App StoreOpinião

Opinião: Por que os brasileiros não gostam de pagar por aplicativos?

App Store

Está semana que passou, aconteceu um lançamento muito esperado: o pacote Microsoft Office para iPad. O aplicativo possui a qualidade e beleza que ele merece, mas muitos usuários o desqualificaram pelo simples fato de ser preciso pagar uma assinatura mensal para usá-lo. E isso é só um exemplo de como tratamos os aplicativos que são cobrados.

Qual a razão dos brasileiros desqualificarem um produto só por ele ser pago?

História da App Store

Nos anos em que os computadores dominaram a vida digital, somente as grandes empresas de software conseguiam distribuir e vender mundialmente seus programas, que custavam dezenas (e por vezes centenas) de dólares para o consumidor final. Pequenos programadores tinham uma abrangência muito pequena, muitas vezes se limitando a nichos ou ao mercado local.

A App Store, em 2008, mudou radicalmente isto. A grande revolução feita por ela foi permitir que pessoas comuns criassem e publicassem seus próprios aplicativos, sem a necessidade de pertencer à grandes corporações. Hoje, até mesmo um menino de 12 anos pode criar seus apps e vendê-los no mundo inteiro, de forma MUITO fácil. A Apple se preocupa com servidores, configurações, cobrança em moeda local e pagamento. O desenvolvedor só precisa se preocupar com o próprio app, que pode ser feito com ferramentas disponibilizados pela Apple que facilitam ainda mais a criação.

Com o enxugamento da estrutura, aliado à uma maior distribuição, é possível diminuir muito o preço, o que permitiu que diversos aplicativos fossem vendidos por $0,99. Não há mágicas aqui: quanto mais se vende, mais o retorno paga os custos da produção. Esta fórmula dos 0,99 foi usada pela própria Apple para vender música digital na iTunes Store, o que salvou a indústria fonográfica nos anos 2000.

Tudo é lindo na teoria, mas o que acontece quando as vendas não são suficientes para pagar os custos mensais do app?

O lado do desenvolvedor

Conforme discutimos na edição 2 da Revista iThing (download gratuito), esta cultura do 0,99 acabou virando uma “ditadura”, uma imposição do mercado. Qualquer app que custe mais do que isso acaba sendo considerado “caro” pelo usuário.

Mas se pensarmos de maneira prática, criar um app tem seus custos. Em uma empresa de software, há salários, aluguel, licenças e taxas a pagar. Já para um desenvolvedor individual, o custo é menor, mas ainda existe: o tempo que o desenvolvedor dispensa à criação e elaboração de sua ideia, o tempo que ele dedica a aprender programação e pesquisar as melhores referências, além de custos práticos como conta de luz, água, comida e taxas diversas (como a anuidade de US$99 da Apple). No mundo em que vivemos, é muito difícil sobreviver sem um emprego fixo, e se quisermos empenhar nosso tempo em algo que achamos legal, isso tem que dar um retorno financeiro mínimo, para que não sejamos obrigados a largar tudo.

Você, que está lendo este texto: se imagina fazendo algo bem legal, mas sendo obrigado a pagar seus gastos com o próprio bolso, sem ninguém lhe dar nada em troca? Em ações de caridade, isso é louvável. Mas a App Store (ou qualquer outra loja de aplicativos) não é uma instituição de caridade.

Um desenvolvedor que não consegue pagar as próprias contas com seus aplicativos, acaba desistindo e fazendo outra coisa na vida, e é o que muitos brasileiros já fizeram. Se vários na App Store seguirem este caminho, qual será o resultado? Ficaremos cada vez com menos opções legais na loja.

Ou seja: cobrar por aplicativos não é algo ilógico ou “desonesto”, muito pelo contrário. É uma maneira sustentável de oferecer um produto ou serviço para os usuários.

O pensamento brasileiro

Porém, o que se vê em grande parte dos usuários brasileiros é uma aversão a pagar por alguma coisa, mesmo que ela traga um conteúdo de qualidade. Qualquer aplicativo que custe algo já é bombardeado de reclamações do tipo “Não vou pagar por algo que pode ser encontrado de graça na internet” ou “Malandro! Quer ganhar dinheiro às nossas custas“. Ou pior: “Era muito bom quando era de graça, mas agora que ficou pago, é uma droga“.

[É bom destacar que felizmente não são todos os brasileiros que pensam assim].

É claro que há aplicativos que simplesmente não valem o preço que cobram, mas este tipo de usuário não parece fazer distinção quanto à qualidade e sim pelo valor monetário, sem se dar conta que este tipo de pensamento só favorece os aplicativos ruins, ao fazer com que os bons deixem de evoluir por falta de recursos.

A impressão que dá é que, no Brasil, a palavra lucro é um pecado imperdoável. Isso é bem cultural e talvez seja resultado da divisão hereditária de classes que existe há séculos no país. Lucro é “coisa de rico“, então quem quer tê-lo na verdade “quer se aproveitar da classe dominada“.

Também tem o fato de sermos enganados e mal-tratados a todo o momento por serviços no país, como operadoras, bancos e golpes na internet, o que nos faz sempre ficarmos com um pé atrás sobre tudo e todos. E aí, quando temos que “investir” em algo para tirarmos proveito, surge a eterna desconfiança. Provavelmente venha daí o sentimento de “estarmos sendo enganados” ao precisar pagar por algo.

Mas este tipo de pensamento acaba nos atrasando. Não investimos em bons aplicativos e, consequentemente, eles acabam não recebendo apoio suficiente para serem continuados ou até melhorados. Cada vez menos desenvolvedores brasileiros investem na plataforma e com isso, a tendência é termos cada vez menos opções nacionais boas na loja.

Bom senso

É importante deixar claro que não estamos dizendo que todos os aplicativos disponíveis devam ser pagos. O que queremos passar com este texto é que nossa cultura de “não pagar por nada” precisa mudar e devemos começar a avaliar os apps considerando também os benefícios que ele nos trará, que deve ser proporcional ao preço. Por exemplo, para alguém que raramente visualiza tabelas do Excel no iPad, talvez não valha realmente a pena pagar uma assinatura mensal por isso. Já quem trabalha muito com tabelas e ganha muito ao ter a praticidade de acessar suas planilhas no tablet, vai achar o preço muito em conta, principalmente se já usa o Office no computador. O valor de US$49,99 por um aplicativo pode parecer uma fortuna para os padrões da loja, mas muitos usuários que pagaram isso pelo TomTom o usam tanto que já acham que o valor “se pagou” com tantas vantagens que ele gerou.

Temos que abrir nossa mente e estarmos preparados a pagar por qualidade, se aquilo vai nos trazer um benefício real no nosso dia a dia. Isso só nos fará crescer como consumidores, o que atrairá cada vez mais os olhares de gente disposta a oferecer bons produtos e serviços.

Comece por você: pague sem culpa por aplicativos que você considerar bons. Todos nós saímos ganhando com isso. 😉

Tags
Mostrar mais

Ale Salvatori

Applemaníaco desde 1995, quando precisou aprender a usar um Mac em uma semana para conseguir um emprego em uma agência de publicidade. Acha que a Apple não é mais a mesma depois da saída do Gil Amelio.

Artigos Relacionados

  • iGuh

    E por isso que a maioria dos brasileiros buscam o jailbreak pra usar aplicativos piratas… e tira real intuito do desbloqueio.

    • Ricardo Tuka

      Cara, eu não entendo pessoas que pagam 2 ou 3 mil reais num aparelho e pirateiam apps de 1 dólar.

      • Rodrigo

        pq eles compram algo que não podem pagar e se endividam em 1001 prestações de R$ 3,00 das casas Bahia.

      • roberto

        justamente por isso não pagam mais nem 1 dolar ja que pagou ou 3 mil no aparelho não acho justo pagar por aplicativo,sim eu concordo que o cara que trabalhou deva receber mas quem tem que pagar e a apple que lucra pra caralho

        • Rodrigo

          Sua faxineira paga para ir trabalhar na sua casa ou ela cobra? Neste seu pensamento daqui a pouco vc dirá a ela: “me dá “100zao” para vir faxinar!!

          • Lucas Dangas

            Acho que na idéia dele quem tem que pagar a faxineira é o Veja que lucra pra caralho!

        • Dinnosan

          Pessoas que pensam e fazem como vc, contribuíem com a pirataria e são a prova viva que não colaboram na sociedade onde vivem.
          Não deveriam estar usando smartfones se não concordam em pagar pelos aplicativos que usam, mesmo quando o valor é irrisório.

          • MARCO MAIA

            Só uma coisa. Pirataria é COMPRAR um produto original de um atravessador. Se vc baixa de graça um produto que é pago, isso não é pirataria. Vamos aprender a definir melhor as coisas …

        • E este é um pensamento imbecil, típico da gentinha brasileira.

        • Tiago Albuquerque

          Você já gastou 1 milhão no seu apartamento, ter que pagar condomínio e IPTU parece muito injusto também… -,-

          • Daniel Alencar

            O Brasil e o mundo estão cheios de injustiça, e há muitos pontos que as pessoas nao dão a mínima. Nao adianta ninguém ficar fazendo comparação.

          • Amigo, não é o fato de pagar o IPTU que é injusto. Pois o IPTU, em tese te garante a segurança para chegar até seu imóvel, aslfato e saneamento básico e outras coisas, porém o problema é quando o estado, responsável na democracia para cumprir isso, em nosso país é 100% ineficiente. O que faz ter vontade de você não pagar o IPTU, pois não tem sentido nisso.
            Mas em países como suíça, que os impostos chegam a 60% da renda, os moradores pagam sem titubear, pois TODOS os seus direitos são cumpridos com louvor.

            • Daniel Alencar

              Exatamente isso, cara! Cada vez mais nosso governo ta piorando, o que vai formando essa bola de neve que atinge toda a população em várias áreas, saúde, educação, e outros. Pq com tanta coisa errada as pessoas tentam se sair bem, ter sua parte do lucro nessa história. E acaba prejudicando outro, que tb tenta lucrar, e prejudica outro e vai indo nesse ciclo vicioso. Pq os preços de TUDO aumentou nesses últimos anos?

        • Leonardo Negrisoli

          Roberto, não faz o menor sentido o seu ponto de vista.
          A Apple entrega aos desenvolvedores todas as ferramentas de desenvolvimento e nada mais justo do que o cara/mulher receber pelo seu trabalho.

          Ou vai me dizer que vc trabalha de graça? 😉

        • Fábio

          Aff. Pq este mês você não abre mão do seu salário? Começa a trabalhar de graça para ver como é fazer app sem cobrar. Ou compra um Nokia 9100 que já vem forrado de aplicativos…
          Mentalidade lixo de brasileiro.

        • Bruno Laia

          como se a culpa de um iPhone custar 3000 mil aqui no Brasil fosse da Apple, uma pena que nosso coleguinha não adquiriu a edição da iThing que explica muito bem o porque dos valores aqui no Brasil serem tão elevados

        • Igor Volanski

          Me impressiona o fato de 7 babacas concordarem com um comentário épico sem noção desses !

          • Rodrigo

            Verdade Igor! acho que o iLex deveria criar na ithing uma seção “pérolas do blog”. O comentário épico acima seria o primeiro. Pq pagar app se gastei 3 mil?? KKKKK!!

            • Daniel Alencar

              Hahahahahaha boa

      • Helder

        Essas pessoas só pagam dois, três mil no aparelho porque não existe uma forma de conseguir o mesmo aparelho por menos ou de graça. Se houvesse uma forma, mesmo que ilegal, essas pessoas utilizariam essa forma também para conseguir o aparelho.

        Acho que a coisa é simples: essas pessoas são simplesmente desonestas. Se existe uma forma de conseguir de graça, mesmo que ilegal, elas não pagam. Essas pessoas só pagam por algo quando são “obrigadas”. Infelizmente, no Brasil, essas pessoas parecem ser a maioria.

        • Guilherme Paviani

          Me desculpem dizer, mais essa eh mais uma conversinha de mimimi de jailbreak e blablabla…afinal o q mais tem no Brasil é gente querendo se aparecer pq tem um iPhone…afff A verdade é que o brasileiro sempre quer achar um jeito “malandro” de sair ganhando nas coisas… Eu uso raramente o excel e word por isso uso os apps da apple como o pages e numbers, e acho no meu caso inviavel pagar uma assinatura mensal pelo office. Talvez eles poderiam cobrar um valor único pelo app ai sim talvez eu compraria…

        • Rodrigo

          Vai pro Paraguay e compra o aparelho por 600 obamas!!

        • aleguarita

          Mais ou menos Helder. Tem gente que realmente consegue de forma ilegal e barata, que é comprando roubado.
          O que acontece aí é que muita gente compra iPhone caro (com o dinheiro que não tem) apenas pela ostentação e exibição. Os apps, pra estes casos, são o de menos. O iPhone pode ser visto na mesa ou em uso. O app, não. Quem vai saber que vc pagou a assinatura do Office?

          • Zephon

            É por isso que eu gostaria muito que fosse feito um modelo de iPhone sem logo. Odeio essa mmentalidade de “ostentação” que a marca adquiriu por aqui. Outro dia vi uma magrela idiota saindo de dentro de uma loja da Vivo pra olhar a vitrine e falando alto pra caramba ” Ai, deixa eu ver quanto ta valeindo meu Aifône! Ainda ta 2800!”, como se tivesse algum mérito por ter gasto o valor de um PC topo de linha num celular que qualquer sacoleiro compra por 1500 no Paraguai.

        • Daniel Alencar

          Até questão de status tb, se matar pra comprar um iPhone.

      • Vinicius Marques

        É que existe uma linha de raciocínio que a maioria dos brasileiros usam que é o fato de um aparelho de 3mil reais é algo que você pode tocar, usar e usufruir dele fisicamente, um aplicativo não, é só algo virtual (“Para que comprar algo se você nem ao menos pode toca-lo?”). O problema nesse raciocínio é não enxergar esse novo tipo de mercado como uma forma útil de se gastar dinheiro, visando que os smartphones são e serão o futuro… É uma pena, pois as pessoas perdem muito o potencial de seus aparelhos com aplicativos de graça ao invés de um bem mais elaborado por 1 ou mais dólares. Infelizmente é assim.

    • Douglas Moreira

      Um dia li um comentário.. Você compra uma Ferrari zero.. E no posto tem a opção de pagar pela gasolina ou não.. Du vi do que alguem aqui pagaria somente pelo fato de comprarem uma Ferrari e poderem pagar a gasolina. Hipócritas.

      • Zephon

        Acompanha o raciocínio: Quanto tempo você acha que os postos conseguirão se manter abertos distribuindo gasolina de graça para os donos de carro? Do mesmo modo, quantos desenvolvedores vão continuar criando e atualizando aplicativos se não recebem pra isso? Faz um teste: abre o Office da Microsoft e depois um desses apps genéricos pra ver a diferença de qualidade entre o trabalho de alguém que recebe e outro que faz de graça…

        • Fillipe Nader

          O caso do posto é assim a gasolina comum e grátis e a gasolina podium é paga.
          A diferença dos apps grátis para os pagos é a qualidade (Tirando o IWork pois ele e de qualidade mas o preço já está embutido no aparelho).
          A maioria dos ”grátis” não são realmente grátis para você ter todos os recursos sempre tem que dar uma grana.

          • Zephon

            Então, dando sequencia a analogia do posto, a gasolina premium tem um maior custo de produção do que a comum. Se as pessoas começarem a abastecer seus carros de graça com a gasolina premium, que é o que ocorre com a pirataria, logo os donos de posto deixarão de oferecer essa opção, pois estão tendo prejuízo. Sem a gasolina premium para manter o alto desempenho do motor da Ferrari, o custo de manutenção dela sobe muito, então vale mais a pena comprar um carro popular.

            Um dos pontos mais fortes do iOS é a qualidade dos seus aplicativos. Ninguém compra um iPhone pra ficar somente com os apps da tela inicial. Mas se os desenvolvedores perderem o interesse, a qualidade da AppStore cai bastante. E pra usar aplicativos de menor qualidade qualquer Android de baixo custo serve…

    • JanjaBoy

      IGuh, não a maioria, não.

      • OverlordBR

        Pois é, Janja.
        O pessoal, como “nozes”, que utiliza o jailbreak de forma legal acaba sendo colocando no “pote” da marginália.
        Realmente, é o “pensamento imbecil, típico da gentinha brasileira”: achar que jailbreak é só para pirataria.

        • JanjaBoy

          Fico triste com os comentários.
          Acho que estou velho.
          Tenho saudades de 2010

    • Carlos

      Cara típico comentário imbecil.. Maioria? Fato que a maioria mal sabe pra que serve o jailbreak…. agora se a onda é criticar quem gasta 2k dilmas pra comprar um celular e piratear (o que nao é verdade), o que me diz da quantidade absurda de gente que compra iPhone e tem esses planos pre pagos de péssima qualidade… isso sim pra mim não entendo.. é ostentar algo que não tem sequer condições de manter..

      • Zephon

        Desculpe, mas ridiculos para mim são os planos pós-pagos oferecidos pelas prestadoras brasileiras. Pra quê vou pagar 300 reais em uma conta de celular se 25 reais em créditos satisfazem minha necessidade mensal?

      • Arnaldo Lage

        Nada a ver. Você está sendo egocêntrico ao dizer isso, pois deixa a falsa mensagem de que o uso de TODO mundo que tem iPhone é igual o seu. O meu plano é pós-pago, mas eu não posso considerar que todo mundo vai ter essa mesma necessidade. Conheço gente muita rica com iPhone pré-pago.

      • Cesar

        Mandou mal nessa, fera. Com pós pago eu gastava o dobro do que gasto em pré-pago. E aí, vai dizer pra eu usar pós só pelo STATUS?

    • Evandro Luiz

      Eu tenho Jb e nenhum app crackeado…. inclusive comprei alguns app no cydia
      dd-wrt, iCaughtU, Barrel, iFile, Celeste (bem antigo), lockscreen, ….

      Inclusive na App store tenho o citado Tomtom (50 obametes bailando na minha fatura).

    • Luciano Andre

      Não sei os outros, mas eu uso Jailbreak por causa de algumas coisas que o iOS não tem e pessoalmente não tenho nenhum app pirata. Inclusive já gastei mais de $30 com apps do mundo Jailbreak, inclusive com doações para ajudar no desenvolvimento de coisas que achei interessante. Sei que no passado muita gente usava o Jailbreak para ter acesso a Apps piratas, mas hoje em dia creio que pouca gente faz isso. Antes quase todo iPhone tinha Jailbreak, hj é bem mais difícil achar um que tenha, e quem tem normalmente é por causa de algum tweak que acha indispensável. Penso que o tempo de jailbreak para apps piratas passou, ainda bem.

    • Matheus Felipe

      As vezes você compra um aplicativo muito bom e ele é abandonado pelo dev sem mais nem menos. Ai você fica com um aplicativo bom sem suporte algum pelo descaso do dev. Tem que ver isso.

  • Bruno Luz

    Ótima matéria! Mas uma coisa que prejudica as compras de aplicativos no Brasil é a falta de outras formas de pagamento, levando em conta que muitos dos usuários são jovens que não possuem cartão de credito. Se houvesse a possibilidade de comprar gift cards igual na conta americana ajudaria muito. Ou até mesmo pagar por boleto, pois convenhamos que muitos usuários não possuem cartão de crédito internacional.

    • Victor

      Concordo, tbm sou jovem e nao tenho cartão de crédito, acabo tendo que vincular minha conta ao cartao da minha mãe (até para poder tê-la). Faria muito bom uso de Gift Cards!!

      • Diego Nascimento

        Concordo, no meu caso tenho cartão de credito mais não internacional ….

        • Carlos Eduardo Nunes

          Bem, isso não é desculpa pra não pagar pelos apps. Todo banco oferece cartão de crédito internacional e se mesmo assim você não quiser ter um, basta comprar um gift card.

          • Vitor Sá

            Quando eu era adolescente o meu pai nunca faria um cartão de crédito internacional, simplesmente por não achar que havia motivos e tbm para pagar menos taxas. E tbm nunca me deixaria comprar no Mercado Livre, por não confiar nele. Agora tenho um cartão internacional e uma maior independência, mas entendo essas pessoas que não os tem..

          • Diego Nascimento

            Não disse que isso era motivo para não pagar por aplicativos , apenas facilitaria a compra e acho que a loja já deveria estar na nossa moeda, se o aplicativo vai custar “milhões” não importa , mais eu queria que você cobrado em real (minha opinião)

          • max

            Problema são as taxas cobradas pelo cartão internacional. Acho que só justifica ter um caso a pessoa use com frequência.

            • Carlos Eduardo Nunes

              O povo financia iPhone em 12 vezes “sem juros”, paga o maior valor do mundo no minuto do celular e reclama de taxa cobrada pelo cartão internacional. Meu cartão nem anuidade cobra. Basta negociar com o banco.

              Mas como você não leu todo o comentário, se ainda assim você não quiser ter um cartão internacional compre gift cards que pode pagar com Reais. Não há desculpa que justifique o cara não comprar um app e usá-lo pirata, por exemplo.

            • Diego Nascimento

              Pelo visto você não leu meu comentário, você acha que eu compro meus aplicativos como ? Se eu não tenho catão internacional , é óbvio que eu uso gift Card. Mais não seria muito mais prático eu colocar meu cartão na loja e depois apenas clicar em comprar app?

            • Diego Nascimento

              E acredite, o fato de você poder comprar um iphone ” a vista” não te faz melhor do que o cara que paga em 12 vezes.

          • Jordao Alto

            Comprar GIFT Card no Brasil? Hi tem?

          • Marcio

            Pois é. Não entendo essa choradeira de não ter cartão internacional. Troca de banco. Qualquer estagiário, digo estagiário por terem uma renda menor, antes que digam que estou menosprezado os caras, tem cartão internacional.

          • Guest

            não vende gift card para a brasileira.. e se a pessoa não tem um cartão de credito deve ser por algum motivo né pq obvio q todo banco oferece um mas ou a pessoa é adolescente e não tem um ou tem outros motivos

      • Washington

        Gift Cards já

    • Felipe

      To nesse quadro… O jeito é FreeMyApps…

    • Mateus lopes

      Poise isso e uma coisa, ruim, Eu era usuário de android, passei para apple, to gostando, Um dos meus principais motivos foi segurança atualização, e GIFT CARDS , eu compro no mercado livre, e aconselho que quem quiser comprar, la e a maneira mais rápida e segura que conheço, Dependendo do Pagamento (eu pago no boleto), o código chega em minutos no seu e-mail, Maneira fácil rapida e segura 🙂

    • Zephon

      Não sei se são muitos usuários mesmo. Hoje em dia até conta universitária já da cartão internacional. Desculpem se for algum preconceito babaca da minha parte, mas abri a conta mais ridícula disponível no banco e ela veio com cartão. Acredito que atualmente só criança não consegue ter acesso a cartão internacional.

    • Steh Rabelo

      verdade, bem isso.. nos eua em qqr lugar da pra comprar um cartaozinho de gift card da app store e itunes store bem pratico.. se divesse aqui com certeza compraria muito mais apps do q compro hj

  • Cristiano Matos

    Eu sou professor e trabalho muito com documentos de texto e planilhas, assinei o Office no mesmo dia que saiu e ele já está colaborando muito com meu serviço.

  • não entendo como uma pessoa pagacaro por um jogo original. gasta com festas. e outras coisas
    Mas não tem nem 0,99$ para comprar um app para seu proprio telefone.

    • Leonardo Negrisoli

      nem me fale.. é o fim da picada

    • max

      Não tem sentido mesmo. $0,99 é dinheiro de pinga. Acho que não compra 1 litro de leite e 5 pães.

    • Jordao Alto

      Concordo! Prefiro grátis mesmo do que ter que pagar U$0,99, é uma vergonha, uma esmola!
      Se fosse 8,99 a conversa seria outra;

  • Fagner Medeiros

    Se o aplicativo for bom, pago numa boa. Trabalho com programação industrial e sei o que é o trabalho de um desenvolvedor, porém como ninguém consegue enxergar o código fonte do aplicativo (e nem o trabalho que dá) não pode mensurar isso, por isso acha caro. Outra coisa, o cara paga mais de R$2000,00 num aparelho e fica chorando para comprar aplicativos de muitas vezes variam entre 2 e 5$. Vende o Smartphone então e comprar um lanterninha dois chips.

    • Danilo Silva Souza

      Eu acho que deveria ter a opção da gente testar um ou dois dias o app Só dai agente compra pois tem app que promete e não cumpre e não tem como ter um reembolso do valor pago

      • Fagner Medeiros

        Boa ideia Danilo, poderia ser uma versão trial para teste com data pra expirar, ai cara decidia se ia comprar.

        • Jordao Alto

          Tai uma boa ideia! Gostei!

      • Cadu Nunes

        Se você ler as opiniões dos outros usuários vai saber se o app é uma bomba ou se serve pra alguma coisa. Quanto a ter reembolso, existe sim a possibilidade de ser reembolsado. Aqui no BDI mesmo tem um post que fala como solicitar reembolso de algo que você comprou http://blogdoiphone.com/2012/04/dica-veja-como-pedir-o-dinheiro-de-volta-de-um-aplicativo-comprado-na-app-store/

      • Copeta

        Isso ai sempre foi uma solicitaçao. Seria mesmo muito bom se vir a existir um dia.

      • Zephon

        Posso estar enganado, mas acho que da pra pedir reembolso sim.

    • Uma outra coisa que observo é a tendência que o brasileiro tem de valorizar apenas algo que pode ser tocado, físico. Isso vale pra músicas, livros, softwares: o que for virtual não vale nada.

      • J3ff

        Ainda existe, e muito, a mentalidade de que na Internet tem que ser grátis !
        O comercial de uma Operadora enaltece a possibilidade de você tendo o plano de dados deles poder “baixar as suas músicas”.

  • Leonardo

    Concordo plenamente com o texto. Porém faltou comentar a questão do freemium, e das publicidades em anúncios, que seriam uma forma de manter um bom app free. Casos como o Candy Crush e Flappy Bird devem ser analisadas pelos desenvolvedores para manter um aplicativo “gratuito”.

    Outra barreira que impede esse crescimento e que faltou ser comentado é o fato da App Store aceitar apenas pagamentos em cartão de crédito e em dólar, já que nesse modelo de cobrança atual a conta fica mais alta do que simples $0,99. Muitos aqui no Brasil não possuem cartão de crédito internacional ou preferem o pagamento em boleto.

    • Raniere

      Esperei ler isto no texto.

    • Carlos Eduardo Nunes

      É realmente, com R$ 3,00 (já chutei pra cima o valor convertido) é um valor absurdamente alto e que faz qualquer um passar fome durante uns dois meses. Essa Apple é uma pilantrinha mesmo.

    • Jonatan Lopes Gomes

      Leonardo, app free com propagandas só se mantém (isto é, dá retorno o suficiente para não trazer prejuízo ao desenvolvedor) se o app tiver um sucesso relativamento bom, o que não algo fácil de se conseguir.

  • Felipe Domingues 

    Existem pessoas que gastam 2,800 ou mais no lançamento de novos smartphones apenas para ostentar!
    Já vi gente que acha que o iPhone só tem aplicativo pago!
    Pobre é uma desgraça!!

    TomTom melhor gps do mundo ever!!!

  • Vimprio

    Tenho 5 anos de iPhone e comprei somente 1 app até hj… Isso mesmo foi pra testar.

    • Daniel

      É um direito seu…Mas você está deixando de aproveitar MUITO o potencial do seu aparelho 😉

      • vimprio

        Mas eu tenho todos os aplicativos que quis (basta acompanhar o blog)… Na verdade quero muito o office no meu device… porém nao compensa pra mim, mesmo sendo um trabalho que o valor seja justo pra mim nao compensa vou usar algumas vezes nao sempre.

  • Daniel

    Você resumiu, no final, o meu sentimento quanto à situação. Muitas vezes o app é caro, mas pela quantidade de vezes que uso já vale o valor. O Tweetbot para Mac, por exemplo, custa U$ 20; é um app que uso TODO dia, há mais de 1 ano. Conheço gente que ainda está esperando uma promoção para ele, enquanto eu desfruto de um excelente app há muito tempo 😉
    Quando vejo que o desenvolvedor se preocupou em fazer um excelente app, tanto nas funcionalidades quanto no design, não me preocupo em pagar um pouco a mais para usar o melhor.

    • Jordao Alto

      Boa Daniel

  • Daniel Belo

    Tenho vários aplicativos pagos, não acho isso um problema, desde que ele seja realmente útil. Mas já comprei muita porcaria também. Acho que a apple poderia implantar uma política melhor para testar os aplicativos, apesar de que os desenvolvedores tem contornado esse problema lançando duas versões do mesmo aplicativo.

    Quanto a questão específica do Office, acredito que a pior maneira de se cobrar por um aplicativo seja a de assinatura. Que ele custe $100, mas gosto de saber que o comprei, não que estou “alugando”. Acho chato o dilema de será que continuo pagando pela assinatura se não o uso com tanta frequencia?

    • Wendy

      É esse o ponto! Concordo com você. O problema, a meu ver, é a forma de cobrança. Melhor pagar um valor maior, mas por uma coisa que será minha para sempre, como os apps da App Store, do que esse coisa de assinatura…

    • Raphael Vieira

      Já parou pra pensar que pode haver custo mensal com pessoas e servidores e que o app é apenas uma “casca” e q quase toda inteligência dele depende de serviço na nuvem? Vende uma vez e um dia acaba a receita e como será mantido o custo mensal?

      • Daniel Belo

        Interessante o ponto de vista. Mas, como consumidor, continuo não gostando dessa modalidade de assinatura 🙂

        • Raphael Vieira

          Entendo, assinatura tb não acho a melhor formula, pra mim q trabalho no ramo, a mais justa é a de créditos, vc compra e vai gastando de acordo com uso diferente da assinatura q vc usando ou não naquele mês tem q pagar. O mais importante é lembrar q existem applicativos q só são interfaces para serviços em nuvem e q estes possuem custos mensais e se seguirem o modelo de venda única um dia se tornarão inviáveis de serem mantidos. Conheço alguns abandonados justamente por isso pois ninguém mais compra e o servidor necessita de custo e hj acaba dando prejuízo pro desenvolvedor.

      • OverlordBR

        Só vender uma versão mais básica, ora bolas.

        Agora, porque eu devo pagar todo santo mês por trocentas licenças (que eu lembre são 3 ou 4) se só utilizo esporadicamente. 😉

        A solução da Microsoft é ótima… mas para quem é heavy user do Office.
        Quem não é, há várias outras opções de qualidade na App Store!

        • Rodrigo

          Todos são heavy user do office, infelizmente é impossível trabalhar ou estudar colaborativamente sem o Office… apesar de abrir os arquivos “tipo office” as aplicações “office-like” sempre tem alguma incompatibilidade. Além disso, se vc tem o office 365 no PC ou MAC terá no ipad por tabela… Paga os 21 reais por mês e pronto! Esse valor gastamos em besteiras todo mês (cafezinho da esquina, por exemplo)

          • Diego Azevedo

            Discordo do “Todos são heavy user do office”. 90% das pessoas não usa planilhas com Macros, não escreve textos com fontes proprietárias do windows e não cria apresentações super complexas. Pouca gente precisa escrever textos longos e complexos no tablet, apenas pequenas e puntuais alterações.

            Pagar 250 por ano para pequenas alterações não me parece muito vantajoso. Existem alternativas free que cobririam as necessidades da maioria absoluta dos usuários, mas vários se mantém nos produtos da Microsoft por inércia.

            Não acho que o pacote office seja ruim, ou que ninguém vá comprá-lo. Acho que chegou atrasado no iOS, dando tempo para várias pessoas se acostumarem com outras soluções sem planos mensais que atendam seus problemas. Quem precisa do Office agradeçe a Microsoft, mas a microsoft agradeçe a todos que não precisam, mas vão pagar para editar meia dúzia de linhas por mês.

    • OverlordBR

      Concordo em gênero, número e grau.

      Principalmente na questão do Office.

  • Pedro

    Sou desenvolvedor de app e vejo hoje q o público q mais baixa após pagos são dos estados unidos.

  • Wendel Silva

    Eu baixei o pacote office no meu IPad e não precisei pagar nada, estou utilizando normalmente, só fiz entrar com a minha id do hotmail.

    • Jeff

      Vc consegue abrir e ler, mas não alterar se não tiver a conta paga.

  • Um amigo que é gerente de marketing da MS brasil disse que o objetivo deles agora é fazer os jovens dessa geração se acostumarem ao Office, por isso estão lançando os apps pra iOS e deixando os de iPhone de graça.
    “recuperar a base de usuários do Office”, nas palavras originais.

  • Marianna Fernandes

    Eu não compro porque não tenho um cartão de crédito internacional 🙁

  • Ricardo Tuka

    Eu concordo muito com o texto. E acredito que Apple joga o preço lá em cima dos seus produtos por saber que boa parte dos consumidores no Brasil não gastam dinheiro com conteúdo.

  • Juliano

    É só para pensar na mesma lógico do motivo de você ter comprado um iPad ou iPhone.

    Se vc nunca teve um dos dois dificilmente seja por um motivo contrário ao: “quero ter um iPad ou iPhone”. Mas após fazer o investimento você percebe o quanto ele é útil e ajudou a sua vida. Derepente você não precisa mais comprar um scanner, você não precisa mais comprar um gps portátil, esta tudo no seu celular e dai o gadget “se pagou”. Porque com os app tem que ser diferente??

    E olha que os gadgets nem custam 0,99.

  • Bruno Laia

    eu sou a favor de pagar pelos aplicativos, eu penso da seguinte forma: se eu não trabalho de graça, porque eu vou querer que uma empresa ou pessoa física dispense o seu tempo e pesquisa para fazer algo útil para usarmos em nosso aparelho de graça? seria como andar de ônibus ou metrô de graça. Vejo que o mal dos brasileiros é achar que pode ter tudo bom sem pagar porque já pagou quase 3000 no aparelho, a grande parcela da população deveria abrir a mente, que pagar 1 dólar para um aplicativo bem elaborado é melhor do que baixar um aplicativo de graça, cheio de erros e possíveis invasões

  • iLuk

    A unica coisa que não concordo é fazer uma assinatura mensal de mais de 20 reais por algo como pacote office se a apple ja disponibiliza free, uma revista como iThing tudo bem.. Mas os valores de um app teria que ser uma vez só. Custando $49 tudo bem eu pago mas para usar toda gama do app tenho qe pagar um valor mensal por isso… Nao concordo!!

  • Bruno

    É a belha cultura de tirar vantagem de algo sem em troca ter algum esforco…

  • Bruno Finotti

    se não tivéssemos que pagar quase 3 mil reais em um iPhone aqui no Brasil, talvez as pesoas mudassem este conceito.

    • Carlos Eduardo Nunes

      Discordo de você até mesmo porque o mercado de iPhones roubados no Brasil antes do iOS 7 era gigante. Já vi várias promoções no Mercado Livre de iPhone por R$ 600 ou R$ 700.

      Atualmente tenho uma empresa que desenvolve apps para celular, mas já trabalho com desenvolvimento de software há 20 anos e essa cultura do brasileiro de achar que software não vale nada, vem de longe. Provavelmente essa cultura surgiu porque lá nos anos 90 quando todo mundo comprava PC paraguaio era possível ter o PC já “equipado” com Windows, Office, Corel Draw e qualquer outro software que desejasse sem pagar nenhum centavo por isso.

      O engraçado é que aqui no Brasil as pessoas tem vergonha de pedir troco quando são poucos centavos, mas acha caro pagar R$ 3,00 (conversão de US$ 0,99) por um App que pode ser útil no seu dia a dia.

  • Braulio Sakamoto

    Brasileiro gosta de se dar bem. Ponto. Não tem teoria nem explicação complicada.

  • Leticia Belchior Dias

    Eu só não compro pq não tenho cartão de crédito internacional….assim ki a Apple permitir(se um dia permitir) utilizar cartão de crédito ou débito nacional….aí sim eu vou comprar apps e assinar revistas, como a de vcs 🙂

  • Rodrigo

    Aos “sovinas” a assinatura educacional (estudantes, professores) esta custando 209 “dilmas” por 4 anos!! com direitos a updates! ou seja, quando lançarem um novo office neste período vc terá direito. E terá direito ao office para ipad tb

  • Felipe Ribeiro

    Eu pago! Já paguei vários… Brasileiro tam a M…. Da mania da malandragem mesmo!

  • Alysson Almeida

    Na realidade os brasileiros não pagam por aplicativos por ser um novo tipo de mercado, pagar por algo que não é físico e sim virtual gera um pouco de duvidas. Isso responde muitos por aqui…

    “O Brasileiro é engraçado, paga 3.400 em um iPhone 5S 32 gigas e não tem 2,00 reais para compra um App, PUTZ”

    Como o Brasil agora que está entrando no mundo da tecnologia as pessoas estão se adaptando como é o exemplo dos jovens que compram jogos e os pais (mais velhos) não conseguem entender o por que gastar dinheiro com algo que não se pode tocar. Por tal motivo que os brasileiros optam pagar por um celular que custa 3.400 reais e não comprar um aplicativo que custa míseros 2 reais pelo simples fato de um pode ser tocado (físico) e o outro não (virtual). Isso acontece mais em países subdesenvolvidos que estão aderindo agora a tecnologia, isso pode explicar por exemplo por que a Russia, China entre outros são grandes “crackeadores” de programas e países mais desenvolvidos tecnologicamente como Japão, Estados Unidos etc.. Compram aplicativos por simples fato de já conseguirem entender o novo mercado da atualidade, o mercado virtual.

    • Steh Rabelo

      Me irrita essa coisa de pq são brasileiros e blah blah blah e gostam de se aproveitar.. a questão é que isso é um coisa muito mais ‘nova’ aqui do q em outros lugares e não é uma coisa clara na cabeça de todos, quer ver outra coisa relacionada a internet q muitos falam ‘mal’ sobre bloqueios e youtubers muitos não entendem que isso virou uma profissão que as pessoas trabalham com isso e que isso dá trabalho e elas merecem receber por isso…

  • Caio Cartaxo

    Eu infelizmente não posso consumir de muitos apps na App Store porque estou financeiramente limitado, mas isso não me impede de usar o FreeMyApps (http://blogdoiphone.com/2012/02/testamos-o-freemyapps-o-site-que-presenteia-aplicativos-para-iphone-e-ipad/) para baixar os apps que mais gosto, inclusive a revista iThing. Mas do que merecido o desenvolvedor receber um retorno.

  • Henrique Bibiano

    Eu pago e já comprei coisas boas e ruins. Paguei US$ 2,99 pelo Air Video HD e acho que foi um ótimo custo benefício. Já o Money Wiz, paguei US$ 5,99 e não é tão prático quanto parece… uso pouco por isso.
    Mas é isso aí… não existe almoço grátis.

  • Harrison Walnut

    Concordo em pagar, mas com essa modinha de assinaturas de aplicativos eu acho um pouco demais. Antes que reclamem, eu não estou falando de revistas ou periódicos. Como muitos disseram eu prefiro pagar um pouco mais caro a ter que ficar pagando um valor mensal, isso sim é querer arrancar dinheiro de trouxa!

  • Johannes Georg

    Estava esses dias vendo o preço do filme O Hobbit: Desolação de Smaug na iTunes, e fui ver os comentários que eram muitos (mesmo o filme na época ainda estar em pré venda).
    A maioria das opiniões nem eram sobre o filme, e sim pelo seu preço considerado exorbitante.
    Vamos pegar os 20 dólares cobrados pelo filme e transformar em real com a adição do IOF.
    Vou considerar aqui para facilitar, o dólar sendo cotado a 2.50. Sendo assim o filme custaria 50 reais mais 3,4 reais de imposto, totalizando R$ 53,40. Eu aposto que o filme em Blu Ray não é encontrado a esse preço em qualquer loja que seja.

  • Danilo Silva Souza

    Eu acho que deveria ter a opção da gente testar um ou dois dias o app Só dai agente compra pois tem app que promete e não cumpre e não tem como ter um reembolso do valor pago

  • Ton Dijan

    Já usei muito app pirata, mas já faz uns 3 anos que me tornei mais coincidente e todos meus apps pra iPhone e pra Mac que são pagos fora devidamente comprados, com exceção do Final Cut, que pretendo comprar uma cópia original assim que possível.
    Hoje, quando vejo um bom app ou um bom jogo, faço questão de pagar pra incentivar o desenvolvedor.
    Apps como Fantastical, Rise, 1password, Sygic, Prizmo fazem a diferença no meu cotidiano quase todos os dias.

  • Lyndon

    Eu não acho que os brasileiros se neguem a pagar tanto assim por um App, ao meu ver a dificuldade está mais ligada a forma de pagamento que exige um cartão internacional e exibe os valores em dólares. Acho que em breve quando os gift cards ficarem mais disponíveis no Brasil e os preços passem a ser exibidos em reais as vendas vão subir muito, digo isso baseado em mim e no meu grupo de amigos quase todos nós temos um iDevice, mas sempre que precisamos comprar um App rola uma burocracia pela nessecidade de usar o cartão dos nossos pais e explicar a eles como o valor vai ser cobrado e etc. Já usei gift card uma vez e meu pai concordou em comprá-lo com muito mais facilidade porque ele sabia exatamente o valor que estaria pagando e não seria necessário fazer uso do seu cartão. É só uma questão de tempo até gift cards e preços em reais chegarem a App Store

  • Manolo Dorgas

    O que ninguém fala é do fato da Apple insistir em tarifar os aplicativos em dólar
    Não sei onde o ministério público está enquanto isso acontece.
    Se a store é brasileira os apps deveriam ser vendidos em reais,isso seria um dos fatores para aumentar o número de pessoas que comprar porque cartão internacional ainda não é algo que todos tem.

    • Alessandro

      Sim, se ela fosse brasileira deveria ser cobrada em Real. Mas quem te falou que a App Store da Apple é brasileira? Ela é uma loja americana para brasileiros por isso é cobrada em dólar.

      Se a Apple a transformasse em uma loja brasileira os apps de $0,99 ficariam bem mais caros. Deixa ela como está que é melhor assim.

      Se trouxer pra cá a Dilma vai querer abocanhar uma parte ainda maior do que já faz com o IOF.

  • Alcides

    Definitivamente não! Porque pagamos pelo office para PC por uma única vez e já para o Ipad temos que pagar todos os anos. Estão querendo se enriquecer às nossas custas. 94 dólares todo santo ano é demais. É um abuso. A Microsoft deveria enfiar esse office no nariz e socar bem!

    • O Office 365 (esse, do IPad) é uma assinatura, assim como o do PC (que custa R$21/mês).

  • Belo post, representa muito bem o que acontece nessa bola de lama chamada Brasil.
    Brasileiro gosta de levar vantagem e pagar de esperto, por isso usam jailbreak e instalam pirata (que é o principal motivo de ainda existir – quem discorda, acorde pra vida). É um povo que não vê nada de errado em comprar dezenas de TVs em um site com erros óbvios no preço só para poder sair ganhando.
    É um povo desonesto, com mentalidade anarco-pseudo-socialista que acha que toda grande empresa DEVE sofrer prejuízos e dar aos pobres miseráveis o que os pobres miseráveis ACHAM que têm direito.

    • OverlordBR

      “por isso usam jailbreak e instalam pirata (que é o principal motivo de ainda existir – quem discorda, acorde pra vida).”
      Ih, pessoal dos comentários do G1 veio para cá. 🙁

      • Você paga por app com seu jailbreak? E não leio G1.

  • SongBird

    Eu acho que brasileiro não gosta de pagar porque nem todos tem um cartão internacional, o que bloqueia o acesso de muitos ao aplicativo pago.

  • Anderson Camões

    Eu costumo pagar por aplicativos que quero. No caso do Office, acho que não vale. O tempo que ele levou para ser lançado gerou uma lacuna que foi preenchida por outros aplicativos.
    O fato de somem aceitar cartão internacional, isto é assim no mundo todo, não acho que seja bom, porém se fosse um fator preponderante, no mundo todo teríamos problemas com aplicativos pagos, não somente no Brasil.
    Acredito que a grande maioria dos brasileiros utilizam o smartfone mais como status, e não por necessidade dos aplicativos, por isto a ampla preferência pelos gratuitos.

    • Steh Rabelo

      como é assim no mundo todo? claro q não em alguns países é cobrado na moeda local, e nos eua vende gift card da app store e da itunes store em qqr lugar

      • Anderson Camões

        É cobrado em moeda local, mas exige cartão internacional.
        É assim na Europa, onde se cobra em euros e exige cartão internacional.

  • emoraes

    Generalização equivocada. Fale por si mesmo. Se isso fosse verdade, Netflix não estaria fazendo sucesso no Brasil. Na minha opinião não faz sentido pagar uma assinatura mensal pra usar um aplicativo que eu posso usar no PC só pagando uma vez. Botar a culpa no Brasil é coisa de quem pensa pequeno. O Brasil é muito maior que os seus amigos do colégio.

  • mario

    uma coisa é certa a apple da o numbers o pages e o keynote equivalentes aos office entao por que pagar a mais por algo que ja existe de graca nao faz sentido

    • Anderson Camões

      O Numbers não acessa todos os formatos de planilha, e isso é algo que me irrita muito.

  • Acho que pra resolver este problema, todos os sistemas operacionais de celular (tanto Android ou iOS) deveriam disponibilizar a possibilidade de utilizar aplicativos pagos durante um determinado tempo (O famoso trial). Após utilizar o App por um tempo razoável e o usuário ciente disto, saberia se vale a pena (ou não) pagar por um aplicativo. Acho que as AppStores ainda tem muito o que evoluir…

  • Thiago

    Não compro na App Store pq não tenho cartão internacional, só por isso!

  • lucasrsouza

    Concordo plenamente. Todo trabalho deve haver uma remuneração. Não vivemos em Cuba e sim num capitalismo democrático.
    Não pagamos US$ 10,00 (Cerca de R$ 24,00) num aplicativo super útil, mas pagamos R$ 100,00 numa camiseta/R$ 1.500,00 num iPhone/R$4.000,00 num Mac/R$ 80,00 numa PARTIDA DE FUTEBOL (e ainda para sair estressado).
    Vamos refletir!

  • Felipe Scavacini Romanatto

    Concordo que existem muitos apps que realmente valem muito mais do que custam. O citado TomTom é um ótimo exemplo. Já comprei o modo Brasil, Estados Unidos e Europa e realmente sinto que valeu cada centavo. Não se compara com qualquer outro App GPS gratuíto e permite muita vantagem no longo prazo.
    O que vejo como negativo é a cobrança mensal ou anual por apps, o que além de gerar um custo ilimitado, limita muito o público que teria realmente necessidade de pagar o que custa.
    Tenho há 2 anos o serviço iTunes Match, gosto muito do serviço e acho que até vale o preço que custa anualmente, isso porque tenho muitos gadgets Apple conectados e ouço muita música, mas com certeza isso não se aplica a quem faz uso esporádico. O mesmo se aplica ao novo Office Mobile. Gostei dos apps e até seria útil, mas como uso 1 vez a cada trimestre e olhe lá, jamais pagarei o que estão cobrando.

  • Paulo

    pauloAl
    a questão é diferente pois se voce paga voce espera melhorias, atualização e não foi isso que aconteceu com o Bento, da Filemaker da Apple , comprei duas licenças e um belo setembro de 2013 foi descontinuado sem aviso, por isso estou certo que não devemos pagar .

  • Filipe Nascimento

    E porque o office eh grátis no anseios? Já baixei no meu s3. Totalmente grátis.

  • GUSTAVO

    Acho que o fato de nós brasileiros não gostarmos de pagar em apps é fato de você ter q desembolsar um valor altíssimo por um aparelho apple como eu que paguei 2200 reais no meu iPhone 4S em 2012 e ainda ter que desembolsar alguns dólares por apps que no final os $0,99 que você paga se transforma em mais que o dobro em reais graças ao IOF

  • Hugo Ribeiro

    Como já foi dito, a falta de opções para pagamento afeta bastante, porém, ao meu ver, o pior é o gasto com apps que NÃO cumprem o que prometem.
    Várias vezes deixei de comprar um app, porque não tinha a certeza que o mesmo iria realizar o que prometia (basta ler reviews negativos) ou por não explicar claramente todas as opções de uso.

    O problema não é PAGAR/COMPRAR por 0,99 dólares um app, o problema é DOAR 0,99 dólares.

    • Leonardo Negrisoli

      Verdade, por isso sou a favor da versão TRIAL nos apps.
      Outro ponto, sempre que vou comprar um app que não tive indicação de ninguém é ler os reviews como vc disse.

      Isso me ajuda a não doar USD 0,99 e investir em outro app mais bacana =)

  • Ari Silva

    Acho que há uma grande diferença entre comprar um App e fazer uma assinatura para usá-lo. Não vejo nenhum problema em comprar um App e instalá-lo no celular ou no tablet, mas não acho interessante ter que fazer uma assinatura mensal para usar o aplicativo – ou pacote que seja.

  • Leonardo Negrisoli

    Eu compro quando gosto e acho que vale a pena….
    Por isso que eu sou assinante da iThing 🙂

  • André Oliveira Rielo

    O autor da matéria pega o exemplo do Office (modelo de assinatura) e
    discute a compra de aplicativos. São coisas MUITO diferentes. Uma coisa é
    pagar pra usar um app, outra é o modelo de assinaturas. É justo eu
    pagar o preço do Office, seja 10 ou 100 doláres, e usá-lo por completo,
    pra sempre, comprei é meu. É injusto eu ter que pagar assinatura: pago 2
    anos, aí paro de pagar e não posso pagar por algo que paguei durante
    anos. Esse modelo de assinatura funciona pra SERVIÇOS, não para
    SOFTWARE. Os desenvolvedores querem misturar as coisas, e não vai dar
    certo, por melhor que seja o aplicativo.

    • Leonardo Negrisoli

      Tem muita empresa que vende software como serviço (SAAS) e da muito certo…

      Acho que tudo depende da proposta.

      • André Oliveira Rielo

        Não não, as empresas estão tentando enfiar isso goela abaixo dos usuários. Mas não vai colar. As pessoas gostam de se sentir donos daquilo que compram. Imagina ter que pagar mensalmente pra usar alguma roupa. É um absurdo. A microsoft é a única que está conseguindo “manter” esse negócio, e porque o produto dela (Office) é padrão nas empresas. Imagine que, se esse negócio colar, daqui a pouco vc compra um computador por 1000 dolares e tem que gastar mais 500 dolares por mês em razão de todos aplicativos que usa! É um absurdo.

    • Eduardo Cativo

      Certo, melhor comentário que já vi! Ilex confundiu as coisas. Tenho mais de 1000 dólares em aplicativos comprados, mas sou contra modelo de assinaturas, salvo algo que vale muito a pena e, certamente, não é o caso do Office. Tenho Mac, iPad e iPhone. Gosto de comprar e ser dono do que comprei! E vai ser assim pra sempre no meu caso.

      • André Oliveira Rielo

        Pra mim também, a não ser que o software englobe algum tipo de serviço, como o dropbox, por exemplo.

  • Alvaro Guatura

    A questão não é essa. Eu gasto muito dinheiro com aplicativos (e softwares para o computador).
    Ocorre que a Microsoft está com empurroterapia. Quer cambio automatico? Entao pegue o pacote com ar condicionado, vidros e travas eletricos, direção hidraulica e teto solar.

  • Alessandro

    Acho engraçado esses comentários: “o cara paga R$2000 em um aparelho e não quer pagar $0,99 em um app”. Mas quem disse que estão querendo economizar 99 centavos. O Office custa quase $100 (quase R$300) por ano. É caro até mesmo para quem compra iPad. Sei o quanto é trabalhoso desenvolver aplicativos. Faço sistemas há anos, mas tudo tem limite. Esse negócio de assinatura de aplicativo… Quando um software bom me é útil, pago sim o valor dele. Já comprei vários e continuarei comprando. Mas faço isso quando o valor é justo. Prefiro o modelo de negócio que me vende o aplicativo. Se tiver um serviço agregado bacana que precise de uma assinatura, eu assino e cancelo quando este serviço não me atender mais, mas o software que paguei continua comigo. Alguns dizem que “O negócio não se sustenta com venda de aplicativos…”. Sério? Pensem, a Microsoft é líder do mercado há quanto tempo? É gigante como? E mesmo tempo um número gigantesco de usuários piratas. Se estivessem vendendo o Office até pensaria em comprar, como comprei o iWork quando ainda era pago. Mas alugar o app? Ai não….

    Assinatura é para serviços e não aplicativos. Assino Netflix, iTunes Match, NHL, Vevo, GVT, revistas, telefonia… Programa eu compro.

    Brasileiro não gosta de pagar? Não é bem assim. Existem sim pessoas que reclamam por tudo e querem sempre “dar um jeitinho”, mas não é todo mundo. Desde que deixei de utilizar o Windows parei com isso de querer o “registro alternativo”. Em meu computador, smartphones e tablets quase todos os programas/aplicativos são pagos. Não digo todos pois dentre eles existem também gratuitos. Isso é questão de princípios, os quais passo aos meus filhos.

    Fui um dos que deixaram reclamação no iTunes sobre Word, Excel e PowerPoint. Mas reclamo pela forma de cobrança e valor do produto.

    • Eduardo Cativo

      Certo, comungo da mesma opinião! Mesada não da!

    • Maycon Lima

      Clap, clap, clap! Sem mais.

    • Mauro Filho

      Na veia. Parabéns.

  • Ricardo Silva

    Só compramos aparelhos de 2 mil 3 mil, porque temos lojas como Casas bahia e outras parcelando em até 24 x sem juros auhhuahua, e não é pq o aparelho é caro e eu recebo 1 salário mínimo que eu não possa ter um aparelho desces, acho isso injustiça e muita desigualdade como citei… sim vc vai pra outro país e vive bem melhor em termos financeiros, pode ter carro a porra toda, porém tudo tem sua consequência, no dia em que tirarmos esse governo sujo do Brasil, as coisas podem mudar radicalmente, porém não vai ser fácil, enquanto em Paris um salário mínimo é equivalente a 3,333 reais, aqui a gente pena por algo descente, tudo caro fora do normal. estudamos nos formamos e por incrível que pareça você acaba fazendo algo que não é de sua formação… Sim o governo Brinca com o povo. pra não fugir muito do assunto mas doi que já fugi, com isso ganhando pouco e querendo ter um aparelho que pra muitos é um sonho, sem esforços a pessoa vai cogitar pelo Jailbreak….

  • Rodrigo Protta

    Texto muito interessante. Vamos nos conscientizar amigos! Precisamos mudar para dar exemplo a quem tem menos instrução.

  • Alexandre

    Concordo com algumas coisas ditas no texto, mas também acho a grande culpa de nós, brasileiros, termos criado essa cultura não pagar pelos apps é pelo fato de que diariamente somos extorquidos pelas grandes companhias com taxas de lucro altíssimas e pelo governo com as cargas tributárias absurdas. Se quisermos ter um serviço de qualidade em um aparelho de qualidade nós simplismente não temos como economizar e temos q pagar valores absurdos por isso. Então, creio eu, que não gastar em apps é apenas uma maneira encontrada para minimizar um pouco os gastos que já temos com celulares/aparelhos eletrônicos

  • arrobabruno

    Na minha humilde opinião, existem inúmeros fatores que justificam essa afirmação. Para começar eu percebo de uma forma geral que no brasil qualquer tipo de pirataria não é encarada como crime, por anos fomos obrigados a piratear softwares pois muitos nem sequer eram liberados para venda em nosso pais devido a reserva de mercado e quando obtinham licença para venda no mercado nacional chegavam com preços proibitivos para o cuidado comum, pessoa física. Então a cultura do software pirata reinou durante anos principalmente na época áurea do Windows pois era a única maneira de conseguir acesso aos modernos programas, que custavam preços altamente proibitivos e por ser uma prática tão difundida e até mesmo uma questão de sobrevivência passamos a vida baixando softwares para pc piratas sem culpa alguma. Com a abertura do mercado, o acesso às novidades tecnológicas foi sendo incrementada de forma gradativa, porém os preços sempre foram proibitivos e como ja estávamos acostumados a recorrer a cópias de origem duvidosa a mentalidade permaneceu a mesma, agora tínhamos os camelodromos para adquirir CDs com softwares e games piratas a preços de banana e assim foi por muito tempo. Com a internet deixamos de lado os camelodromos é o acesso a pirataria escancarou de vez, agora era possível baixar softwares, games, musicas e filmes em poucas horas sem sair de casa, até então os produtos originais insistiam numa política de preços que tão absurda que se tornaram a principal desculpa para a pirataria. Até esse período eu acredito que a pirataria era universalmente aceita no Brasil, e as causas não eram diferentes em relação ao poder aquisitivo das

  • Ângelo Paulo

    Excelente post! Eu era desse “tipo”, felizmente eu mudei, hoje pago (e paguei) cada centavo pelos meus apps.

    Aproveitando, iLex, olha a revisão do texto! 😉

  • Marcos Silva

    Vendo muitas pessoas reclamar aqui nos comentários que não tem cartão internacional, eu dou só uma dica: cartão internacional pré-pago da Meo Cartão. A bandeira é da Mastercard, e não tem anuidade, só uma taxa de recarga. Funciona parecido com um celular pre-pago. Você recarrega o cartão numa lotérica ou caixa eletrônico com um boleto e dois dias depois… Bingo, tá lá o valor na sua conta. Quando começar a comprar, o valor é descontado na hora, evitando surpresas com a variação do dólar. Uso há meses.

  • Floriano

    Concordo parcialmente, pois é fato que a App Store precisa evoluir muito ainda no Brasil… Ao contrário do que diz a matéria a cobrança não é feita em nossa moeda (não pago faxineira, nem aluguel em dólar…), essa história de comprar gift card, que não é vendido pela Apple no Brasil, para mim é um engodo, pois não compro nada no tal do Mercado Livre onde já fui muito enganado.

    Dito isso esclareço que tenho cartão internacional e não me furto em pagar por um programa quando esse é bom e vale a pena… O mais caro que já paguei foi pelo Tomtom quando estava pela metade do perco e acabou não valendo a pena, pois moro em Brasilia e é muito divicil fazê-lo entender os endereços daqui… posso devolver? Nãoooo! outra falha da App Store que contraria inclusive lei brasileira (código de defesa do consumidor).

    Um último detalhe, além de nos mal acostumar com muitos aplicativos a $0,99 ou $1,99 outra característica que estamos acostumados é o pagamento único, mesmo o MS Office para PC e MAC até pouco tempo era comprado, não alugado. Então a MS resolve mudar de uma hora para outra sua estratégia de vendas e quer que os usuários fiquem satisfeitos com isso? Tá difícil de engolir… Em tempo, adquiri todos os aplicativos do iWork para iphone e iPad na época que eram pagos… e não me arrependi.

  • Danilo Melo

    iThing que o diga! foi do céu ao inferno em questão de horas quando anunciou que a partir do mês x iria haver cobranças….

    Mas a mentalidade das pessoas infelizmente acaba fazendo isso…. Mas aposto que uma porcentagem considerável também não entende o conceito da App Store e etc… Assim como acreditam que pelo fato de terem pago pelo aparelho, detém o direito de ter tudo de graça.

    O mais interessante é ver que jogos pagos sempre estão no topo dos pagos e os de produtividade / banca e afins são jogados lá para baixo nas qualificações.

  • Jasx

    Só não compro aplicativos porque a App Store não aceita cartões de créditos nacionais. Pra min, esse é o maior problema!

    • Jasx

      *mim

  • Quando o conceito de Desenvolvedor de Apps for reconhecido no país, talvez esse “eterno” devaneio de não poder pagar por apps, por que será um dinheiro mal investido no pensamento popular, mude.

  • Henrique Baloneker

    A curiosidade me fez pesquisar quem foi Gil Amélio ˆˆ

  • Cassio Rossi

    É isso aí. Como desenvolvedor concordo 100%, principalmente com a parte de “sem como custear, os desenvolvedores vão embora”, além de pouco espaço para bons Apps.
    Continuem abrindo a mente dos usuários.

  • Jão Alvez

    Opinião Sobre o motivo da matéria: Comprem a revista ithing.
    Sou assinante mas na minha opinião, a matéria teve esse objetivo.

  • Bruno

    Ale, para se compreender melhor esse fenômeno, que não é brasileiro, e sim da natureza humana (o que explica em parte o sucesso mundial dos “freemiums”), é preciso entender melhor como são tomadas as decisões pelas pessoas. Sugiro a leitura do excelente livro “Thinking fast and slow” do behaviorista Daniel Kahneman, que é inclusive Nobel de Economia. Ele explora a questão da nossa excessiva aversão a perdas (no caso, os US$ 0,99) e o fato de avaliarmos muito mal, de forma desequilibrada, as perdas com os ganhos (o benefício do uso do app), levantando inclusive possíveis contribuições evolutivas para termos esse tipo de comportamento, que leva a decisões equivocadas do ponto de vista econômico. Muitos economistas fazem pesquisas nesta área, e há uma especialmente interessante que ilustra seu problema: foi colocado um chocolate daquele “kisses”, da Hershey’s e uma trufa suíça, o “kiss” custando um centavo e a trufa 15 centavos (portanto, ainda muito barata pela qualidade). A maioria absoluta preferiu, naturalmente, a trufa. Mas quando se abaixou o preço de ambos em um centavo (portanto o “kiss” de graça e a trufa por 14 centavos), embora a decisão economicamente lógica seria manter a preferência pela trufa, o que se viu foi a maioria absoluta agora preferir o chocolatinho “kiss”. Isso tem a ver com algo fascinante chamado pelos behavioristas de “Pain of paying” (a “dor do pagamento”, que se observa mais, por exemplo, quando pegamos um taxi e vemos o taxímetro subindo, e ainda pagamos em dinheiro, e menos quando tomamos banho e a conta de água e luz está em débito automático). De graça elimina-se o “Pain of paying”.

    Há empresas que sabem muito bem disso, como o Google, que é a companhia de maior valor da internet e tem quase todos seus produtos “de graça” para o público. O negócio de apps é de altíssimo risco no mundo todo. Muitos desenvolvedores perderão dinheiro para alguns ganharem pouco, e pouquíssimos ganharem muito. Quem entra achando diferente, pode ter problemas… E para devs brasileiros é ainda pior, dada a menor base de usuários com o pequeno “market share” da Apple aqui. Quem insistir nessa loteria, deve ser muito criativo, buscar soluções “gratuitas”, desenvolver apps de abrangência internacional, etc. Ou, se quiser menos risco, desenvolver apps para empresas, ganhando salário ou cobrando um preço fixo.

  • Ricardo

    Acho justo pagar, porque incentiva a que mais e mais aprimoramento sejam dados ais programas, tornando-os realmente úteis no dia a dia!

  • Gustavo Marichal

    Primeira vez que discordo de algo postado aqui..
    – Comprar em dólares causa desconfiança graças à flutuação cambial. Uma saída para isso seria a Apple vender em moeda local, mas isso não aconteceu ainda;
    – Nesse ponto posso falar por mim: gastava muito com jogos, mas desde que eles passaram a ser dominados pelo pseudogratuitos (vc não paga para baixar, mas é influenciado a gastar muito com as compras internas, por exemplo) acabei perdendo a vontade. Preferia pagar 10 reais num jogo e desenvolver meu personagem em situações comuns, ao invés de ter fases em que sem comprar nada fica praticamente impossível o avanço. Atualmente, gasta-se com o jogo e com tais compras;
    – O aplicativo da Microsoft merece ser pago no valor que a empresa deseja, mas cobrar uma assinatura mensal condiciona o usuário àquele que usa o iPad como instrumento de trabalho. O usuário comum não tem necessidade, já que qualquer necessidade pode ser resolvida pelo desktop;
    – Concordo que há muitos problemas nos serviços ligados à internet. Aliás, tomando por base o direito do consumidor, como fazer para devolver um aplicativo que simplesmente não agradou, apesar de ter sido pago?
    – Por fim, os apps não têm grandes novidades há algum tempo.. os que poderiam fazer compras já o fizeram.. ou será que só eu que acho que não há grandes novidades há algum tempo?

    Abraços.

  • Vinicius Marques

    senti um ar de reclamação a respeito de ninguém querer pagar pela iThing, só acho

    • César Alberto

      Eu acho que você não leu,lê de nova aí vai,depois nos conversamos.

  • Mauro Filho

    Excelente artigo. Concordo com ele. Eu já comprei vários app´s que me interessavam, inclusive o tom tom. Quanto ao office, gostaria que a forma de cobrança fosse igual a grande maioria dos app´s ou seja, você paga uma vez só, seja o valor que for, não vou usar nada do que a Microsoft quer vincular com a assinatura.

  • Rhian

    Brasileiro já paga caro pelo aparelho , agora precisamos pagar ainda pra tirar proveito dele? Abaixa o valor do aparelho e pagamos os apps com prazer

    • César Alberto

      Huehue duvido muito.

  • Kaio

    ¬¬ Pura manipulação esse texto… A Maça deveria é vender os aplicativos em Real R$!!!

  • O Google tinha que fixar esse post no topo de todas as respostas de busca no Brasil.

    Espero um dia ver isso mudar. E pior que esses mesmos brasileiros só reclamam, e pedem melhorias, quando na verdade eles precisam começar melhorando eles mesmos.

  • Sandro Bueno

    É a velha cultura do querer levar vantagem em tudo, pessoas já me disseram: Vc compra músicas? É só baixar de graça no torrent. Nossa, vc paga pelos apps? Certa vez estava em Buenos Aires e paguei o equivalente a R$ 5,00 na época pra entrar num museu, foi quando o dono que estava na portaria me perguntou: Pq os brasileiros nunca querem pagar pra entrar no museu? Cinco reais é muito caro pra vocês? Respondi que não, que não era caro e que os brasileiros não curtem pagar nada, muito menos programas culturais, acham que tudo e todos devem estar disponíveis de graça pra eles o tempo todo.

  • Krikaoli

    Bom artigo.

  • Jahdson

    Acho que isso é cultural. Antigamente, quando um SO, por exemplo, custava horrores, muita gente pirateava-o. Hoje que a assinatura pode ser dividida com outras pessoas, as mesmas tendem a sair da pirataria. Eu particularmente ao entrar neste mundo Apple achava caro esses app, mas percebi com o tempo que vale a pena sim pagar por app que nos ajudam no dia a dia, isso levou um tempo, mas hj vejo com outros olhos esses app, mídias, músicas, etc.

  • Felipe

    Excelente texto!

  • Maycon Lima

    O usuário que faz pouco uso não deve ter vergonha de pensar que está caro. Pra ele está caro, pra mim está caro. Por que? Simples. Eu não preciso de mais recursos que o iWork ou que o Documents To Go podem oferecer. E eles custam entre $9,99 e $16,99. Somando todos os três do iWork (que agora é gratuito) dava $30,00, uma única vez. Pagar uma mensalidade por um programa que eu realmente não vou explorar todas as potencialidades é um LUXO que não pretendo ostentar.

  • Lucas Dangas

    Acho completamente justo o fato do cara perder horas de trabalho pensamento e esforço em um app e cobrar por isso, nada nesse mundo é de graça, mas o problema com isso vem lá do Windows 98, quando os programas de pc custavam uma fabula e galera comprava tudo no camelo por 5 FHCs e isso passou pra internet onde descobriram que invés de pagar 99 em um jogo o cara baixa de graça e agora chegou nos celulares, é cultura do país. Todo mundo baixa música, todo mundo baixa filme e ninguém pensa no trabalho e tempo e a quantidade de pessoas e salários envolvidos nessas produções, agora vai o cara pedir pra você um trabalho e não te pagar!
    É tudo uma questão também de alternativa, depois que virei editor de vídeo e vi o meu trabalho e esforço sendo menosprezado mudei meu pensamento sobre isso, sou mão de vaca ao extremo então invés de eu pagar 50 obamas no tom tom preferi testar o Waze e me dei muito bem, agora preciso de um app pra Word e nenhum grátis presta, 9 obamas no Pages!

  • Maycon Lima

    Acho ainda que se custasse os $49,99 do TOM TOM venderia o suficiente, inclusive para pessoas que reclamaram do modelo de assinatura e traria mais LUCRO pra Microsoft. Eu acredito que o aplicativo será um fracasso. Se eles não mudaram o modelo de venda não vão recuperar o investimento.

    • Lucas Dangas

      relaxa que não vai. O tanto de gente que sonhava com excel no iPad não ta escrito

      • Maycon Lima

        Será Lucas? Eu era um que tinha bastante esperança de usar o Excel e o Word no iPad… Mas por esse sistema? Não. O iWorks dominou o mercado dos usuários básicos.

        • Lucas Dangas

          Usuários básicos, eu trabalhei na A2You 2 anos e o tanto de gente que reclama do Numbers era enorme. Povo que usa o Excel de verdade mesmo não se entende com o Numbers não tem jeito, e vai tudo mudar pra isso dai. Concordo com você que faria mais sentido ser um App cobrado de uma vez só, não intendo por que pagar mensal, mas isso é uma coisa que aparentemente deu certo nas versões pc do Office então ela ta testando do outro lado também

  • Felipe Guerra

    Eu nao compro pois só possuo cartao de credito nacional e debito…sei que existe cartao pre pago internacional mas nao acho viavel,ja que os preços são praticados em dolar,sendo que estou no Brasil.
    Eu paguei 2.000 no meu iphone mas foi em reais.Musicas as maiorias foram exportadas dos meu cds…..e tambem uso bastantante o app itube.Quanto app a maioria que necessito sao gratuitos.E Jailbreak nunca fiz pois acho desnecessario,no meu caso que sou um ususario medio.

  • Raphael Vieira

    iLex, eu colocaria nos custos de aplicativos os servidores. Tem muito aplicativo que só funciona como uma “casca” de webservices com custos mensais e por isso vender uma vez é questão de tempo para se tornar inviável fazendo-se necessário cobranças por créditos ou mensal tal como uma revista que tem custos mensais.

  • Charles Santos

    Se não encontro uma opção gratuita funcional e bonita, pago com prazer o valor do app, fiz isto com o 1Password, Pages, Call of Duty e coisas maiores como Adobe Creative Cloud que cobra por mensalidade também.
    Tendo benéficos que vão desde a facilidade até lucativdade como é para mim o pacote Adobe, pago com prazer, pq sem eles eu não ganharia dinheiro também, então nada mais justo que pagar pra quem os desenvolve.
    Quase não uso office, este pra mim não vale a pena, então vou para uma solução gratuita que me atenda, tem vários que não ficam muito atrás não.

  • Alessandro Galvão

    Eu acho correto remunerar quem presta um serviço, produz um conteúdo ou cria um aplicativo. Por isso pago o iTunes Match, assino a revista iThing e comprei o DocumentsToGo, como exemplo das três vertentes citadas. Mas no caso específico do Office não concordo (mas reconheço todo o direito da Microsoft em implantar o sistema) com a assinatura do serviço Office 365 como requisito de uso do app. Pode ser uma idiossincrasia minha, mas aceito pagar periodicamente por conteúdos regulares (iThing) ou serviços (iTunes Match), mas acho despropositado pagar mensalidade ou anuidade por um software apenas por poder utilizá-lo. No caso de um GPS, por exemplo, há uma justificativa de pagar por ter informações de tráfego ou novos mapas, mas no Office essa justificativa só existe quando é lançada uma versão significativamente diferente.

  • Roberta Fisher

    Faltou dizer que a Apple é um monopólio e obriga os produtores a cobrar um dólar por músicas e apps, fora um número gigantesco de apps que não são aprovados. Criaram um monopólio tão absurdo que foram processados pelo governo americano e perderam. Quanto ao fato do brasileiro não pagar é simples, nunca foi fácil, durante anos o brasileiro não tinha acesso a 10% da App Store, por limitações da Apple, não sei como é este número agora, as outras limitações do cartão internacional e claro, o fato do brasileiro ter uma renda per capita muito baixa, comparada a países extremamente pobres, o que nós somos. Basta não comparar a sua realidade com a realidade brasileira, simples.

  • Alessandro

    A verdade é que estamos discutindo à toa. Tanto a Microsoft quanto a Apple estão se dando bem nessa. A primeira pois deve estar vendendo muitas assinaturas, a segunda porque deve estar ganhando muitos usuários novos que estão insatisfeitos com o Office ser assinado.

  • George Menezes

    Engraçado que quem reclama da assinatura do MS Office se esquece que o valor normal da versão completa “em caixa” custa mais de 500 reais. Como é fácil reclamar…

    Sobre a dificuldade em pagar por um aplicativo, concordo que talvez as formas de pagamento aceitas pela Apple sejam um pouco limitadas. Haviam rumores – ambos os lados, iOS e Android – de que passariam a aceitar os pagamentos via operadora, seja pelos créditos ou na conta dos aparelhos pós, mas isso nunca se tornou realidade, infelizmente.

    Mas a verdade é que poucos – pouquíssimos – reconhecem o trabalho dos desenvolvedores, suas equipes, e empresas, para publicar um app. Por isso a dificuldade em pagar.

    É uma situação semelhante à questão de direitos autorais e propriedade intelectual. Você só passa a pensar diferente, quando está do outro lado da moeda, e vê como as coisas são complicadas…

  • Goes

    Depois que eu peguei um cartão internacional nao penso duas vezes, se o app é bom eu pago! ja comprei o tom tom esse foi o mais caro, mais tbm o mais util aqui em Sao Paulo, ontem mesmo comprei o Chegou! como eu compro muito da China queria ter o controle de todas as encomendas , a versao Free só deixa rastrear ate duas.

  • Nelson

    Se o mercado oferece versoes quase iguais de graça, porque eu vou pagar uma fortuna para ter a mesma coisa. Assim é o capitalismo. Para alem dos custos de investimento na concepcao dos produtos, existe a competividade. Eu nem pago e nem pirateio por produtos caros, se o mercado oferece opçoes tao boas e mais em conta.
    Se voce for no supermercado vai encontrar o mesmo produto (por exemplo: feijao) por variados preços, porque pagar mais caro porque a embalagem é mais bonita ou porque o Toni Ramos faz anuncio na televisao?

  • Jordao Alto

    Já paguei caro, por app que não queria nem de graça;
    Tem gente que usa de má fé, baseado no conceito de que o que é bom tem que ser pago;
    Ai cobra mais caro por um app, que nem de graça faria sucesso;
    Até os excelentes app iMovie, iPhoto, Numbers, entre outros são de graça,
    Mesmo assim, continuo comprando os que mais me interressam;
    Gift Cards seria ótimo!

  • Destroyzer

    Desde que tenho cartão de crédito internacional, todos meus jogos e músicas são comprados na AppStore/iTunes Store. Gastei mais de R$400 em dois meses… ^^

  • mmcaldeira

    Eu sempre comentei isso… Aqui se tem muito a cultura do “não quero pagar e vou piratear”. Já vi amigos que têm condições perguntar se algum aparelho é “desbloqueável”.
    Hoje todo software que eu uso é pago e licenciado. É muito mais fácil assim, pois você tem garantia, suporte, direito a atualizações sem ficar preocupado com “vai dar pau? vai travar? vou perder o software? vou perder o aparelho?”
    Além do mais, isso dá suporte ao desenvolvedor. Você está pagando pelo trabalho dele. E, como foi (muito) bem dito no post, desenvolvimento de aplicativos não é caridade. E não é só isso. Toda forma de trabalho deve ser recompensada. Não é porque algo não é “palpável” e se trata de propriedade intelectual que não deve ser recompensada da mesma forma.
    Eu sou escritor e sei muito bem disso. Ver seu trabalho exposto sem sua autorização e sendo distribuído sem seu consentimento é algo muito, mas muito baixo…

  • Caue

    Simples assim… se não tiver 2 reais para pagar um aplicativo que seja util a você, sem estar com propaganda a cada mudança de telas, favor não comprar um Smartphone de R$ 2.000,00 mas muitos ainda usam celular pré-pago!! Nada contra isso mas acho muito justo pagar R$ 5 reais por um jogo ou aplicativo é um custo pequeno pela diversão e quantidade de horas gasta para jogar o mesmo, sendo que uma cerveja ou suco esta muitas vezes mais caro!

  • Jordao Alto

    Outro dia comprei um APP, para iPad para ver meus tuites;
    O desgin era show gostei muito..
    De repente ele parou de funcionar;
    Mandei vários e-mail para o desenvolvedor, não obtive resposta;
    Desinstalei e instalei novamente e nada de funcionar;
    Ele simplesmente não conecta no twitter;
    O pior ele ainda esta a venda na Apple Store;
    Resolvi então não pagar mais por apps para o twitter;

  • Lucas Bitencourt Santos

    O grande problema que eu enxergo é a falta de testes, eu como usuário de iOS e Android tenho o costume de comprar Apps mas devido a muitos aplicativos que se demonstraram insatisfatórios após a compra adotei o método de testar o aplicativo crackeado primeiro e depois compra-lo, já que não posso testa-los, isso acabou com meus problemas, infelizmente não é um método legal, mas foi a solução que tive pra não ser lesado. Claro que nem todo mundo vai comprar o aplicativo depois, mas daí já vai da pessoa, não podemos pensar pelo próximo, não adianta ter o pensamento de ninguém compra, e tal, cada um tem que fazer sua parte no que acha certo.
    Agora tentar mudar isso dos brasileiros não gostarem de pagar aplicativos vai ser complicado, é da cultura já. Não adianta vir aqui e falar mas eu pago por meus aplicativos, mas você para pra pensar e filmes, músicas, séries, será que quem compra aplicativos também compra músicas, filmes e séries digitais? Então isso tudo acaba ficando em vão, você ajuda os desenvolvedores, mas e as empresas de mídia? Aí que tá, não são só aplicativos, e essa cultura brasileira já vem de muito antes, na época do K7, CD, DVD, e hoje em dia até mesmo Blu-Rays são pirateados, já saiu do controle, o problema maior talvez não seja nem mesmo o usuário não querer pagar, talvez o preço praticado se comparado ao ganho da média dos brasileiros acaba tornando isso inviável.

  • Ed

    Brasileiro não é capitalista, é “dinheirista”: Só quer saber de tirar vantagem em tudo.
    Também, a décadas que o Méqui distribui livros ensinando que capitalismo é injusto, que empresários são burgueses malvados que exploram os pobres trabalhadores, que o socialismo é lindo… Só podia dar nisso!!!

    • Fabio

      Concordo plenamente. Sugiro aos “intelectuais” de plantão ler um pouco da obra do Professor Olavo de Carvalho. Em suas obras é explicado com detalhes como chegamos onde estamos hoje!

  • Ocelo Filho

    Quanto ao Office, eu achei que não vale a pena porque tenho o iWorks tanto no meu macbook quanto no meu iDevices. Por que pagar se eu tenho uma solução tão boa quanto?

    • aleguarita

      Justamente meu pensamento. Apesar do Excel e Word serem melhores em vários pontos, o Pages e Numbers resolvem meu problema (e a forma de trabalhar tabelas do Numbers é invejável… o Excel é mais completo com relação aos recursos, mas a usabilidade do Numbers dá show).

  • Jonatas Brisotti

    Excelente matéria, parasitas acordem! Se você recebe pelo seu trabalho por que os desenvolvedores, sejam eles pequenos ou gigantes mundiais não podem?

  • Manolo Dorgas

    Eu pago só se não for Gratuito em outras plataformas.
    Já me deparei com vários Jogos/Aplicativos. que para Android?Windows Phone são gratuitos e para IPhone é pago.
    Cansei desse papinho de “Pagou x no telefone e não quer pagar Y no app” tá,mas porque em um é pago e no outro não? quer dizer que se eu comprar uma BMW a Gasolina pra mim vai ser mais cara?
    O povo compra IPhone em 12x no cartão do pai e vem aqui querer propagar pensamento elitista.!

  • Eu pagaria pelo App se fosse algo vitalicia, como já comprei mais de 200 Apps, mas esse pagamento mensal é que fode.

  • aleguarita

    Com relação ao Office, o problema é que a própria suite tem a política de pirataria. Muitos dos que estão aqui defendendo (ou criticando) o pagamento de pass já devem ter usado o Office pirata em algum momento de sua vida.
    Aí ficou aquela mentalidade falsa de que o Office é de graça. Quando vem a versão para iOS acham um absurdo que ele deve ser pago, já que nunca pagou para usá-lo.

    • Bruno

      Concordo com você! O mesmo pode ser dito em relação à nova versão do Photoshop, baseado na nuvem e com acesso mediante pagamento mensal. Acabou a farra do Photoshop piratão.

      Errado? Claro que não, pleno direito da Adobe (ou da Microsoft, no caso do Office).

      E concordo com o que disse o iLex, no Brasil ganhar dinheiro é “errado”. Sempre que alguém ganha dinheiro as pessoas pensam que isso ocorreu “nas costas de alguém”.

      Engraçado que quem pensa isso não pensa que ele também ganha dinheiro “nas costas de alguém”. Se você está recebendo dinheiro, obviamente significa que você está tirando dinheiro de outra pessoa, oras. É uma hipocrisia só nesse País.

  • Carlos

    A questão não é “brasileiro não gosta de pagar”… Tem que levar em consideração que tem muito aplicativo por aí que cobra um valor e não vale sequer 0,01. Eu acredito que ninguém aqui gosta de pagar por algo que simplesmente não conhece. Aplicativos que tem versão trial e provam o seu valor, pago sem choramingar… mas fico muito pé atrás para pagar por app que não sei se cumprem o que anunciam. Tem reembolso? Tem mas acho o tempo curto demais para isso.
    Outra coisa que acho um saco é ter que ficar preso a uma plataforma. Uso o sistema que me convir no momento e sair comprando apps é uma droga pq ao mudar de SO perde-se tudo…
    Tenho apps pagos sim.. e já paguei por apps que também possuiam versão free (com Ads), apenas para valorizar o trabalho do desenvolvedor, que foi estupendo!

    • Jason Baroni

      Eu concordo com você, Carlos. Eu sou a favor de a Apple oferecer um timing de testes para a devolução da compra de aplicativos, justamente porque nem todos tem uma versão trial e alguns parecem bons mas nem estáveis conseguem ser em aparelhos mais modernos, inclusive. Eu também pago por apps, inclusive por apps pagos que contém ads, justamente para reconhecer o dev. e ter uma experiência ainda melhor.

  • Waguity

    Bom… Ótima forma de justificar assinatura do iThing, né??? Sei…

    • Jason Baroni

      Eu não assino a iThing por não ser um leitor voraz de revistas digitais, mas não quer dizer que na minha visão o Blog esteja justificando nada. A iThing é um trabalho deles, completamente honesto e bem feito, então, que mau cobrar? Você pode acompanhar o blog de forma gratuita como eu, o que te trará um conhecimento muito bom sobre a Apple.
      Você não acha que o seu trabalho é digno do seu salário? Então pense bem antes de expor este tipo de pensamento.

  • Pedro

    Poderia haver um modo de testar aplicativos antes de comprar, já me ocorreu de ter comprado um app e em seguida perceber que não se prestava exatamente a tudo aquilo que anunciava.

    • Jason Baroni

      A Apple faz reembolsos. Exija o seu direito 🙂

      • Eu mesmo já fiz várias vezes isso, e eles devolvem rapidamente.

        • Jason Baroni

          Eu também! Tanto no Brasil quanto nos EUA. Tenho um iPhone 5 e já comprei diversos aplicativos que travavam direto.

  • João Paulo

    “A Apple se preocupa com servidores, configurações, cobrança em moeda local e pagamento” … Realmente, da pra perceber a preocupação da Apple com a moeda local (ironia).

  • Luan Carlos Schmitz

    estava vendo o valor do Office 365. Como sou estudante, iria pagar R$210,00 para usar durante 4 anos. Só o ponto negativo, que eu entendi era que precisaria pagar á vista esse valor.

  • Ingrid Lima

    Acho interessante, se puderem, comentar sobre o Oi Mapas, que é um GPS global offline bem bacana da operadora Oi e tem o TomTom como provedor! De graça ainda! Boa opção pra quem não pode pagar pelo app original. Eu curti bastante 🙂

  • Tião

    Texto perfeito!! Só um erro, “instituição de caridade” também tem custos e alto, agua, luz, telefone, empregados, manutenção de sua área física, impostos e por ai vai…nem respirar é de graça hoje em dia 😉

  • Silas Piacenti

    Corrige lá. Está semana não. Esta semana. 🙂

  • É complicado isso, eu pago pelos aplicativos que quero ter e não são grátis, e não vejo problema nisso.
    Acho que isso está sendo dito de uma forma generalizada.
    Até porque, do que adianta você pagar 2 ou 3 mil reais num aparelho e não ter créditos ou piratear aplicativos?
    Só por status? Acho que quem dá 2 ou 3 mil reais num iPhone tem condições claras de pagar por aplicativos.

  • Bruno

    Odeio como brasileiro prostitui e desmerece o trabalho alheio.

  • Ramon Júnior

    Me desculpem, eu não tenho um iPhone ainda (Vou ficar até 00:00 na Apple Store BR) por isso não criei uma conta no fórum, mas tenho uma dúvida , qual App Store é mais vantajosa? (Eu fiquei um tempo sem acompanhar noticias do BDi!) E me desculpem por isso

  • AlysonRP

    Não sei se aqui é um bom lugar pra perguntar mais procurei na net e não achei. Alguém sabe me dizer se a appstore funciona com cartão nacional?

    • João Paulo

      Acho que só internacional

  • Daniel Alencar

    Disse tudo. Eu concordo com sua opinião, Ale. Também nao precisa querer comprar o mundo todo, e de uma vez só. Compre aos poucos aquilo que vc considera útil. Eu nao acho errado o preço do office nao, e ta até barato de mais, principalmente pra quem usa muito, como foi citado no artigo. Qualquer coisa é assim, vc nao vai comprar algo que nao use ou que nao te beneficie de alguma forma…

  • Vinicius

    Ótimo artigo!
    Como pode-se ler nos comentários, é uma questão bem relativa.
    Eu mesmo NUNCA comprei um app, e nem uso jb. Só não vi nenhum app que eu realmente necessitasse pagar que um gratuito não faz o mesmo!

  • Daniel Alencar

    O Disqus ta pesadíssimo no iPhone 4 :/

  • Daniel Alencar

    Esse artigo vai virar, como diz o Marchwill: “Polêmica!”

  • Álvaro Costa

    Bem, eu vou prestar minha opinião pessoal.
    Eu, como brasileiro, não vejo problemas em comprar aplicativos ou outros. É como comprar um bem de consumo, como um Rolex ou um iMac. Mas o grande problema que encontro, e nesse quesito eu acho que falo em nome de todos os brasileiros consumidores, é que comprar alguma coisa na AppStore é muito complicado. Veja, que você precisa primeiro de um cartão de crédito INTERNACIONAL. Eu dou graças pelo meu Visa Platium, se não minha vida estaria complicada na AppStore. Segundo, que os preços ainda são colocados em Dóllar, mesmo o Brasil tendo sua moeda local, o Real. E o Brasileiro, ele é muito acomodado,vou muito ocupado. Eu falo isso, porque os acomodados se contentam com os apps grátis, que são excelentes. E os ocupados, como eu, nem sempre têm tempo ou paciência par

    • Álvaro Costa

      Bem, como eu estava falando, antes de ser interrompido por um bug no meu iPad, os ocupados nem sempre têm tempo ou disposição para tratar dessas questões burocráticas e entediantes.
      É uma pena que isso aconteça, porque a Apple é a principal prejudicada, financeiramente falando. Isso também prejudica a experiência do usuário, o que não é nada agradável.

  • Mauricio

    Concordo que o brasileiro é averso a pagar por softwares. Mas não concordo com a cobrança de MENSALIDADE para uso de software.
    A Microsoft sempre teve essa vertente monetarista para poderem dizer que são os mais ricos do mundo e, com isso, acabam fomentando a pirataria.
    Exemplo: Meu uso é doméstico e, portanto, uso muito pouco softwares de planilha e textos (de apresentação nem uso). Comprei o Numbers porque o preço é justo e a Apple consegue ter lucro com isso.
    Se a Microsoft vendesse esse aplicativo por um preço justo, milhões de pessoas que não o baixarão por causa da MENSALIDADE, o adquiririam.
    Da forma como agem, acabam “empurrando” clientes potenciais para a concorrência. Já estou começando a me adaptar ao Numbers e acho que em breve poderei ignorar o Excel.

    • Aniello Greco

      Bom, tem uma questão que vale a pena observar: a mensalidade não se refere ao uso do Office no iPad, mas sim ao uso do Office 360. O Office 360 é o sistema de edição e sincornização de documentos Office na nuvem. 90% de quem usa o Office de forma pesada hoje já possuem a assinatura do serviço, pois ele facilita e muito a portabilidade dos documentos em vários equipamentos, e principalemente, a possibilidade de editar os docuemtnso em qualquer computador com internet.

      Para este usuário o Office no iPad é gratuito. Pois ele já assina o Office 360. Para quem não assina o Office 360 cabe a pergunta: é realmente essencial ter uma ferramenta Office profissional em seu tablet? Provavelmente se você não assina o Office 360, você não tem necessidade de portabilidade de documentos e edição em qualquer momento. Então para que ter o MS Office no seu iPad? Outras opções mais simples já existem para editar textos e planilhas.

      • Mauricio

        Aniello,
        Você tem razão quando defende essa opção para os clientes corporativos ou de uso pesado como você diz, já que inclui a questão da nuvem.
        Mas eu gostaria de poder continuar usando o Word e Excel, aproveitando os muitos anos em que usei essas ferramentas quando trabalhava, para as minhas planilhas e textos, sem necessidade de nuvem nenhuma.
        Se houvesse uma versão para venda separada dos aplicativos para uso no equipamento, sem nuvem e sem sincronização já estava bom, afinal para meu uso posso resolver isso com o Dropbox. E assim poderia ter um preço justo.

        Da forma como está, a Microsoft limita o seu público e é aí que digo que ela perde terreno para a concorrência.
        Não é uma coisa que vá acontecer para amanhã, mas com o passar do tempo e os jovens que começaram a usar o Numbers porque não tinham acesso aos softwares do pacote Office chegarem ao mercado e forem gerentes e donos de empresas impactará no mercado.

  • Marcelo Rangel

    Para quem tem o aparelho para trabalho, logico que é válido. O Brasileiro tem a cultura de não gostar de pagar por programas, a maioria tem o sistema do computador pirata, assim como todos os programas instalados, esquecem que para isso tem todo um trabalho, pessoas que estudaram, que trabalham e que se dedicam.

  • Zephon

    iLex, eu não vejo problema algum em pagar por aplicativos, tanto que comprei todo o pacote do iWork quando comprei o iPad 2 a alguns anos atrás.

    O que não me agrada é esse esquema de assinatura adotado pelo Office, uma vez que não tenho necessidade dos serviços de nuvem inclusos no pacote. Preferia comprar o aplicativo por um determinado preço e ter a escolha de assinar o serviço de nuvem separadamente.

  • buzzcots

    No brasil em vez de usar a palavra comprar no botao para efetuar a compra deveria colocar imposto ou ajude o PT a sai da cadeia ai a grande maioria pagaria sorrindo !!! infelizmente é o que ferra nosso pais, o brasileiro sempre quer achar um jeitinho e nao é so no aplicativo se voce compra um misero pão e o caixa te da o troco errado a pessoa que comprou sai facera que lucrou com o erro da outra e no final nao pensa quem alguem tem que arcar com este custo nos apps a mesma coisa pagam o que pagam em seus smartphone ai quere sair usando app de graça ou compram o melhor notebook e ja tentam achar um jeito de enfiar o MacOS ou Windows piratinha kkkk em geral é essi pensamento mediocre que nao ajuda o pais a melhorar

  • Bruno Burin

    Acredito que existem dois fatores que influenciam muito, o primeiro é o fato do valor aparecer em uma moeda estrangeira (dólar) automaticamente faz pensar que alguma coisa é cara.. Ainda que isso não tenha nada a ver.. mas acredito que muitos comprariam mais aplicativos se ao invés de mostrar 0,99 USD – R$ 2,39 (acredito) – Outro fator importante é o receio de comprar aplicativos que realmente não servem para nada. No começo eu também tive esse medo de comprar algo inútil porém depois de começar a ler reviews e as avaliações da AppStore mesmo mudou muita coisa.

  • Paulo

    Não lí nenhum comentário abaixo, então existe a possibilidade que algo que as pessoas já mencionaram nos comentários seja mencionado aqui também.

    O primeiro ponto que ajudaria muito a diminuir o “medo” de compra de um aplicativo na loja da Apple seria a possibilidade de testar os aplicativos. Alguns desenvolvedores já fazem isso lançando uma versão free e uma versão paga dos seus aplicativos, o que ajuda o usuário a decidir se vale ou não a compra. Como mencionado no tópico, cada usuário tem um necessidade diferente, portanto, a percepção de valor do produto pode variar de pessoa para pessoa, e neste caso a versão de teste do app encaixa como uma luva. Outro ponto que a versão de teste ajuda a validar é a qualidade da aplicação que é oferecida. É comum que alguém tenha dúvida para comprar algo sem saber a qualidade do produto ou até mesmo sem a possibilidade de testa-lo, especialmente neste mercado que está cheio de más opções. Hoje a Apple Store não funciona como o Google Play que oferece um trial da maioria (ou de todos, fica a dúvida) aplicativos na loja de maneira fácil para o desenvolvedor e para o usuário final, isso é algo que eles poderiam melhorar e na minha opinião ajudaria muito a aumentar a venda dos aplicativos pagos apenas uma vez, talvez podendo até mesmo se igualar ou pelo menos diminuir bastante a diferença que existe de rentabilidade dos aplicativos com a opção de in-app purchase.

    Já sobre o valor a ser cobrado por cada aplicativo é bem relativo pois temos inúmeros modelos de negócio, desde comprar uma única vez até o de uma assinatura anual, nesse ponto o desenvolvedor deve achar o modelo mais sustentável para cada situação. Não é fácil mas é necessário!

    O texto ficou um pouco longo então imagino que muitas pessoas não vão ler até o final, mas espero ter ajudado e exposto a minha opinião com clareza.

    Abraços,
    Paulo.

  • Vitor Souza

    Eu acho que as pessoas não compram app pois é muito burocrático comprar com cartão de credito.
    Recorrer a giftcard com preços altos ninguém está sujeito a isso.
    Se tivesse uma forma simples e aceitável acho que o cenário seria outro.

  • Samuel Leite

    Em um ano de assinatura do Office, com o valor apresentado na matéria, o total da cerca de 150,00 reais, que pagam de sobra um GIFT CARD com 50$… Com 50$ acha uma opção mais em conta e compro vários outros apps…

  • Fillipe Nader

    Eu não acho nada de mais pagar por apps mas o Office deveria ser preço fixo e não mensal.
    Só deve ser mensal se a empresa tem gastos depois da venda como no Netflix que eles tem que disponibilizar a streaming ou serviços na nuvem.

  • x

    que artigo ruim e preconceituoso

  • O problema é que , nem todos tem cartão internacional, como eu ….

  • André Duarte

    Eu tenho uma conta americana desde o primeiro Iphone, sempre que quis comprei apps, não vejo problema e pagar por eles. Não há nada melhor do que vc pagar por algo e exigir do programador as contantes melhorias da aplicação. Outra coisa é poder contar com os ilimitados recursos que só ficam disponíveis nos apps pagos, e não ter a dor de cabeça de lamentar “que pena só falta isso”.
    Não gosto da idéia da mensalidade ou de anualidade.

  • arnaldo

    Não tenho como pagar, pq não uso cartão de crédito por opção. Até pq não sou rico para pagar altas taxas para os banqueiros…
    Se fosse por boleto compraria alguns apps sim.

  • Thiago

    Sei lá, não sou adepto de generalizações. Não diria que “brasileiros não gostam de pagar por apps”, mas sim que “muitas pessoas não gostam de pagar por apps”. Pirataria não é exclusiva do Brasil pra merecer o título do artigo.
    Fora isso, concordo com o texto em todos os sentidos!

  • Raphael

    Eu fui uma das varias pessoas que utilizavam o jailbreak para usar aplicativos pirata, o estranho é que vem certas pessoas reclamando porque “agente” faz isso!! …vem me dizer então que todos os seus programas em seu PC/MAC são originais?!! ou que você nunca assistiu um filme pirata, ou baixou algum filme na internet?!! qual a diferença de eu baixar um aplicativo pirata, dessas outras coisas? Eu entendo que é errado! Analisem vocês mesmos de forma sincera e parem de julgar alguém que se recusa pagar $ 0,99 em um aplicativo, para baixar um pirata.

  • Risos!!

    É porquê nós somos um bando de lisos!!

    Rararararra!

  • Tiago

    Eu comprei o TomTom por US$49,99 e fiquei muito feliz com a aquisição na época, que não tinha o Google Maps e nem o Waze como alternativas. Sem falar que este valor é muito inferior a um aparelho de GPS de qualidade.

  • Smmonteiro

    Concordo plenamente com todos os argumentos colocados no artigo. A minha crítica à Apple Store está na impossibilidade de uma “experimentação” dos aplicativos. Na maioria das vezes, temos que nos basear apenas nas avaliações publicadas e torcer para que o aplicativo corresponda à nossa expectativa. Não é evidentemente o caso do pacote do Office, já de amplo conhecimento e uso nos desktop e notebooks. Me refiro a novos apps, que na maioria das vezes prometem muito e oferecem pouco. Se é de graça, desinstala e não se perde nada. Se pagou por ele, aí vem o arrependimento, mas… já era. Acho que a solução seria conceder uma período de avaliação, após o qual o aplicativo seria bloqueado. Se gostou, paga e ele permanece instalado.

  • iJunio

    Realmente isso é uma porcaria, você tem dinheiro para fazer tudo, mas na hora de comprar algum aplicativo a pessoa se sente muito explorada. Eu não pensaria duas vezes para comprar um aplicativo para me ajudar na escola, ou até mesmo em utilidades do dia-a-dia. Então esse povo brasileiro tem que parar com essa marinhagem de não querer pagar 1 dólar por um aplicativo que pode ajudar muito na sua vida.

  • Gabriel Ferraz

    Realmente o povo brasileiro é meio ” triste ” nessa questão, ainda uso um 4S pois no momento atende as minhas necessidades, e pelo preço pago no aparelho na época, creio que 10 – 20 R$ no final mês não é uma quantia alta o suficiente para matar ninguém, dá mesma forma que eu, você e creio que todo mundo gosta de ser recompensado por um trabalho bem feito, com certeza os desenvolvedores dos apps merecem ser reconhecidos e recompensados por um bom aplicativo, que no meu caso está presente na maioria dos meus dias, sendo ele um simples joguinho casual ou algo que realmente me ajude no trabalho.

  • Nicole

    O maior empecilho é: cartão internacional.

  • Christian

    Até entendo pagar para compensar custos da empresa de software, o caso do microsoft office é diferente, pois querem instituir uma MENSALIDADE. Imagine se virar moda, a Apple cobrando uma mensalidade para usar o IOS nos Ipads e Iphones, poderiam até cobrar barato, mas duvido que alguém aqui ia aprovar.

  • Kamilla

    Quem ñ tem cartão de crédito ou não pode pagar, é só usar o FreeMyApps (vale pras contas americanas).

    http://blogdoiphone.com/2012/02/testamos-o-freemyapps-o-site-que-presenteia-aplicativos-para-iphone-e-ipad/

  • Paulo Guagliano Sazon

    Onde está o botão curtir e pagar uma cerveja pro Ale?
    Tomara que mais leiam e abram suas cabeças!

  • Rô Santos

    Compro muitos jogos e não vejo pq não pagar por eles, afinal, todo app tem seu custo, seja ele alto ou baixo, na época em que tinha video game eu pagava por cartuchos que eram bem mais caros, pq não pagar por apps?

    O problema é que boa parte do povo brasileiro já se acostumou a adquirir produtos piratas, e tem isso como algo normal, então não importa se o produto custa R$ 0,99 ou R$ 40,00, pq ele sempre vai optar pelo pirata, o que precisa é mudar a mentalidade do povo, e isso meu amigo, acho difícil…

  • Destróier

    Sou desenvolvedor e tenho um App que hoje está desatualizado a mais de seis meses. Motivo: falta de dinheiro!
    Todo o App foi desenvolvido com recursos próprios, desde a compra de máquina, até os custo de produção, ferramentas auxiliares para tratamento de dados, além dos custos mencionados na matéria. O saldo final foi um app com custo de produção em torno de R$50.0000,00. Para não cobrar o App foi incluído um sistema de banner para cobrir os custos e a opção de retirada do banner de publicidade por 1,99, contudo como a Apple não é fraca no Brasil, a renda gerada pelo iAd não passa de 50 dólares mensais. Sei que posso incluir outros plataformas de publicidade, mas com o App lançado a cerca de um ano e meio, o total arrecadado com ele sequer atingiu 6.000,00 reais. Resultado, tenho um bom App que não se sustenta e que nem se pagou. Por várias vezes já quase o retirei da App Store e só o não fiz, por conta dos poucos usuários que pagaram para a retirada do Banner. Além disso 98% da renda obtida com o App não veio da Apple Store e sim de um concurso que o aplicativo participou e conseguiu o primeiro lugar. Felizmente na semana que resolvi retirar de vez o App do Ar, surgiu um parceiro importante que pode conseguir alcançar o projeto devido a sua influência no nicho do App. Temos uma versão planeja para Android e que até hoje não conseguimos tirar do papel, pois sequer conseguimos pagar os custos da versão IOS.
    Vou listar aqui alguns dos custos que tivemos com o App:

    Plataforma de banco de dados;
    Designer;
    Sistema de criptografia;
    MACs;
    Luz;
    Condômino;
    Programadores;
    Treinamento em XCode;
    Servidor web de atualização;
    Hospedagem do site do App;
    Desenvolvimento do site do App/empresa;
    Custos de abertura de empresa/impostos/contador;
    Licença de Ferramentas diversas(sempre tentamos usar softwares livres, contudo nem todas as ferramentas livres conseguem atingir o mínimo de qualidade necessária);
    Enfim, todos este custos ficaram a cargo de cada um dos envolvidos, já que acreditamos muito no App, mas como não tivemos o retorno necessário(veja bem, não estou falando de lucro) estamos com dificuldade de manter o App em dia.

    Resultado: Eu perdi dinheiro?! Não, pois todos executamos nossas tarefas por amor e acreditar q ele pode gerar frutos, e de fato gerou(o App foi tão bem visto, que hoje estou trabalhando em uma empresa que está diretamente ligada ao nicho do mesmo, pois eles adoraram o App), apensar de não se sustentar, mas o fato é que quem mais está perdendo é o próprio usuário, no qual não esta tento as atualizações necessárias no tempo certo.

  • Fabrício

    Não me importo de pagar por um bom aplicativo, mas já tive algumas experiencias negativas, como: 1) Comprei um aplicativo e ele não funciona mais; 2) Comprei aplicativo “caro” e descubro que para usar as funções avançadas preciso comprar “separadamente” cada ferramenta nova; 3) Comprei aplicativo de foto que dizia fazer algo “espetacular” e a experiência foi péssima; 4) Não pago por serviços que usarei vez ou outra. Que tal limitar por um determinado números de vezes o pacote office!?

  • MARCO MAIA

    Alguns motivos para eu parar de usar o iPhone:

    1. Recentemente utilizei pela primeira vez o Suporte do Brasil (minha loja é do Reino Unido). Nunca vi nada mais ruim em toda minha vida. Tive que fazer 5 (cinco) atualizações da versão 7.1 e cada uma interagiu diferentemente no meu iPhone. Um fiasco. Mais de 40 bugs e estamos absolutamente sem suporte algum – que fique claro – NÃO TEMOS SUPORTE ALGUM.

    2. Eu simplesmente ODEIO O ITUNES. Recentemente comprei um app que nem abriu. Não consegui encontrar no maldito iTunes a opção de “refund”! Na verdade, a gente não encontra nada nesse maldito software dos infernos!

    3. Os aplicativos estão cada dia piores, cheios de problemas, e não recebemos nenhum suporte da Apple para resolver qualquer questão. Comprou um app e não funcionou? Foda-se! E assim que a Apple nos trata.

    Some-se a tudo isso o fato de a Apple cooperar com a NSA, inclusive na criação de um Spybot para nos vigiar. Esse tipo de empresa não merece sequer continuar existindo!

    A cada dia que passa eu odeio mais e mais a Apple!

  • Bruno Soares

    Se um aplicativo fosse bom, eu pagaria por ele…. quando tinha meu iPhone, eu gostava de comprar apps, pois acreditava que, por serem pagos, seriam mais bem trabalhados(infelizmente nem todos eram)… mas é claro que, como eu ainda nao trabalho e sou dependente para fazer tais compras, era obrigado a, de vez em quando, usar serviços como Free My Apps

  • Rogério

    Eu até já paguei por alguns apps e fiquei muito satisfeito, porém o que me faz pensar em comprar outros é a desconfiaça se o app realmente é bom e irá valer a pena.
    Já deixei de comprar por não ter certeza que o app irá me atender.

  • Johanna Beringer

    Ale, ótima pontuação. Parabéns pelo texto. Abs.

  • Vitor

    Não teria o menor problema em pagar por um app (até porquê a maioria que é paga cumpre sua função muito bem), o único impasse que tenho é a dificuldade para realizar o pagamento dos mesmos, e a injustiça de ter que pagar em dólar (que dobra o preço da compra). Se existisse a possibilidade de pagar com cartão de crédito comum, e em real acredito que seria muito mais fácil.

  • Perfeita a matéria, as pessoas julgam o valor a se pagar por horas de trabalho de um profissional, mas não gostaria de ir um dia sequer trabalhar de graça em sua ocupação remunerada… Coloque uma coisa na cabeça, se é útil à você, pague o que for necessário!

  • Vitória Oliveira

    Eu sou louca por apps e não compro o IPhone por isso! Eu só uso bons apps e gratuitos! Do meu Wunder Maps até o PSafe, só uso gratuitos! Nada de pagar! ahaahah