Notícias

Trabalhadores chineses da Foxconn não querem trabalhar menos

A questão da exploração do trabalho chinês sempre foi polêmica, principalmente como ataque à Apple, que fabrica grande parte de seus produtos na China. A imprensa às vezes se esquece que a mesma Foxconn fabrica aparelhos também para diversos fabricantes, como HP, Sony, Microsoft e Amazon, apontando o dedo para a “malvada” Apple.

Claro que para nossos padrões ocidentais, as condições de trabalho no país do rolinho primavera causam indignação por parecer algo sub-humano, mas os próprios trabalhadores lá não pensam assim e estão reclamando da possibilidade de implementarem um limite máximo de horas extras, o que diminuiria muito o rendimento mensal deles.

Uma coisa que todos nós precisamos colocar na cabeça: a diferença de cultura entre nós e os orientais é gigantesca e não podemos aplicar nossos mesmos valores a eles, que já possuem seus próprios arraigados.

Justamente por ser a mais atacada pela opinião pública (prego que se destaca leva martelada, como dizia o filósofo), a Apple resolveu contratar uma empresa independente para fazer uma auditoria nas condições de trabalho nas fábricas da Foxconn. Isso até rendeu um programa especial na TV americana, acompanhando esta auditoria.

O resultado da investigação não foi nada favorável à fábrica: todas as três unidades da companhia desrespeitam o limite legal de 60 horas semanais de trabalho (somando horas normais com as extras), sendo que em época de pré-lançamento de produtos, praticamente todos os funcionários passam deste limite, sem direito a um dia de repouso na semana.

A Apple, obviamente, resolveu agir. Exigiu que a Foxconn tomasse uma posição quanto às irregularidades e a mesma já anunciou que irá diminuir a quantidade de horas extras de seus funcionários, para se enquadrar às leis. O próprio Tim Cook resolveu ir até uma das fábricas para ver de perto como andam as condições dos trabalhadores.

A associação Human Rights First elogiou muito a medida e disse em declaração que todas as empresas deveriam seguir o exemplo da Apple em relação à preocupação com as condições de trabalho na China.

Mas não é o que pensam os concorrentes da Maçã. Amazon, Dell, HP e Sony podem sofrer com este tipo de intervento humanitário, pois isso tende a aumentar os custos de produção nos países asiáticos, reduzindo muito a margem de lucro destas empresas. Tudo, como se vê, gira em torno do dinheiro.

Outros que não parecem muito contentes com essas decisões são os próprios empregados da Foxconn. O jovem Chen Yamei (25 anos) foi ouvido pela Reuters e disse que ele e seus colegas não estão contentes de limitarem as horas extras à 36 horas mensais, quando antes se fazia 60. Muitos são oriundos de famílias rurais pobres e o dinheiro a mais vindo com o trabalho extra ajudava muito na receita familiar. Trabalhar menos para eles significa ganhar menos.

E então? Quem é vilão e quem é mocinho nesta história toda? Você pagaria mais por um gadget eletrônico (seja iPhone, Android ou Playstation) se ele viesse de uma fábrica que respeita os trabalhadores e não os explora? Será que a responsabilidade é só de quem manda fabricar ou é também de quem compra (sim, estou falando de você) estes produtos vindos da China?

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Rodrigo

    Não vejo nada demais em deixá-los trabalhar mais, em troca de maior remuneração. Quem deveria avaliar o limite é o próprio trabalhador…

    • Andrey

      Às vezes ele não tem escolha, tem umas 4 bocas pra alimentar e aquela história toda… Produtos produzidos por trabalho ilegal não deveriam nem ser vendidos pra começar e não depender da nossa escolha de compra.

      • Alexandre

        Se ele tem quatro bocas pra alimentar e o dinheiro que ele ganha com o tempo normal não basta, ao proibir que ele trabalhe mais você está condenando a família a não conseguir se sustentar…

        • Dante Regis

          vc tá ligado q existe uma solução simples pra isso né? pagar salário decente sem necessidade de trabalhar mais de 60 horas semanais… e encarecer o preço dos gadgets q vc compra.

          • Juliana

            Não precisa encarecer o preço dos produtos. É só diminuir a margem de lucro. É só olhar qualquer levantamento de qualquer auditoria financeira pra ver que a Apple é, disparada, a empresa que mais lucra com a venda de produtos.

            Ou seja, ela pode fazer a parte dela. É só querer.

            • Juliana, acho que você não leu o texto.
              A Apple é a que mais pode diminuir as margens de lucro, pois é a que mais tem. Por isso que ela pode se dar ao luxo de exigir que os operários comecem a ganhar mais.
              O que o texto realça (e você deve ter lido) é que os concorrentes, por terem menores margens de lucro, teriam mais dificuldades com o aumento do custo de produção.

              Sugiro, mais uma vez, reler o texto acima com mais calma. Às vezes, na ânsia de culpar a Apple, muitos acabam não interpretando bem os textos. 😉

            • Juliana

              ILex, você achou errado: é claro que eu li o texto. Em nenhum ponto ele diz claramente que a Apple está exigindo condições mais humanas e, em contraposição, oferecendo uma parte do seu lucro para que estas condições sejam cumpridas.

              Pelo contrário, no final o seu próprio texto pergunta se o cliente está disposto a pagar mais por gadgets fabricados em condições mais humanas. De minha parte, posso responder: sim. E se esse aumento não for viável ao meu orçamento, trocar por um aparelho que caiba dentro dele.

              A questão é: a Apple está disposta a abrir mão de parte do seu lucro para que se dê aos trabalhadores condições mais humanas? Ou ela vai fazer simplesmente como as outras que irão sofrer mais: aumentar o preço do produto final?

      • Marcos

        Concordo!!

    • Danio F Gomes

      Acontece q na lei da oferta e procura as vezes nos submetemos a questões como esta… com uma população sedenta a emprego e poucos bons postos de trabalho, esta se submete a regimes de emprego de fato subhumanos…
      Pelo preço q já se paga pelos produtos da Apple no Brasil, bem q todos poderiam ser fabricados aqui… alguns %%% a mais não tornaria exagero o já exagerado preço destes iProdutos… estaríamos valorizando a mão de obra nacional e ainda por cima com a certeza de uma fiscalização ativa por parte do Estado (MP do trabalho e TST…)

    • Souzabsb

      De fato vc está certo. Ainda mais que a maioria dos funcionários são do interior da China e moram em alojamento, não tendo o conforto de sua família nos momentos de descanso.
      Quem é de fora quer faturar não importa a hora.
      Eu gerenciava obras de engenharia, e o pessoal que estava alojado não se contentava com apenas duas horas extras por dia, queriam trabalhar 10 horas também no sábado e alguns até no domingo. Quando reduziam horas extras, ameaçavam ir embora.

    • Pedro

      Isso é questão de saúde publica. Pq vcs acham que na maioria dos países tem limite? É para o próprio bem do trabalhador. Ainda mais na China, onde eles não têm previdência. Daqui a pouco eles vão ter alguma doença do trabalho e não vão receber nada, vão ser mais uma boca que outro membro da família deverá sustentar. Aí eu quero ver se ele não vai se arrepender de querer trabalhar isso tudo. O buraco é muito mais embaixo, só essa ação não muda nada lá, apesar de já ser um começo.

      • Danio F Gomes

        O Pedro disse tudo… ótimo!

      • Victor

        Não se pode achar melhor que o outro a esse ponto. Ele quer e precisa trabalhar. Ninguém está obrigando ele a isso.

        O discurso da ‘saúde pública’ permite todo o tipo de abuso… Proibição de drogas, uso de cinto de segurança, uso de capacete, leis antifumo etc. Claro, para os instruídos são regras óbvias e a princípio positivas, mas oprime as liberdades individuais e retira do indivíduo o direito mais básico de escolher o que quer para sua vida.

        A última aqui no Brasil neocomunista é a absurda proibição de cigarros com sabor (e olha que eu nem fumo).

        A proibição do bacon está próxima, aproveitem pra comer enquanto a venda ainda está permitida.

        E, pra finalizar, se esta onda continuar, a China vai ser prejudicada e não poderá passar pelos estágios de de desenvolvimento que os outros países já passaram.

        • Rodrigo

          Gostei do seu comentário. Na minha opinião, deve-se dar autonomia para o cidadão fazer o que quiser com sua vida. Jamais o Estado deveria se meter nestas questões. Infelizmente, estamos tão acostumados ao Governo atuar como “babá” dos cidadãos, que acabamos nem ligando para absurdos como este protecionismo. Isto é óbvia privação da liberdade individual!

  • A questão não é diminuir o limite de horas extras, mas sim remunerá-los decentemente !

    • Geeklan

      Exatamente! O governo da China deveria intervir e estipular melhores condições de trabalho e salário. Mas como sabemos, isso não é de interesse do governo, visto que o lucro gerado e o crescimento para o país estão ótimos do jeito que estão.

  • Copeta

    E eu que pensava que eles fabricavam os iphones com muita raiva por não terem muito tempo de descanso

  • Thiago Corrêa

    Eu fico meio inconformado com toda essa baderna…

    As pessoas dizem que o que eles ganham é absurdo, mas um americano acha que todos nós somos ricos por ir, por exemplo, num MacDonalds considerando que os preços sao ABSURDOS comparados com o de lá e estou considerando com a conversao do dolar! Nosso BigMAC eh incrivelmente mais caro que lá.

    Gente, temos uma visao de dinheiro diferente… lá as coisas sao mais baratas, o preço de MUITA coisa é menor. se formos com nosso dinheiro pra lá, vamos viver MUITO bem.

    O que não pode é NÓS pedirmos “direitos ” pra profissionais de outro país q tem uma vida COMPLETAMENTE DIFERENTE.

    Guardem seus esforços pra impedir absurdos no seu proprio pais… que nao sao poucos.

    • Geeklan

      Cara, dá uma pesquisada antes de falar… Vai no google e coloca para buscar os índices de pobreza na China e depois volta aqui e fala se os caras vivem bem lá.

  • JanjaBoy

    Eu tenho a melhor das recomendações sobre a G-Form.
    Comprei capara para iPad, tiveram problema na fabricação, ficou pequena e mandaram outra assim que entrei em contato. Pessoal SUPER 10

  • JanjaBoy

    O problema não é a redução do número de horas extras trabalhadas. DUVIDO que o operário trabalharia o mesmo número de horas extras se o salário fosse justo. DUVIDO! Com um bom salário ele só trabalharia, não teria camiseta com: ” Eu amo a Foxconn”

    • Felipe

      Disse tudo JanjaBoy. Depois que se está ganhando um salário “bom” onde vc consegue atender o seu padrão de vida desejado, pra que fazer hora extra? Se o cara está disposto a se matar trabalhando é pq o salário é MUITO abaixo do que deveria ser.

      Com relação as empresas que utilizam essa mão de obra, são todas iguais, inclusive a dona Apple que só tomou essa atitude agora pq a mida tá em cima e acaba virando um market positivo pra ela. Agora é “Apple a empresa que pensa na qualidade de vida dos funcionários chineses”

    • Marcos P

      Esse cara com essa camiseta é deprimente…. puxa.

      • JanjaBoy

        [2]

        • Marcos

          [3]

    • Overlord

      Também DUVIDO que, se os trabalhadores chineses ganhassem um valor mais elevado por hora, continuaria a fazer tantas horas extras.

      Sabe o que leva a trabalhar tanto por tão pouco? DESESPERO.

      Não tem nada a ver com “a diferença de cultura entre nós e os orientais é gigantesca e não podemos aplicar nossos mesmos valores a eles, que já possuem seus próprios arraigados.”

  • Luis

    Não são 60 horas semanais de hora extra, são 60 horas mensais e o limite diminuiria para 36 horas mensais.

    “We have just been told that we can only work a maximum of 36 hours a month of overtime. I tell you, a lot of us are unhappy with this. We think that 60 hours of overtime a month would be reasonable and that 36 hours would be too little,” she added.

  • Roberto

    Na China salário é fruto da produtividade! Quem produz X ganha de salário: X vezes o valor combinado por cada prouto ou tarefa executada! Por isto fazer hora extra rende mais e é tão comum. Se vc quer ganhar 20% a mais do que o “normal” fácil: Produza 20% a mais.
    Isto é geral, em qualquer fábrica chinesa!
    Por estas e outras que eles não param nem para almoçar. Se eles pararem para almoçar deixam de produzir, se deixam de produzir deixam de ganhar.
    Nesta lógica inclui os trabalhos nos feriados e sábados e domingos.
    O único feriado que vala é o Feriado do Ano Novo Chinês: aí para tudo mesmo!
    O resto do ano é trabalho duro e intenso!
    Mas vale lmbrar que a polemica é velha: A NIke já foi a vitima outrora do Michael Moore, rendeu documentário e tudo mais. A Nike nunca fabricou um único tênis nos EUA e foi muito criticada por isto e sofreu bastante!

  • Denner

    A famosa lei da oferta e procura. Todas essas fábricas estão lá justamente por isso, (baixo custo de fabricação). Se melhorarem as condições de trabalho, pagarem “bem” (oq é “bem” pra eles, ou pra gente), ter fábricas na china não vai valer a p$na, então, podemos fabricar em qualquer outro país, tirando todo esse “boom” que está lá. Isso vai gerar outros problemas na china.

    Não podemos culpar a china por ter uma cultura rígida (não somente em empresas) comparando-a com nossas “religiões”. Seria como os hindus proibirem a gente de matar vacas. Pra gente é um absurdo, como é para os funcionários da foxconn trabalhar menos.

    Mas como a moda é reclamar.. vamos continuar reclamando que o iphone está caro, e querer que todos na foxconn ganhem “bem”. Isso me faz um ser mais compreensivo, de acordo com a sociedade, bonzinho, e hipócrita.

  • Thyago Damico

    Se eles querem trabalhar mais…. deixa eles trabalharem 😛

  • Giba

    A Apple é em grande parte responsável pelo trabalho de semi-escravidão na Foxconn

    • Giba

      Olha a cara do sujeito…parece um zumbi do “The Walking Dead” haha!

    • Não acho que a Apple seja santa. Nunca foi.
      Mas dizer que ela é responsável e esquecer todos os outros fabricantes, acho idiota. E o pior: só mascara a realidade, pois se um dia a Apple quebrar, a exploração continuará, mas ninguém mais falará, como sempre aconteceu antes da Apple.

      Sinto pena de quem precisa falar mal da Apple para se sentir forte. Porque só mostra que é fanboy também.

      • JanjaBoy

        iLex, acho que esse “zum, zum, zum” estará sempre ligado a empresa que estará em alta na sua época.
        (prego que se destaca leva martelada, como dizia o filósofo) o “prego” em outra época, foi a Nike.
        Não estou dizendo que não se deva combater a escravidão “lícita”, só que, só será mostrada a de empresas bem sucedidas tipo “prego”. Nunca ouvi falar de mão de obra escrava nas linhas de montagens das fábricas de produto falsificado que tem aos milhões na China.

  • Rodrigo

    Uma das funçoes do Estado é garantir a saúde e a integridade física das pessoas mesmo que essas pessoas queiram dispor destes direitos.

  • Alexis

    Olha a cara do sujeito…parece um zumbi do “The Walking Dead” haha ! (x2)

    cerebrooooooo…
    Fooooooox cooooooooon…
    cerebrooooooo…
    Fooooooox cooooooooon…

    hauahuauhauau

  • Bela matéria, iLex! Parabéns! 🙂

  • João Pedro Vianini de Paula

    Acho que isso é meio que uma manobra da Foxconn.

  • iLex,

    Tá certa essa conta?

    “o limite legal de 60 horas mensais de trabalho (somando horas normais com as extras)”

    Eu sou estagiário e chego a esse total em 10 dias! o.O

    Abraço

    • JanjaBoy

      Então o estagiário é você? 😛

      • Não sou não mas se o iLex quiser me contratar, tamô aê! #ficaadica

        Ahahahaahhaa

    • Irving Vieira Pimentel

      Também acho que ta errado, eu trabalho 180 horas por mês e não sou estagiário e nem trabalho no final de semana.

  • Luismartins

    Eu tenho mais de um bilhao de trabalhadores para trabalhar pra mim, se eu perder 10% por mortes causadas por excesso de trabalho -impossivel de acontecer- ainda vou ter mais de 900 milhoes de trabalhadores. Essa é a visao da China. Quanto mais eles trabalham, mais eles lucram, mais aumenta o consumo interno, mais aumenta o pib da China.

  • Miguel

    Me desculpem, mas acho essa materia tendencios demais.

    Perguntar para alguem com pouquissimos recursos se aceita trabalhar mais para ganhar mais não indica que ela é feliz com a situação. Se perguntar a uma criança em trabalho infantil, se ela quer trabalhar mais para ajudar a família, ela dira que sim. Nem por isso é algo aceitável.

    Mas isso vai muito além, por ser um problema cultural. Quem já pode visitar fabricas na China sabe como é a situação, onde as fabricam tem alojamento para que os funcionários “morem” com suas famílias na própria fábrica. Se perguntar para qualquer um deles, esse é o melhor dos mundos.

    Concordo, que esse não é um problema apenas da Apple, mas de todas multinacionais que exploram essa “oportunidade”. Mas com a internet e acesso a informação a nova geração chinesa está buscando melhores condições e assim nós teremos SIM que pagar mais por nossos produtos.

    Usar iPad todo mundo quer, montar um por U$0,10 serão poucos.

  • zigfrid_

    destaco isso
    “Você pagaria mais por um gadget eletrônico (seja iPhone, Android ou Playstation)”

    Nós pagamos assim mesmo

  • João Paulo Lopes Tito

    A responsabilidade em aceitar a existência de condições de trabalho desumanas é de todos nós. Nesse aspecto, concordo plenamente com o artigo, iLex. Entretanto, em outro ponto, discordo veementemente do texto: condições de trabalho não variam de acordo com a cultura. O que é desumano aqui, é desumano também na China e em qualquer parte do mundo. Isso porque ser humano é igual em qualquer canto. O que atenta contra um, certamente atenta contra outro, ainda que um esteja “acostumado” com a situação precária. Aliás, justamente por isso é que existe a Convenção Internacional regulando. Aceitar que o chinês possa trabalhar em situação sub-humana apenas porque ele está acostumado culturalmente é retrocesso.
    Por outro lado, a justificativa de “trabalhar mais pra ganhar mais” também mascara uma situação perigosa e igualmente inaceitável: a de salários baixos e injustos. Condições degradantes de trabalho não dependem da aceitação ou nao do trabalhador. As jornadas devem ser, sim, limitadas, mas o salário tem que aumentar. Pra isso existem as greves, as manifestações e os órgãos representativos de classe (sindicatos, etc).

  • Marx Dourado

    Cara…que chinês feio foi esse que arranjaram pra essa foto? :=)

    • Luiz Paulo

      Eu pensei o mesmo!

  • Felipe Gasparino

    Brigar pelos direitos de quem trabalha no Brasil em restaurantes, que ganham menos de 2 dólares a hora ninguém quer né?!!

  • Clovis

    Pois é…será que toparíamos pagar mais caro para que as condições de trabalho lá melhorassem?

    • JanjaBoy

      Nós pagamos caro!
      Os americanos e os europeus, não pagam caro.

  • TiãoGavião

    Vamos ser sinceros 😉
    TODO trabalhador é “explorado”, ainda mais por multinacionais e a Apple não é diferente das outras, Apple e o Jobs sempre foram americanistas ao extremo.
    Não é porque gosto/compro os produtos da Apple que vou esconder o Sol com uma peneira 😉

  • Fabio R.

    Eu trocaria a sentença “reduzindo muito a margem de lucro destas empresas” por “aumentando o valor dos produtos aos consumidores”. Alguém já viu alguma megamultinacional dessas reduzir lucro por conta de custos empregatícios???

  • Alan Gabriel K

    Tim Cook foi lá, e eles sabiam pelo menos quem é ele?

  • Fabio

    Eu pagaria mais caro por um produto fabricado em um empresa que respeita as leis e regras e principalmente seus colaboradores !!!

  • Fantichel

    Acho que todos vocês se esqueceram que lá se vive em um regime de DITADURA!

    Reclama para você ver se os “direitos humanos” irão impedir as torturas que o governo chines poderão fazer com seus familiares…

    Alienação e falsas verdades culturais são o que alimentam as desculpas do mundo ocidental!

    Pode ser amarelo, branco, preto ou vermelho, 15 HORAS DE TRABALHO? Não há “cultura” que sobrepuje o limite humano!

    Dizer que ama o “Chê” aqui no Brasil é mole…, diz na china que você se amarra no “Tio Sam”…, PAREDÃO NA CERTA!

  • Bruno Serrão

    O artigo me lembra o caso dos bolivianos trabalhando em sistema de escravidão aqui no Brasil para produzir roupas da marca Zara, muitos desses trabalhadores não reclamam(vam) às autoridades locais por necessitarem do dinheiro(pouco mas único) que recebem aqui no país.

  • Rogério Filho

    Não é só com os chineses que a Foxconn fode! Com os africanos também!
    http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI220844-17773,00-GADGETS+DE+SANGUE.html

  • Dionne Lobo

    ILex,

    Nesta matéria o correto dizer não seria “60 horas semanais”?

  • Rodrigo

    Ilex, desculpe, mas ninguém ama a empresa que trabalha dessa forma. É lógico que estes trabalhadores não querem perder seus empregos , pois dependem dele. É ridículo isso.

    • Não entendi onde é que eu dei a entender que esses caras amam a empresa.

  • Luiz Paulo

    Mas é bem capaz de eu pagar a mais por um negocio que ja é bem caro aqui no Brasil só porque a empresa segue as normas de blablabla,eu sou o consumidor final,nao tenho nada a ver com a linha de montagem do produto que eu comprarei!

  • É indiscutível que a Apple, através dos seus produtos, mudou a vida de muitos de nós. Se, e não importa quais os motivos desta atitude, começar a exigir melhores condições de trabalho dos chineses que fabricam os seus produtos, estão a criar condições para que isto se alastre a outras empresas. Ou seja, esta atitude pode ser o começo para uma melhoria de vida de milhões de chineses que dão o seu suor num trabalho escravo para que a Sony, Nokia, HP, Philips, e tantas outras marcas ganhem com os seus produtos. Esta pode ser a maçã da mudança de atitude!

  • Angelo

    “Você pagaria mais por um gadget eletrônico (seja iPhone, Android ou Playstation) se ele viesse de uma fábrica que respeita os trabalhadores e não os explora?”

    Essa pergunta parte do pressuposto que, em caso de aumento de custos, a conta deva ser paga pelo consumidor, pois a empresa em questão NÃO pode ter sua margem de lucro diminuída. Essas empresas estão lucrando tão pouco assim?

    • Sem lucro, o mundo capitalista de hoje não sobrevive.
      Se quiser diferente, terá que mudar de mundo, Angelo.

      PS: sou contra esse atual mundo capitalista. Acho que seria muito melhor se vivêssemos em uma comunidade solidária, onde todos ajudam todos. Mas infelizmente isso é utópico nos dias de hoje.

  • Diego Sampaio

    60 horas semanais? Eu sou militar, com uma escala de serviço de 2×1, COM expediente acho que eu passo esse limite aí e uns 8 dias

  • Leandro D.

    Paga-se tão caro pelos produtos e as margens das empresas são tão elevadas. No limiar eles não vivem. Por que não tornar a sociedade auto sustentável oferecendo empregos mais dignos, mantendo-se os preços (ou seja, reduzindo somente a margem de lucro dos grandes?). Quanto mais afetas os grandes, mais ‘pernas’ os auditores e afins terão.

  • Diogo Freire

    Não acredito que seja função da Apple ou das outras empresas em se preocupar com as condições de trabalho. Eles tercerizaram o serviço justamente para não se preocupar disso.

    Eles podem exigir, porém nada vai mudar se o governo ou ate mesmo os trabalhadores não “lutar” por
    essa mudança. Pegamos o Brasil, como exemplo. Trabalho numa empresa onde faço 6 horas diárias e pela CLT tenho direito a 15 minutos de descanso. Caso, eu esqueça ou tire nem q seja 1 minutos a menos
    tenho q assinar uma declaração dizendo q empresa me deu o descanso porém não tirei pq não quis. Isso tudo se por acaso a fiscalização passar na empresa eles tem essa segurança.

    Então, penso se o governo do país onde está instalada a fabrica não pensa em melhorar a qualidade de vida dos seus, pq uma empresa iria se preocupar? Vejo a Apple se preocupando por uma questão de marteking, afinal imagino que ela ou nenhuma outra empresa queria sua imagem associada com condições de trabalho ruim.

    Enfim acredito q isso deva ser preocupação do governo chines e não das empresas que tercerizaram o serviço. Agora, todos sabem que a economia da China é a 2ª maior do planeta justamente pq o governo não se preocupa com isso.

  • PauloDuarte

    Pessoal, parem com essa discursão, eu assumo, a culpa é toda minha!!!!!!!!!!!

    • Artur

      Concordo cara!
      A culpa é toda sua!Agora me contrata que eu preciso de grana!

  • DMML

    O problema parece ser a relação hora/remuneração. Acho difícil, se o salário fosse melhor, o pessoal iria reclamar assim. Melhor seria aumentar essa proporção salarial. As horas, ficariam a cargo dos trabalhadores, desde que respeitados os padrões mínimos para descanso.

  • Monty

    Finalmente a verdade está vindo a tona!

    Me desculpem se meu comentário soar meio arrogante, mas é porque vivo diariamente exatamente essa mesma situação, vou tentar embasá-lo o máximo possível com argumentos. O fato é que praticamente todos os comentários aqui estão equivocados, aliás, como sempre quando o assunto é Foxconn. Há comentários meu de dois anos atrás aqui que finalmente estão podendo se mostrar corretos. Já “briguei” aqui com um menino que insistia que a Foxconn era “malvada” . Ainda bem que já superamos, ao menos aqui o BDI, aquela história ridícula dos suicídios (a taxa de suicídio da Foxconn é menor que a da China – É como se dez funcionários da Vale tivessem câncer e se noticiasse que trabalhar na Vale dá câncer). Mas ainda temos um longo caminho a percorrer no restante.

    . Sobre o assunto do post, de os funcionários quererem trabalhar mais: isso me surpreendeu ZERO, a surpresa seria se fosse o contrário! Sempre falei isso, incrível a repercussão que isso tomou. O iLex colocou que é uma questão cultural, que lá é diferente daqui, mas isso está errado! É EXATAMENTE a mesma coisa aqui no Brasil. E mais, é normal que seja. Trabalho com engenharia, se você for em qualquer obra “no meio do mato” (seja a construção de uma rodovia, usinas hidrelétricas, etc) e perguntar para os funcionários se eles querem fazer mais ou menos horas-extras, posso te garantir que TODOS responderão que querem fazer mais. Eles fazem pressão violenta nos engenheiros para que se trabalhe mais. E se não se fizerem horas extras, ou eles pedem demissão ou pedem para ser demitidos (o que é mais comum). E o mais importante, isso NÃO É porque o salário seja baixo, é simplesmente porque eles estão lá para trabalharem e ganharem dinheiro. É a opção, lícita, que fizeram. Milhares preferem ganhar menos e trabalharem perto da família e outros milhares preferem ganhar mais e trabalhar longe dela. Normal. Nada mais justo. E em época de pleno emprego como vivemos no atualmente no Brasil e China, a escolha é deles mesmos, não é “porque não têm alternativa”.

    . O argumento de que “acho que eles tinham é que ganhar um salário justo” é tão fraco, irreal, contraproducente, que dá até preguiça, mas vamos lá: a primeira coisa que as pessoas têm que entender é que vivemos em um mundo imperfeito, e, mais importante, só falar que “quero um mundo perfeito” não ajuda em nada. O que ajuda a melhorar a vida das pessoas são as empresas, é o crescimento econômico, e nisso não precisamos ter dó dos chineses. Ocorre que isso é um PROCESSO, não é falar “o salário deles tinha que ser maior”. Os países que hoje são modelo de IDH já passaram por isso. Inglaterra não foi sempre uma maravilha, no começo da revolução industrial era infinitamente pior que a China hoje. É questão do período histórico em que isso ocorre. Europa e EUA já passaram por isso. Nós e China estamos passando agora e Bangladesh e África vão passar por isso depois. É a dinâmica da economia, hoje já está caro produzir algumas coisas na China, e isso só vai se agravar com o tempo (o que, claro, é positivo).

    . Não há que se ter vergonha de comprar um iDevice fabricado na Foxconn, muito pelo contrário. Estamos é transferindo renda para estas pessoas e colaborando nesse processo de melhoria de qualidade de vida na China. A Foxconn já paga salários acima da média, e quanto às condições de trabalho, são muito melhores do que nas pequenas empresas lá. É como aqui no Brasil, onde há maior desrespeito às leis trabalhistas são justamente nas empresinhas pequenas, as grandes não têm nem como crescer se não cumprirem, além de serem muito mais visadas.

    . Por fim, basta ter uma boa compreensão de macroeconomia para ver que quase todos os comentários aqui estão equivocados, embora carregados de sinceras boas intenções. Só não são aplicáveis. O que importa em última instância é qualidade de vida das pessoas, e é a coisa mais fácil do mundo perceber que onde as instituições capitalistas são bem desenvolvidas é onde temos mais qualidade de vida, e onde são menos desenvolvidas (África, Coréia do Norte, etc) é onde é pior. Nesse contexto, a China está melhorando, e melhorando MUITO rápido. Ainda assim, é um processo, e é preciso compreender que a Foxconn, que paga salários acima da média para mais de um milhão de pessoas, desempenha um papel importantíssimo nesse processo.

    • Overlord

      Bom, então tu podes começar a rever teus conceitos, Monty…

      Porque a tua idéia de que
      “O argumento de que “acho que eles tinham é que ganhar um salário justo” é tão fraco, irreal, contraproducente, que dá até preguiça, ”
      acaba de ser pela seguinte notícia:

      A Foxconn — que fabrica o iPad e o iPhone — vai continuar a elevar os salários dos seus trabalhadores chineses e a cortar as suas horas extras, disse Terry Goy, presidente da companhia.
      Em meio à polêmica sobre as condições de trabalho oferecidas aos funcionários em suas fábricas, Goy afirmou ainda que a Foxconn construirá uma nova unidade de tecnologia avançada em Hainan e que expandirá as operações no Brasil.

      — Agora estamos dizendo na empresa: “você trabalha menos, mas ganha mais”. Não vamos parar aqui e continuaremos a incrementar os salários — disse Goy. — Os salários no Brasil são ainda mais altos, mas continuaremos com nossos investimentos na região. Acabamos de fechar um acordo com a Hainan Airlines que será eventualmente nossa conexão com a cadeia de abastecimento (da China para o Brasil).

      O magnata de 61 anos afirmou que a Foxconn aumentaria o salário global dos trabalhadores já que alguns empregados de suas fábricas em Shenzhen se queixaram de que não teriam dinheiro suficiente caso as horas extras fossem reduzidas.

      http://www.d24am.com/noticias/economia/foxconn-diz-que-salarios-de-funcionarios-chineses-subirao-mais/54707

      • Monty

        Overlord, eu não devo ter sido suficientemente claro: Esse argumento do “salário justo” é ingênuo, infantil, católico, improdutivo e é um atestado de que a pessoa não tem a mais remota idéia do que se passa, ou de como funciona o mundo e a economia.

        Para refletir: já se perguntou por que a Foxconn paga salários mais altos para nós brasileiros do que para os chineses? Parece boba mas não é. Será que Terry gosta mais de nós do que dos conterrâneos?

        Acha que ele aumentou o salário porque é bonzinho ou malvado? Porque ficou sensibilizado com a situação ou acuado pela imprensa? Nenhuma das alternativas. Ele aumentou pelo mesmo motivo que eu coloquei no meu texto acima: se eu for obrigado a reduzir drasticamente as horas extras das minhas obras, todos pedem demissão, não fica um nem pra apagar a luz, eu também teria que pagar mais. Você tem que entender que quem define o salário NÃO É a empresa. Quem define o salário é o MERCADO. E isso responde a pergunta de porque o salário aqui é maior, e responde também porque ele teve que aumentar. Não que ele seja mau ou bom, simplesmente é que não pode ser diferente, seria completamente irresponsável e insustentável da parte dele pagar ou muito mais ou muito menos que o mercado. Nas duas hipóteses ele quebraria e os maiores prejudicados seriam, paradoxalmente, os funcionários.

  • Puding

    Eh o que eu digo: se matarmos todo o povinho de ciencias sociais, que falta farao eles para a nossa sociedade? Nenhuma.
    Porque que essa gentinha adora meter o dedo no que nao interessa? Oq ue mudaria na sua vida se os trabalhadores “explorados” nao fossem explorados? Porque nao deixa eles viverem sua propria vida ?
    Ta ai uma resposta pra essa gentinha de direitos humanos viadagems e Companhia, eles nao querem.

  • Matheus P.

    O carinha da primeira foto não parece muito interessado em trabalhar não :s

  • Thiago

    Vejo que ninguém está disposto a ver os dois lados da moeda.
    Os anti-Apple criticando a exploração dos “coitadinhos” chineses que trabalham demais, e os Applemaníacos defendendo os “coitadinhos” chineses que querem trabalhar e não deixam.
    A verdade é que esses trabalhadores, na prática, não tem opção. Se criarem a lei, eles serão obrigados a trabalhar menos. Se não criarem, eles serão obrigados a trabalhar como burros de carga.
    MUITA gente não conhece como é esse mundo das linhas de produção na Ásia. O funcionário não escolhe se quer trabalhar mais ou menos (a não ser que troque de emprego). Se tem hora extra, eles são obrigados a fazer. Seja 1 por dia ou 5. O cara não pode ficar doente, não pode ficar cansado, não pode reclamar… Se não fizer, é mandado embora. Já que gente pra ocupar o lugar também não falta.
    Mas aí vem a questão do livre arbítrio. Se o cara aceitou essas condições de trabalho, tem que aguentar.
    Mas será mesmo?
    Eu já vi muita gente trabalhar como louco nessas fábricas. Ganharam muito dinheiro. Mas geralmente “ganham” também muitos problemas de saúde por causa do trabalho excessivo, e acabam tendo que gastar grande parte de tudo o que ganharam com hospitais e medicamentos.
    Não acredito que limitar seja a solução. Mas sim, dar a opção de o funcionário poder decidir se ele quer, pode e aguenta trabalhar dessa forma.

  • Rodrigo

    Mano !!!! Na foto é o L do Death Note !!!! huahuahauhua igualzinho

  • Paulo

    Imagino o motivo dos chineses de se sujeitarem a isso,algo parecido com o fenômeno dekassegui que ocorreu no brasil com os nikkeys.Os nikkeys largaram tudo e se mandaram para o Japão atras de melhores salários.Tudo o que e produto de marca japonesa tem na sua fabricação  alguma mão de obra dekassegui envolvida.Lá eles faziam muitas horas extras(60,80,100,ate quanto vc agüentasse..).Aí veio a crise de 2008 nos USA e agora o tsunami .A maioria dos dekasegui perderam o emprego e como moravam em apes das empreiteiras muitos ficaram sem local para morar.O porque de isso ocorrer,as empresas japonesas não querem contratos diretos com os dekasseguis preferindo contratos terceirisados.Sendo assim fácil de dispensa-los sem muitos direitos( que um japones contratado direto teria).Mas o que isso tem a ver com os chineses,a mesma dos dekasseguis(ta certo que o dekassegui ganha bem mais que eles).Largarem sua terra natal atras de melhores condições nem que seja para se submeter a tudo isso(longas jornadas de trabalho,demissões sem direito a nada,…)

  • Stack

    Trabalho em consultorias a pelo menos 5 anos, são raros e dá pra contar na mão os meses que faço menos de 220 horas de trabalho.

    E to com o Japinha ae. Quanto mais hora extra, mais dinheiro! Fuck off!