App StoreAppleCuriosidades

App Store: há 5 anos, se iniciava uma revolução no mundo dos celulares

App Store 5 anos

10 de julho de 2008. Exatamente neste dia, começava a funcionar no Brasil e no resto do mundo a então nova App Store, a loja de aplicativos da Apple. O dia é de fundamental importância, pois começava ali uma grande mudança no mercado mobile, que se tornaria uma tendência em todas as marcas. Conheça um pouco a história e como tudo aconteceu.

O começo

O lançamento do próprio iPhone, um ano antes (2007), já tinha sido revolucionário. Afinal, era um aparelho que abolia o teclado físico e tinha uma capacidade técnica que permitia ser um pequeno computador de bolso, muito além de qualquer celular e PDA da época. Porém, toda a empolgação inicial da comunidade de programadores virou decepção ao se descobrir que não seria possível instalar aplicativos no aparelho. Todo aquele potencial desperdiçado seria limitado a apenas 16 apps nativos que vinham no sistema, nada mais. Nem jogos tinha.

Em 2007, o foco da Apple não era aplicativos nativos e sim permitir que se rodasse webapps, aplicativos de internet que funcionavam no navegador. Naquela época, todos diziam que este era o futuro (há!).

Esta posição fechada criou um efeito colateral: toda uma comunidade de programadores e desenvolvedores buscou maneiras de penetrar no sistema do iPhone e permitir que se instalasse aplicativos diferentes dos que a Apple propunha e a isso deu-se o nome de jailbreak (a quebra da prisão que era o iPhone OS). Graças a isso, era possível instalar jogos, traduzir o sistema (na época, ele não era em português) e muito mais. A pré-revolução começava marginalizada, feita por um pessoal que não se conformava de um dispositivo tão sensacional ser também tão limitado deliberadamente.

Com isso, a Apple começou a perceber que um enorme filão estava nascendo; ou ela ignorava-o ou se rendia a ele. Ela se rendeu, e em setembro de 2007 Steve Jobs finalmente anunciou que a Apple disponibilizaria um SDK (pacote de desenvolvimento) oficial para o iPhone OS. Os programadores poderiam fazer seus próprios aplicativos, de uma maneira muito fácil.

O nascimento da App Store

Com a base estruturada, a Apple então lançou a App Store, para disponibilizar os aplicativos que os desenvolvedores criavam. E na época, era algo inédito: ela oferecia toda a estrutura para o dev deixar o seu app disponível para o mundo todo, a custo “zero”. Ele não teria que se preocupar com servidores próprios ou implementar sistemas de pagamentos seguros; ela se ocuparia de tudo, só repassando o dinheiro das vendas para ele. Como “pagamento” por tudo isso (e para manter toda a estrutura), a Apple pedia 30% do que o desenvolvedor vendesse. Se o aplicativo fosse gratuito, ele não pagaria nada.

A fórmula fez muitos desenvolvedores adotarem a plataforma e criarem aplicativos, pois já na época tudo o que era relacionado ao iPhone, ia para a mídia.

Em 2008 já existiam aplicativos para celulares, mas eles eram muito básicos (geralmente em Java), sem uma forma unificada de distribuição. A empresa que quisesse vender seu aplicativo tinha que entrar em contado com cada operadora para disponibilizar na rede dela. Era realmente complicado.

O sistema da Apple também abriu espaço para um mundo novo nos aplicativos móveis: não era necessário ser uma grande empresa de software e ter uma estrutura gigante para disponibilizar sua criação. Com a forma como a Apple fez, literalmente qualquer um poderia criar seu aplicativo e disponibilizar facilmente para o mundo inteiro. Era simplesmente revolucionário.

A estreia

Assim, um dia antes do previsto (ela tinha sido anunciada para o dia 11 de julho), a App Store ficou disponível em grande parte do mundo (inclusive no Brasil), com incríveis 500 títulos disponíveis (hoje eles são bem mais, mas na época era uma quantidade incrível para um celular). O primeiro grande jogo, que se tornou um ícone da loja, foi o Super Monkey Ball, da Sega.

Só no primeiro final de semana foram baixados mais de 14 milhões de aplicativos. O Super Monkey Ball rendeu, só no primeiro mês, 3 milhões de dólares à Sega, isso já descontando os 30% da Apple. Nascia ali o interesse do resto do mercado pelo formato e pela própria App Store, deixando executivos da concorrência de cabelo em pé, pois era o novo “produto” a ser imitado.

A explosão inicial foi tão grande que já naquele momento era possível prever que o negócio de aplicativos iria ultrapassar com o tempo aquele da iTunes Store, que era outro mercado que a Apple dominava. O mundo mobile era o futuro.

O dia em que os servidores da Apple pararam

Mas a estreia não foi um mar de rosas para a Apple. No dia seguinte, juntou-se mais dois grandes lançamentos: o iPhone 3G em diversas partes do mundo, um novo serviço de sincronização, o Mobile Me, e mais um novo iTunes, que era baixado por milhares de pessoas ao mesmo tempo. Isso fez com que os servidores da Apple não aguentassem, tornando-se impossível em um certo momento fazer as ativações dos novos aparelhos. O consumidor ficava na fila, comprava o novo iPhone 3G, ia para casa e não conseguia ativá-lo, porque o servidor não respondia. Até fizeram piada na época.

iBrick

Por anos, Steve Jobs lamentou aquele dia.

App Store hoje

Depois de 5 anos, a App Store ainda é a maior loja de aplicativos do mundo. As conferências de desenvolvedores (WWDC) despertam um interesse cada vez maior de profissionais da área, que a partir de 2008 contaram com plateia cheia nas apresentações. Neste ano, os ingressos se esgotaram em menos de três minutos, mostrando que a procura cresce cada vez mais.

É difícil de imaginar hoje nossos iPhones, iPods e iPads sem a possibilidade de instalar novos aplicativos. Virou padrão na indústria e as marcas que não se adaptaram, foram descontinuadas. É a parte divertida dos gadgets, que renova nossos aparelhos de tempos em tempos. Se lembrarmos que antigamente a gente comprava um telefone e ele continuava o mesmo depois de dois anos, temos uma noção de como a App Store revolucionou nossos comportamentos em relação ao celular.

A possibilidade de instalar aplicativos transformou nossos telefones em computadores de bolso, em que podemos fazer uma infinidade de coisas que antes não eram possíveis. Tanto que “telefonar” se tornou a atividade menos usada nestes aparelhos. E é importante ter em mente que foi a Apple que popularizou de maneira gigantesca isso.

É difícil dizer se o mercado de aplicativos evoluiria tanto assim se a Apple não tivesse lançado o seu modelo de loja. Mas sem dúvida, isso teria demorado uns 10 ou 15 anos a mais para acontecer. Foi a App Store que mostrou ao mundo como se faz e acelerou todo o processo. E isso também devemos ao tio Steve Jobs.

Conteúdo original © Blog do iPhone

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados