Notícias

Executivo da Apple nega rumor de um iPhone mais “popular” (atualizado)

É bem raro que qualquer pessoa da Apple confirme ou negue qualquer rumor, mas isto aconteceu hoje.

Nos últimos dias, diversos sites replicaram a opinião de alguns analistas (note bem, apenas analistas) que apostam que a Apple pode estar preparando uma versão mais barata e popular do iPhone, com materiais menos refinados e até mesmo aproveitados de antigos modelos. Isto para atender a demanda de alguns mercados emergentes (Brasil?) onde não há muita subvenção de operadoras e os aparelhos são bem caros, mesmos os mais antigos (tipo iPhone 3GS e 4).

Mas Phil Schiller, vice-presidente de marketing, negou o boato (veja a atualização da noticia no final deste artigo).

Em uma entrevista para um jornal chinês (leia a íntegra aqui, se você for capaz), Schiller declarou:

No início, os celulares que não eram smartphones eram populares no mercado chinês, agora smartphones baratos são mais populares e os celulares comuns estão fora do mercado. Apesar da popularidade de smartphones baratos, isso nunca vai ser o futuro dos produtos da Apple. Na verdade, embora a participação da Apple no mercado de smartphones seja apenas cerca de 20%, nós possuímos 75% do lucro [de todo o mercado].

Este discurso sempre teve lógica para mim. Por que a Apple se preocuparia em lançar mais modelos de iPhones, de fabricação mais barata, se ela já lucra, e muito, com o modelo atual de negócios? O iPhone 5 vendeu 5 milhões de unidades só no primeiro final de semana de vendas nos Estados Unidos. No Brasil, ainda é difícil achá-lo nas lojas, pois os que chegam, são vendidos em questão de poucas horas.

Alguns analistas continuam insistindo que a Apple deveria seguir aquela velha fórmula, usada pela Samsung, de lançar trocentos modelos diferentes para ganhar presença no mercado. Mas ela não precisa disso, precisa? Me parece que seus números financeiros por enquanto dizem que não.

A melhor coisa que Steve Jobs fez ao voltar para a companhia, em 1996, foi enxugar a linha de produtos, que era enorme. Com maior foco, é possível se concentrar em qualidade e inovação.

Espero que a Apple não perca isto.

via TNW

ATUALIZAÇÃO:

Parece que os chineses pisaram feio na tradução do que Phil Schiller disse. O jornal alterou o artigo da entrevista do executivo da Apple, retirando a parte que ele afirmaria que aparelhos baratos “nunca serão o futuro dos produtos da Apple“. No lugar, aparece a seguinte citação:

Apple sempre focou em fornecer os melhores produtos para os consumidores, nós nunca procuramos correr atrás de market share.”

Melhores produtos significa materiais de qualidade, o que descartaria a fabricação de modelos baratinhos (com peças de segunda categoria) para tentar obter maior fatia de mercado. Seja como for, os chineses se confundiram na tradução.

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados