AppleNotícias

Apple se solidariza com as vítimas do atentado em Paris em sua página francesa

je suis charlie

Em sua página francesa, a Apple hoje incluiu uma faixa negra com os dizeres “Je suis Charlie“, em referência ao ataque à redação do jornal semanal Charlie Hebdo, que aconteceu ontem em Paris matando 10 jornalistas. A frase, que virou uma espécie de slogan de solidariedade às vítimas, representa a união de todos a favor da liberdade de imprensa e contra atos bárbaros de violência como os que aconteceram na última quarta-feira.

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.
  • Exemplo!

  • Orlando Junior

    Referencia

  • Alex iPilot

    Estou enojado… Claro que qualquer violência é condenável, mas… Na Nigéria, DEZENAS, CENTENAS de pessoas são METRALHADAS por grupos islâmicos nas ruas cada semana, cada mês! São homens, mulheres e crianças que nunca fizeram absolutamente coisa alguma que desrespeitasse a religião alheia, nunca usaram o discurso da “liberdade de expressão” para provocar e fazer piada com as crenças sagradas de ninguém… São EXECUTADOS no meio da rua e NINGUÉM DIZ NADA!!! Me desculpem, mas eu tenho NOJO dessa HIPOCRISIA.

    • Dorinhavasc

      “Qualquer ato de violência é condenável”, é revoltante, é triste por demais, seja ele praticado em humanos, em animais. Em fim nenhum ser vivo tem o direito de cometer violência, seja ela qual for.
      E nem é preciso ir tão longe como a Nigéria, aqui mesmo no Brasil anda acontecendo barbaridades diariamente. 🙁

    • Carlos Frederico

      Violência e barbaridades acontecem em todo lugar. O problema é que nesses lugares que você mencionou, infelizmente, não fazem diferença, se é que você me entende. Não dá para generalizar e chamar todos de hipócritas. Se pensarmos dessa maneira, então somos culpados de tudo e só o fato de estarmos aqui em nossos computadores significa que não somos bons porque não estamos ajudando com doações para as milhares de crianças passando fome na África.

      Do ponto de vista moral, eu concordo em tudo contigo. Mas na prática e realidade, é impossível de colocar essa moralidade toda.

      • Jack Anao_Tequila

        Bem colocado.. Muito triste mesmo assim.

      • Alex iPilot

        E talvez não sejamos bons, mesmo, se pudermos fazer e não fizermos por falta de vontade, iniciativa…

        Eu, particularmente, sinto-me “atingido” por isso que chamo de hipocrisia porque trabalho na Nigéria, tenho passado metade do ano lá… Não consigo aceitar que seja banal que centenas de pessoas INOCENTES sejam fuziladas por mês num lugar enquanto que uma dúzia vire comoção mundial porque aconteceu em Paris… É excesso de moralidade isso?

        • Carlos Frederico

          Ah, mas veja que agora você está justamente no contexto que eu coloquei: nós nos importamos com coisas que nos afetam diretamente ou indiretamente. A Nigéria te atinge (e com razão, senão você seria um psicopata caso não sentisse) justamente porque você TRABALHA lá. Agora para e pensa: como é na China? E na Índia, com o seu absurdo sistema de casta que gera os chamados indigentes? Entende onde eu quero chegar? Não se trata de excesso de moralidade, embora você tenha colocado bem isso, mas sim da impossibilidade de ter de se importar com tudo. De situações intangíveis.
          Então você (e eu) se pergunta: por que diabos o atentado em Paris chama muito mais atenção? Simplesmente porque Paris é uma cidade conhecidíssima internacionalmente, as pessoas que morreram faziam um trabalho conhecido, de muito impacto, etc. Tantos motivos que somados levam a essa comoção mundial.

          Por isso não se trata bem de uma hipocrisia (embora seja, claro! As vidas possuem valores iguais!) e sim de afeição direta ou indireta. Senão “nóis pira mesmo”!!!

          • Leonardo Freitas

            Resposta perfeita! Existem “outras Nigérias” em nosso mundo, em nosso país. Se pudéssemos, nos importaríamos com tudo, mas é impossível sequer conhecer todos os acontecimentos.

            Eu, por exemplo, só fiquei sensibilizado com a questão da Nigéria agora porque você comentou. Até então eu desconhecia a gravidade.

            • Alex iPilot

              O portal sul-africano news24.com é a MELHOR fonte de notícias sobre o continente africano… Entre as “grandes redes”, a BBC é a primeira a repercutir alguma coisa, ainda que atrasada… Como foi com o caso das 400 meninas nigerianas sequestradas.

      • CharlieHebdoNaoParaBalas

        “Violência e barbaridades acontecem em todo lugar. O problema é que nesses lugares que você mencionou, infelizmente, não fazem diferença, se é que você me entende.”

        Eu não entendo. Quem disse que não faz diferença? E mesmo que não fizesse, no que isto justifica o posicionamento hipócrita destas empresas?

    • Danilo Araujo

      Fica ai com meu Like

      • Alex iPilot

        Opa!!! Obrigado, valeu! É do tamanho certo e na cor que eu queria! 🙂

    • Leonardo VimpriO

      R: ao pé da letra amigão? São pobre, pretos e miseraveis! a apple colocar a bandeira da Nigéria ai, ninguém não vai nem saber do que se trata. É levar um tapa na cara e fazermos nada!

  • Esses acontecimentos me fazer questionar se estamos mesmo vivendo no século 21.

    • Alex iPilot

      Pois alguns me fazem TER CERTEZA… 🙁

  • Faço questão de ver os quadrinhos que incitou os fanáticos. A tiragem era de 60 mil cópias, agora depois da tragédia já está ultrapassando a casa do milhão e tomara que tenham ainda mais. Je suis Charlie!

    • Alex iPilot

      Observe que para eles não importa a tiragem, não importa se bilhões de pessoas virem agora os desenhos… Na maneira de pensar, mesmo que ninguém os visse, somente a existência dos desenhos ja seria desrespeitoso.
      E coloco “lenha na fogueira”: até que ponto alguém tem o direito de ridicularizar nossas crenças? Sem que nós consideremos violência? Até que ponto, ou melhor, QUEM pode fazer piada ou rir de nós, sem que revidemos (da maneira que acharmos apropriado)? Jornalistas, artistas, … Quem?

      • Alex, eu entendo perfeitamente seu ponto de vista e sua indignação. Eu estava na França na época destas charges, em 2011, e lembro de ter achado absurdo e até sem graça na época este tipo de provocação. Ainda na época, muita gente foi contra e também dividia a mesma opinião que eu. O Charlie Hebdo nunca foi unanimidade e nem todo mundo via graça nele, ao contrário da ideia que querem passar hoje depois da tragédia. Não dá para dizer que “era inocente”.
        Cheguei a me questionar se, em nome da liberdade de imprensa, eles fizessem charges tirando sarro pejorativamente dos brasileiros, por exemplo. Como eu, enquanto brasileiro, me sentiria? Uma coisa é você não concordar com algo e querer falar sobre isso. Mas usar o humor pode ser ofensivo, e a mensagem não chega como deve na outra parte.
        É uma característica muito francesa provocar a outra parte com o objetivo de fazê-la pensar sobre algo. Mas nem todos conseguem entender isso e o resultado acaba sendo outro.
        Seja como for, reagir com violência nunca poderá ser justificado. É uma resposta desproporcional e nada humana.

        • Claudinei Vorussi

          Liberdade ou libertinagem de expressão

        • Alex iPilot

          Penso que a validade da crítica morre na falta de respeito… Condeno ambos: o desrespeito e a violência… O que aconteceu era esperado, a revista provocou com grave desrespeito alguns indivíduos extremamente violentos. No meu ponto de vista, a revista ainda expôs inocentes à fúria violenta da vingança dos extremistas… Ora, que os artistas assumam a responsabilidade por seus atos, tudo bem, então que arquem SOZINHOS com as consequencias, mas envolver outras pessoas que nada ter a ver com o caso… Também não tem justificativa nem desculpa.

      • Marlon Fuhlendorf

        A charge eh uma forma de humor crítico. Eles fazem com todo mundo, até com o presidente deles. Pq só esse tema não pode? Pq só esse país é esse povo não pode ser criticado? A gente tem q se calar, não criticar um país que mata milhares de pessoas de forma gratuita e usa a sua religião pra justificar isso?! Não! Eles têm a ser criticados sim. Eles têm q ser colocados em cheque sim. podem não gostar, mas nada justifica oq eles fazem.

        • Felipe

          Mas a revista desrespeitou a crença deles, porque o alcorão diz que é proibido representar o deus deles (desculpas falar assim, agora eu esqueci o nome), mas como o iLex disse e compartilho o mesmo pensamento, responder com violência seja em um protesto na Avenida Paulista porque o governo não faz do jeito que você quer ou numa revista francesa porque desenham o que você não quer é idiotice.

        • Alex iPilot

          Por partes: a questão não é o DIREITO DE CRITICAR, mas o DIREITO DE OFENDER… A crítica inteligente é saudável e poderia ser através da arte, como no caso… Mas o que fizeram foi o desrespeitar o que alguém considera sagrado. Talvez você e eu não consideremos sagrado, ok, mas nossa opinião diferente não nos dá o direito de desrespeitar a crença alheia. Penso que você confunde crítica com desrespeito.

          Por outro lado, baseando-se em sua opinião de que “eles tem que ser colocados em cheque”, também deveríamos aceitar a retaliação deles, calados. Quem bate deve estar preparado para apanhar…

          • Marlon Fuhlendorf

            Continuo com a mesma opinião. É um país que mata milhares de pessoas e usa a religião pra justificar isso. Alias, matam ou prendem as pessoas que querem deixar essa religião e se converter pra outra. Pra mim isso tem que ser criticado sim. Até pq, sagrado por sagrado, a vaca é sagrada na índia, nem por isso, as pessoas deixam de comer, ou de brincar com ela. Pq? Pq é humor. E só esse povo que responde com violência.

        • KB

          Não recordo de ter visto isto divulgado na nossa mídia, mas vale a reflexão: http://bit.ly/1tUi8rI

  • Danilo Araujo

    A maioria das pessoas no Brasil não sabe nem quem é Laerte,Ziraldo…E ficam fazendo de conta que sabem quem são estes da França.

    • Alex iPilot

      Isso mesmo! Bem lembrado! Saudades do PASQUIM, em suas várias vidas… Aquilo era crítica inteligente através da arte! Eu era leitor assíduo e não me recordo de ver desrespeito nas charges nem na época dos escândalos do Collor!

  • Bruno Laia

    acho muito legal por parte da empresa fazer essa homenagem, porque são poucas as empresas que fazem isso, eles querem mostrar que Apple é para o povo, e não como pensam alguns neste país, que Apple é “status” vamos mudar essa concepção, isso que eu entendo quando eles fazem essa homenagem

  • Paddington Bear

    Esses “abdudemerda”! Vão lê a Bíblia, senão Deus e Jesus vem e mandam vocês pro inferno numa viajem sem escala.