Por isso sou sempre aberto a ouvir o que tem a dizer, e sempre julgo como chave primordial para a compreensão o respeito. Posso até moralmente não concordar com aquilo, mas respeito. Acho que bebi um pouco a mais pq nem sei pq escrevi isso haha.

            • Celso Pimentel

              Com esse calor uma cervejinha estupidamente gelada num boteco, ia bem… :o)
              Vlw meu Jovem, um abraço!

        • É uma questão de pesar quais são os valores mais importantes numa sociedade. A charge pode ter sido pejorativa? Sim, pode. E praticar atos de terrorismo em decorrência disso é justificável? Não nas regras da sociedade francesa, tampouco para a imensa maioria dos países ocidentais. É sim um bom papo, mas a questão pode ser um pouco simplificada do ponto de vista prático. Simplificando quando estamos numa casa seguimos a regra da casa. Na França a liberdade de expressão talvez seja considerado algo mais sagrado que a religião, a religião não deve ter poder, basta lembrar quando Napoleão colocou a coroa na própria cabeça. Viajei?

          • Mas ai vira a mesa Krikaoli, quem provocou quem primeiro? Não da para simplificar tanto assim sem por a culpa em alguém, alguém provou, um extremista respondeu. Continuo batendo na tecla de q liberdade de expressão vem somente depois do respeito. Do contrário, vc poderia chamar qualquer um na rua, se essa for sua opinião, de “viado” e pronto, sua opinião. Mas quem recebeu, vai gostar do termo pejorativo? Se eu simplesmente dizer que o cara é homossexual ou tem uma opçao sexual diferente da minha, eu estou dizendo a mesma coisa, sem ofender ninguém. Entendeu a diferença?

            Quero ilustrar o post com uma foto: com esse calor, só uma cervejinha em casa no ar condicionado mesmo XD

          • Celso Pimentel

            Não viajou não.
            Hoje na Folha de São Paulo tem uma matéria “As contradições do discurso da liberdade” associada aos grandes meios de comunicação, inclusive no Brasil.
            Dá uma olhada no Google!
            Abs

            • Celso, encontrei outro artigo exatamente sobre esse assunto, escrito por Claudio Tognolli, vale a pena a lida, pesquisa por ”
              “A marcha dos 4 milhões na França envergonha o Brasil”.

        • Hades666

          Falou tudo….isso só vem beneficiar um país do Oriente medio que não quer dar o estado palestino, negociação deve parar por causa do atentado… 😉

          • Conversa vai, conversa vem e sempre os mesmos caras ficam em evidencia e são, de alguma forma, considerados cúmplices, ou até, culpados.

            Isso é surreal.

    • Daniel Luz

      Bom, em primeiro lugar queria dizer que isso é só minha opinião, e obviamente muitos vão concordar ou discordar de mim e de você por motivos diferentes.

      O primeiro problema que vejo com um app (ou movimento, ou qualquer coisa) pela paz mundial é que se você tem uma meta grandiosa e vaga demais, é quase impossível conseguir alguma coisa. Como o Rafael disse, não é porque você quer paz em Paris que você é oposto à paz mundial, é simplesmente que é preciso começar pequeno.

      A outra questão, e mais importante, é que isso é uma reação a uma ocorrência recente, e representa um momento de dor deles. Eu concordo que o app não é o que vai mudar o mundo, mas devemos respeitar o sofrimento alheio e deixar que expressem sua solidariedade. Ou interrompemos velórios para falar que existem milhões de outros mortos por aí?

    • Wilan Carlos da Silva

      Eu já penso diferente, porque você ai contrario de criticar a ideia não pega você mesmo e cria um App para a paz mundial? Se for seguir sua linha de raciocinio nunca iriamos fazer nada por uma causa especifica, porque sempre vai ter uma causa geral e mais que esta.

      • Celso Pimentel

        Se eu soubesse fazer um aplicativo pela PAZ mundial, eu faria sim e solidariedade humana tem ser praticada todos os dias, não é só quando um fato excepcional cria uma expectativa.

    • Demagógico pra nós? Talvez. Demagógico para eles? Talvez não.

      Talvez soe um pouco demagogia para nós, brasileiros, mas a nossa perspectiva é atormentada por uma realidade grotescamente diferente a de um cidadão francês, ou europeu. Brasileiro convive com malandragem (tirando os italianos nesse último ponto)

      • Celso Pimentel

        Editei para “hipócrita”, jovem!… soa melhor!
        Abs

    • Parabéns. O seu comentário foi uma excelente participação Celso. Abraços.

  • Diego Castilhos

    Olha… Eu sou completamente contra o terrorismo e fiquei horrorizado ao ver os videos do ataque ao jornal, mas mesmo assim, não seria hipócrita de levantar a bandeira “Je Suis Charlie” se eu também sou totalmente contra a forma como este jornal difunde suas ideias e principalmente contra o ataque gratuito a diversas religiões como o cristianismo, catolicismo e ao islamismo, o que acabou causando toda esta tragédia.
    Se por um lado existe a liberdade de expressão, por outro lado existe a liberdade de crença. e como o ditado diz, “o direito de um acaba quando começa o do outro”.

    Quanto a aprovação da Apple para este aplicativo, não vi nenhum problema. Foi a forma que a apple encontrou para se solidarizar com as vítimas. O fato de exigir que um veículo de imprensa apoiasse o app, demonstra a preocupação da empresa em não fomentar aproveitadores.

    • João Lucas

      Penso a mesma coisa.
      Sem querer defender o terrorismo, mas agora os franceses querem fazer passeata, protesto, manifestação, luto eterno…
      Mas na hora de fazer piadinha zoando e humilhando a religião dos outros, todo mundo riu.

      • André Pelegrini

        Riram e agora deveriam ficar em casa porque é “hipocrisia” sair para a rua fazer passeata, protesto, manifestação e luto eterno contra um ato sem qualquer tipo de justificativa?!

        Tá de brincadeira né parceiro?

    • André Pelegrini

      Eu entendo sua posição, mas tenho que discordar disso aqui “eu também sou totalmente contra a forma como este jornal difunde suas ideias e principalmente contra o ataque gratuito a diversas religiões como o cristianismo, catolicismo e ao islamismo, o que acabou causando toda esta tragédia.”

      Se eu te disser que Deus não existe, é produto da imaginação humana e que o Islã é apenas uma sacada genial de um cara que morreu séculos atrás para concentrar o poder e reunir diferentes tribos e que seus sucessores vivem em guerra e nem sabem mais o porquê, você vai achar mesmo que isso é causa suficiente para me impedir de espalhar essa ideia? Ou mesmo seja motivo de CAUSA para ser morto por uma ideia?

      Eu acredito em Deus, podem fazer um quadro dele comendo o rabo de alguém ou do próprio Jesus cheirando cocaína meu amigo, isso não vai me fazer achar que a pessoa que fez isso deve pagar com a própria vida um ato digno de somente ignorar….

      Não me surpreende a sociedade brasileira ter tanto tabu com homossexualismo, aborto e drogas.

      Só para finalizar, o direito do jornal com a liberdade de expressão não seria problema nenhum quando encarada por pessoas desenvolvidas, tanto que a própria tiragem do jornal antes dos atentados não era digna de nem de jornal informativo de cidade pequena. Os ofendidos que “vingaram o profeta” e outros malucos que ferem a imagem do Islã e de tantas outras religiões é que são a causa do problema.

      • Eu postei parte dessa resposta para outra pessoa, mas acho que serve aqui tb:

        Em nome de liberdade de expressão? Isso soa mais como desrespeito as cresças alheias do que liberdade de expressão, que tem limites e muitos não entendem isso. Veja que são coisas diferentes sentar em uma rede e debater existência ou não do ser superior, e simplesmente fazer caricatura pejorativa dele. Nunca vi nenhum terrorista agredir ninguém mais culto que deu sua opinião, apenas as agressões a provocações baixas. Enfim, vc disse liberdade de expressão, mas esqueceu que ela também envolve algo chamado respeito.

        • André Pelegrini

          Blza KabumDa, espero que use a Kabeça para rebater isso aqui: “Enfim, vc disse liberdade de expressão, mas esqueceu que ela também envolve algo chamado respeito.” Blza, o Charlie Hebdo fazia caricatura com falta de respeito – e concordo com isso, eu não compraria um jornal de mal gosto feito aquele, porque certamente não me adicionaria nada – mas onde ele é que nesse mundo eles ultrapassarem os “limites” justifica a morte por ato terrorista?

          E se o problema é com a sociedade civil a Constituição e as leis resguardam a preservação dos direitos e servem bem ao ditado “Seu direito acaba quando do outro começa” então nenhum tipo de argumento – ao menos para mim – justifica relativizar a gravidade dos atos terroristas.

          Se é que se pode ter segurança do que representa a palavra “Terrorista” por aqui, pois para mim parece algo muito distante do que entendo por terrorismo…

          “Nunca vi nenhum terrorista agredir ninguém mais culto que deu sua opinião, apenas as agressões a provocações baixas.”

          As vítimas cultas do 11 de setembro, as do metrô em Madri e as milhares espalhadas pela África mandam lembranças.

          Oo

          Quer dizer que se em qualquer lugar do mundo alguém faz agressões e provocações baixas contra um assunto qualquer daí é compreensível sofrer um atentado!?

          Na boa, esse pensamento me parece com o de culpar a mulher que veste saia e blusinha quando é estuprada na rua ou culpar o cidadão por andar à noite na rua quando é assaltado e fechar os olhos para as causas do problema que são a má educação de nossos jovens ou a deficiente prestação de serviço do Estado.

          • Você exemplificou da melhor forma possível o que é intolerancia e falta de respeito alheio ao usar o termo “Kabeça”. Meu nick é sim para ser divertido, parte do que faço na internet é me descontrair.

            Enfim, em nenhum momento eu defendi os grupos extremistas. Apenas disse que uma ação causa outra. São coisas diferentes. Uma alimenta a outra. Mas pelo visto alguns não entendem assim. Faz parte da vida.

            • André Pelegrini

              “intolerancia e falta de respeito alheio”?!

              Falta de respeito = Caricaturas do Charlie Hebdo
              Intolerância = Psicopatas que mataram sem um motivo aceitável.

              Se a minha piadinha sobre seu nick (Que era para ser divertida) foi considerada um exemplo a ser colocado em situação semelhante ao atentado terrorista então meu amigo temos valores muito diferentes sobre tolerância e respeito.

              Jamais uma ação de desrespeitar seja o que for deveria alimentar a ação de assassinato em qualquer ordem. Esse é um mal da sociedade, o que acontece – infelizmente – é que a violência hoje é algo banalizado, não causa tanto espanto.

              É isso o que não entendo. Enfim, “Faz parte da vida”.

  • Victor

    Um aplicativo deste tipo não pode ser usado também a favor de algum tipo de atentado terrorista uma vez que você sabe em tempo real onde se encontram o maior número de pessoas embasadas nesta mesma causa? Just saying…

  • Hades666

    Com tantas causas para apoiarmos…..negros na África morrem aos milhares, ninguém faz aplicativo….pois é…

    • Henrique Imperial

      Sabia que alguém ia aparecer falando isso… Se você se refere aos que são massacrados em alguns países, creio que devemos ter em mente que esses países vivem guerras civis. Não estou dizendo para esquecermos estas pessoas como se nao fossem humanos morrendo injustamente também, mas o que quero dizer é que esse massacre do jornal frances foi um ataque terrorista, que aconteceu de modo inesperado, etc… Não consigo encontrar as palavras para me expressar direito, mas é como se gerasse uma comoção maior pelo fato de ser algo MUITO inesperado com uma dose de violencia elevadissima, enquanto os que morrem em paises que vivem guerras civis são meio que esperados que acontecam, até porque é um problema interno do lugar que ja acontece ha algum tempo…
      Espero que tenha entendido o modo como enxergo a situaçao! Abraços!

  • Maykon Astor Yaksic

    Esse App não facilitaria para os terroristas? Já que mostra a localização? Só um pensamento.

  • Danilo Araujo

    Este tópico o está parecendo o programa da Márcia hahhahahahahahahhahahahahaha

  • Pedro Leão

    Nossa que comentários viu!? Quer dizer que eu não posso falar o que quero senão vão me matar!? O mais interessante é que eles acreditaram numa coisa, mataram pessoas por isso e morreram acreditando que fizeram uma boa ação, quando na verdade eu tenho certeza que o resultado não foi o esperado por eles, foi exatamente o oposto! Eles não mataram a Charlie Hebdo, mais viva do que ela está agora impossível, eles a tornaram mundialmente conhecida, todas as capas e críticas polêmicas agora estão mais expostas que nunca e eles acabaram mortos também… mesmo assim alguns ainda os defendem, medo dessa humanidade viu…

  • Tim Cook é um exemplo de CEO.

  • Reinaldo

    Dá é nojo essa idolatria idiota.

  • AurelioLMF

    Acho que vocês perderam o foco da matéria.
    1- o quão rápido a Apple colocou um aplicativo em sua loja
    2- nada se resolve com violência.
    3- o humor como forma de abrir os olhos da população. Nosso antigo Casseta & Planeta fazia o mesmo.
    4- fazer aplicativos úteis, sejam sociais, culturais, entretenimento, por uma causa, sempre é válido. Ninguém tem a real dimensão dos fatos. Vide o viral da campanha balde de gelo.

    Infelizmente não sei quantas pessoas se mobilizam para causas mundiais de mortes, fome ou Paz Mundial, mas sei que se cada um fizer um pouco, aos poucos melhoraremos o cenário que não queremos. Mas comece revendo suas atitudes. Quem sabe se com um pouco de humor, tudo fique mais aceitável?

  • Fernando Dos Santos

    Uau! Não sei porque tanto mimimi em relação às caricaturas do semanário Charlie Hebdo. Se as pessoas se lembrassem que pensadores como Voltaire, Montesquieu ou Descartes não tivessem criticado de forma veemente a Igreja Católica, talvez ainda estaríamos na Inquisição. E sim, nosso país também tem seus problemas, mas isso não invalida a causa contra o terrorismo, motivada pelos tristes ataques nesta semana em Paris. Ademais, ponto para Tim Cook e a Apple que mais uma vez souberam enxergar além de meros conceitos: tal evento mobilizou uma quantidade nunca antes imaginada na França e em toda a Europa. E viva a liberdade de expressão!

    • juhnior

      Como você não sabe o porquê das críticas às caricaturas dele?! O cara transformou a ministra Christiane Taubira numa macaca! Desculpa, cada um tem sua opinião, respeito a todos e peço que respeitem a minha, mas isso é racismo pra mim.

  • Marcvs Antonivs

    A Apple e seu proselitismo…O Ocidente e sua hipocrisia. Todos os dias centenas de pessoas são mortas no Oriente Médio – apenas para ficar restrito a essa área do Globo – em consequências de interferências diretas ou indiretas de países como a França. França que desenvolveu no norte da África – árabe e muçulmana – e no Oriente médio nos séculos XIX e XX um dos colonialismo mais nefastos que levou à morte milhares – se não milhões – de pessoas inocentes! O Ocidente se reuniu na França no dia de ontem para berrar contra a morte de 12 pessoas em Paris. Quem se reuniu em Paris para berrar pela morte de milhões, provoca pela França, pela Inglaterra, por Portugal, pela Espanha ao longo da história do colonialismo europeu?? Isso não conta?? Aquelas mortes, aquele sofrimento estão longe demais de nós para nos sensibilizarmos delas??? Pois digo-lhes uma coisa: As mortes em Paris, nada mais são do que consequências do que a França, mas não apenas ela, fez e tem feito no Oriente Médio. Como disseram durante a manifestações de 2013: NÃO SÃO APENAS PELOS 20 CENTAVOS, BITCH. No caso do que houve em Paris também não foi apenas pelo Charlie, podem ter certeza disso.

  • Lauro

    É muito fácil dizer tudo isso quando o acontecido foi no quintal dos outros….. se fosse no nosso quintal….

  • iLex, uma pequena correção: a equipe de aprovação da Apple funciona e aprova aplicativos em finais de semana também. Trabalham 7/7 (a única exceção é a tradicional pausa da semana do Natal). 😉

  • Douglas Fischer

    Exagero! Já tive apps aprovados em menos de 2h.

    • É, Douglas,o certo é você.
      Todos os milhares de outros desenvolvedores também possuem apps aprovados em poucas horas e isso é completamente normal na App Store.
      O blog é que está errado e é exagerado.

      • Douglas Fischer

        Certo.

        • Douglas Lima

          ops