Notícias

Foi pensando em seus filhos que Steve Jobs autorizou a realização de sua biografia

Jobs nunca tinha dado autorização para escreverem uma biografia dele, até que no início deste ano todos se surpreenderam com o anúncio do livro “Steve Jobs, uma biografia” (na verdade, o nome original era “iSteve: o livro de Jobs”, que foi alterado para ficar mais Jobs-like). A mudança de posição não foi nenhuma vaidade pós-morte não, mas um desejo de fazer com que seus filhos conhecessem mais a vida dele.

Quem revela isso é o próprio escritor, Walter Issacson, que fez a última entrevista há duas semanas. Ele conta que a intenção de Jobs em realizar a biografia era deixar uma explicação aos seus filhos:

Com esta biografia, quero que meus filhos me conheçam melhor. Não fui um pai muito presente e quero que eles saibam porque, fazendo-os entender o que eu fiz.

É verdade que, para nós, é fácil imaginar Steve Jobs sempre trabalhando e criando coisas maravilhosas para os usuários usarem. Mas nem sempre é possível se dedicar a um sonho e, ao mesmo tempo, dar atenção à família.

Steve Jobs ficou sabendo ainda em fevereiro que estava em estado terminal. Seu médico disse que ele deveria se preparar para a hora final, pois não lhe restavam muitos meses.

Mesmo assim, ele não parou de trabalhar. Eu mesmo, em conversas com amigos da equipe aqui do Blog, comentei este ponto: o que me dava esperanças é que ele ainda estava trabalhando, pois ninguém que sabe que vai morrer vai ficar se preocupando em trabalhar. Nesses momentos, o mais importante é a família.

Infelizmente, eu estava errado. Jobs trabalhou até o momento que pode, inclusive apresentando ele mesmo a WWDC em junho. Um dia depois, ainda foi em uma reunião do Conselho Municipal de Cupertino defender a implantação de um novo campus para a Apple. Por que gastar um tempo assim precioso defendendo algo, se você sabe que, poucos meses depois, não iria mais ver nada daquilo?

Paixão, esta é a resposta. Ele sempre fez o que seu coração mandou, o que realmente gostava de fazer. Com isso, ele mostrou que seguia a risca o que ele mesmo defendeu em seu famoso discurso de Stanford:

Estou convencido de que a única coisa que me permitiu seguir adiante foi o meu amor pelo o que fazia. Você tem que descobrir o que você ama. Isso é verdadeiro tanto para o seu trabalho quanto para com as pessoas que você ama. Seu trabalho vai preencher uma grande parte de sua vida, e a única maneira de ficar realmente satisfeito é fazer o que você acredita ser um ótimo trabalho. E a única maneira de fazer um excelente trabalho é amar o que você faz. Se você ainda não encontrou o que é, continue procurando. Não sossegue. Assim como todos os assuntos do coração, você saberá quando encontrar. E, como em qualquer grande relacionamento, só fica melhor e melhor à medida que os anos passam. Então continue procurando. Não sossegue.

Esteja sempre faminto, seja sempre louco.

fonte: NYTimes

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • Leandro Nascimento

    Ele sempre pensou em tudo, anos luz à frente de todos! Um grande homem, uma grande perca!

    • Ligia

      uma grande “perca”? sério?

      • GT

        A palavra existe, pode ver no dicionário…

        • TuelhoBr

          Sim existe, mas com outro significado.

        • Leonardo

          Existir existe, mas se você usou ela de forma correta já é outro papo….

      • GT

        Ele vai viver para sempre pelas obras que deixou… Pena de nós quando virmos o novo iphone 5 e o ipad 3 e rolar aquela decepção (sempre vai haver…) e pensarmos: “Ah se ele estivesse aqui…)

      • andre scalzer

        Desagrada aos olhos. O blog poderia ter um corretor de ignorância incluído.

      • nynrod

        Isto tem realmente importância.

    • Mateus Eduardo Miranda

      Tenho certeza de que se alguém aqui comete um erro, não está consciente disso, e consequentemente, não foi de propósito. Então, o que custa corrigir amigavelmente?

      • Francis

        Concordo.

    • arnaldo

      perda

    • Mateus

      Uma grande “perda”. Perca só no futuro (“Vou guardar isto antes que eu perca.”).

      • Alessandra

        Não é futuro e sim Subjuntivo

  • Juliano Bazzi

    Eu vou comprar a biografia de Steve Jobs, vai ser a primeira biografia que vou ler 🙂

    • Breno

      (2)

      • Bruno Cesar Matos

        3

        • Pedro

          4

          • Juliana

            5

            • Felipe moreira

              6

    • Luiz

      9

      • paulo

        9?, (8)

      • Maroth

        quantos comentários enormes o povo ta inspirado com esse post…

        De fato, ninguem é perfeito porém Steven Paul Jobs conseguiu chegar bem perto em alguns aspectos.
        Na época que Jobs saiu da apple a empresa não ficou muito boa, espera que consigam manter a dedicação e esperteza que ele tinha para sempre.

    • Thaily

      Olá Juliano,

      Que bom que iniciará sua leitura de biografias por esta do S.J. já que certamente será uma ótima leitura. Espero que tome gosto por biografias pois todos (ou a maioria delas) são de pessoas realmente admiráveis e que deixam mensagens para a posteridade. Boa leitura 😉

  • George Harrison do Vale Marques

    E este foi o estilo Steve Jobs de ser.

    Descanse em paz Steve. Foi muito bom viver a sua época.

    • Pedro

      Ao n ser q tu tenha mais de 40 tu só viveu o final do legado,quando tudo tava duncionando

  • Saulo Moraes

    É, perdemos um grande cara.

  • Bruno

    Ídolo, forever!

  • Nathan Cordeiro

    Post excelente, com certeza vou ler esse livro 🙂

  • Pedro

    Definitivamente uma postura única. Acredito que muitos começariam a abandonar a vida no instante que recebessem a informação de que estavam em fase terminal. Ele, pelo contrário, se agarrou a vida ainda mais para espremer cada segundo e fazer valer a pena.

    Viveu e morreu lutando pelos seus sonhos. Homens assim fazem falta.

    • Francis

      Incrível,absolutamente incrível, a coragem e a bravura do Sr. Jobs. Se fosse eu a receber uma noticia dessa, já teria morrido no segundo seguinte.

  • Cristian

    Meu exemplar já está reservado no site da Fnac. Só esperar o dia do lançamento + 5 dias úteis para chegar! 🙂

    • Breno

      Também! O Fnac é o site mais barato! Frete Grátis! 8)

  • Walter Martinelli

    De fato ele foi exemplo. Nunca abandonou o sonho da vida dele. Nao acho q eu teria a mesma atitude dele caso recebesse um diagnostico igual. E tenho ctz absoluta q mtos aki tbm nao fariam o msm q ele fez…

  • B3CKM4N.BR

    O pior é que uma coisa não compensa a outra.

    Pro mundo ele fez “a diferença”, mas para os filhos e esposa, certamente ficará sempre a sensação de que podiam ter vivido mais, feito mais coisas juntos …

    Acho que a música Epitáfio (Titãs) representa coisas que ele fez e que a família gostaria de ter feito:

    Devia ter amado mais (Talvez)
    Ter chorado mais (Quem sabe não derramou algumas lágrimas)
    Ter visto o sol nascer (Deve ter visto, enquanto trabalhava nas madrugadas)
    Devia ter arriscado mais (Ele arriscou!)
    E até errado mais (Isso ele não aceitaria)
    Ter feito o que eu queria fazer… (Fez e da melhor forma possível)
    Queria ter aceitado
    As pessoas como elas são (Acho que fez isso sendo referencia mundial de atendimento ao público)
    Cada um sabe a alegria
    E a dor que traz no coração …
    (…)
    Devia ter complicado menos (Ele simplificou tudo!)
    Trabalhado menos (Impossível)
    Ter visto o sol se pôr
    Devia ter me importado menos
    Com problemas pequenos (Ele se importava com detalhes, os mínimos detalhes)
    Ter morrido de amor …
    Queria ter aceitado
    A vida como ela é (Acho que aceitou, mas buscou fazer o melhor que podia)
    (…)

  • Mac13

    i Mortal…… simples assim………

    Seus atos ficarão registrados na história , como meu pai sempre diz, um grande homem é reconhecido pela sua grande obra…..

    Eis que este “imortal” nos deixou vários exemplos….
    Que vários corações sejam comovidos, façam o bem e dediquem-se ao que seus corações apontam ….

    Levanta, façam, dediquem-se…..

    A todos, acreditem, estou sentido a falta de um ídolo….como disse Bono Vox ( vocalista do U2) ele foi o Elvis da informática…..

  • Alexander

    Jobs é e sempre será a minha filosofia de vida.

  • Roney Cezario

    Muito bonito, os filhos com certeza estão ou estarão orgulhos do pai.

  • Estanis Garcia

    Eu não tinha conhecimento da vida dele no dia de sua morte que eu fui procurar saber como era e quem era Steve Jobs, me emocionei pois muitas das coisas que ele viveu tive um pouco disso na minha e cada vez mais procuro nas suas palavras extrair o maximo do aprendizado que me servem de inspiração e sempre leio essas lindas frases e vejo o carater dele. Simplesmente um grande homem.

  • Sergio

    Eu terminei de ler a poucos dias o livro A cabeça de Steve Jobs e achei muito bom, já encomendei a biografia via pré lançamento Fnac.

  • Ruan Bernardo

    Toda vez q vejo o discurso de Stanford eu me arrepio todo e fico com lágrimas nos olhos….o cara foi o melhor! Sempre será o melhor! E eu,quero levar td q aprendi com ele pro resto da vida! Não só as ótimas e reflexissíveis frases e os textos,como tbm sua força de enfrentar a doença. Comprarei esse livro sem dúvidas….será o número 1 na minha pratileira.

  • thiago

    “Cada um que passa em nossa vida, passa sozinho, mas não vai só, nem nos deixa sós; leva um pouco de nós mesmos, deixa um pouco de si mesmo.”

    Acredito que ele tenha levado todo o orgulho, seja dos familiares, dos fãs, dos colegas, etc. e nos deixou um legado muito maior do que somente a tecnologia, um legado que tem tende a mover o intelecto humano, a vontade de aprender mais, de se esforçar ao máximo, buscando aquilo que lhe proporcione satisfação.

  • Todas as palavras são poucas para descrever esse cara! 😀

  • Nossa, nem sabia que ele já sabia que ia morrer, agora eu o admiro ainda mais =(

    • Vinicius

      E vc nao?

  • Sonia

    Eu fico imaginando o esforço que ele fez para aparecer no lançamento do iPad 2 e na abertura da WWDC 2011, grande homem.

  • Mestre Jobs. ♥ Eternal Love!

  • PTB

    Prezados
    O Steve foi imortal e com certeza é uma das figuras mais importantes do fim- inicio de século. Mas se ele queria que seus filhos o conhecessem, pq não editou o livro só para seus filhos? Acredito que ele queria que todos o conhecessem.

  • Já garanti a biografia, e não consigo olhar pra foto dele aqui na parede do quarto sem ficar triste.

  • Cristiane

    Eu acho um bocado triste que ele mesmo assuma que foi um pai não muito presente e pessoalmente não concordo que uma bibliografia possa contornar isso. Mesmo ele sendo um gênio, um visionário e tudo o mais.
    Enfim, não quero julgar a dor de ninguém, mas, como não comentei nada até agora, queria dizer que meu posicionamento é muito parecido com o do JanjaBoy.

    • Ninguém é perfeito. Ninguém.

      • Marco Miyashiro

        Com certeza, iLex, com certeza 😉 .

        Abraços

    • daniel

      é biografia

    • Brunolv

      Uma bibliografia realmente não vai contornar muita coisa.

      • André Sotéro

        Nada contornaria. Nem dinheiro.

    • Monty

      Cristiane, eu também não havia falado muito a respeito, queria ter respondido ao Janja mas perdi o ‘timing’. Mas agora com a sua deixa, e já que é sexta, estou com tempo, gostaria de falar algumas palavrinhas.

      Sobre Steve Jobs, simplesmente não se pode julgá-lo (ou qualquer outro de sua magnitude) pela métrica ética de nossas vidinhas. É especialmente importante isto que estou dizendo. Ortega y Gasset, filósofo espanhol, diz exatamente isto em seu estudo “Mirabeau ou O Político”. Não é simples de compreender no início, mas a moral e ética de nossas vidinhas medíocres não podem ser parâmetro para avaliar os grandes expoentes da humanidade. O fato de Jobs ter uma filha fora do casamento, o fato de ser excessivamente duro, por vezes injusto, com funcionários, o fato de não ter sido um pai exemplar, tudo isso é absolutamente irrelevante perto do que ele criou e deixou. Não se iludam que Michelangelo foi um bom pai. E isso não muda nada.  Para Platão ou qualquer outro filósofo grego, mulher servia para reprodução, e isso também não muda nada. Além de ser inútil analisá-los por aí, na realidade não nos sobraria ninguém para admirar.
      Jobs é sem dúvida um dos maiores gênios que já passaram por este planeta. Tendemos a desvalorizar aqueles que viveram em nossa época, e supervalorizar os que viveram em outros tempos, mas é difícil pensar em outro alguém que revolucionou tantas vezes tantos mercados com tanto impacto real no mundo. Não é coincidência a mesma pessoa ter revolucionado a computação, a animação no cinema, a música, celulares e tablets. O cara foi genial mesmo. Sobre o argumento de que não fez sozinho, é claro que não fez sozinho, mas foi sem sombra de dúvida a pessoa mais importante e sem a qual não teria sido feito daquela maneira. O argumento de que ‘se ele não tivesse feito, outro o teria’ é uma masturbação metafísica sem qualquer efeito prático, uma vez que o fato é que ele fez. E só voltando um pouco em ele dar esporros em funcionários na frente dos outros: na minha empresa, o diretor mais querido e mais carismático é justamente o que dá os esporros mais sinistros. As pessoas, lógico, acham ruim na hora, mas depois de 30 min simplesmente não conseguem ficar com raiva dele. Então, vale a pena perguntar para os funcionários da Apple se odeiam Jobs ou se o admiram (e qualquer que seja a resposta, que eu acredito ser ‘admiram’, como eu disse antes, é irrelevante).
      A impressão que me fica é que nunca foi a meta dele criar a maior empresa do mundo. Isso foi uma externalidade positiva. Uma vez rico, o objetivo não era ser mais rico. O objetivo dele, louco, contrariando qualquer outro CEO que fez qualquer curso de MBA, era simplesmente criar o melhor produto possível, em um mix de ciência e arte. Parece simples mas definitivamente não é. Simples é o que fazem a Microsoft, Adobe, Sun, IBM, Cisco, Intel ou qualquer outra. Você pode jogar o nome dos CEOs delas em um balaio, sacudir, e redistribuir entre as empresas que dará no mesmo. Além do aspecto genial/criativo, as decisões tomadas por Jobs eram diferentes das que seriam tomadas por outros em seu lugar, e isso fez toda a diferença.
      Entrando um pouco no lado humano, me impressionou a magnanimidade dele ao, com câncer em estado terminal, ir até o limite possível como líder da Apple. Não ganhou nada com isso, o fez por pura paixão.

      Sobre o Janja, acho que ‘errou a mão’. Faltou-lhe sensibilidade. Independentemente do mérito, vivemos em sociedade, e uma sociedade que sente a morte. Não nos cabe dizer em qual situação uma pessoa deve chorar ou não. Uma das maiores bobagens que achei foi defender que as pessoas não deveriam sentir pelo fato de não tê-lo conhecido pessoalmente. Como se o fato de tê-lo cumprimentado ou trabalhado com ele fosse mudar a pessoa que foi. Pessoalmente, acho que perdi, ou perdemos, mais com a morte dele do que com uma tia distante, parente, mas que pouco ou nada me influenciou.  O iLex agiu corretamente em bloqueá-lo. Na realidade, demorou, pois se fosse qualquer outro ‘desconhecido’, o teria sido bem antes. O problema não é discordar. Janja poderia ter deixado a opinião em um comentário isolado, tipo “Não senti nada”. O fato de ficarmos calados não quer dizer que concordamos. É como idiota que disse que melhor se tivesse morrido o iLex, lógico que todos discordaram, mas não responderam, até numa linha “não alimente o troll”. Eu, pessoalmente, discordei de todos os comentários na linha “justiça divina” ou “Deus sabe o que está fazendo”. Eu poderia ter replicado: “Peraí, qual Deus você está falando? O Deus do Steve Jobs, que era budista (então na verdade nem deveria crer em deus)? Ou, já que por acaso você nasceu no Brasil, o Deus católico? Ou Allah, já que em breve o islamismo será a maior religião do mundo? Ou o Deus Sol, o mais antigo deles?… E que Deus incompetente, né, tentando levá-lo há 6 anos e não conseguindo? É que esse Deus gosta mais dos milionários, né, já que Niemeyer, Roberto Marinho, Sarney, vivem muito mais que a média… Justiça? Justo? Sério?”, mas simplesmente não era a hora, a hora era de respeito aos demais, que estavam de certa maneira fragilizados, expondo seus sentimentos. Adoraria discutir contigo, Janja, mas tudo tem hora.

      • Monty, geralmente seus comentários são legais, mas este eu acho que foi o melhor que você já fez aqui no blog desde que adotou esse Nick.
        A frase “na realidade não nos sobraria ninguém para admirar” era o que eu queria dizer mas não estava conseguindo achar as palavras. É bem isso, vivemos em um mundo imperfeito, em que ninguém pode ser 100% sem defeitos. É humanamente impossível.
        Temos sim é que aproveitar o que cada pessoa tem de melhor, sabendo relevar o que não gostamos. E isso não é só com o Jobs ou com o Chaplin (já deu pra notar que sou fã dele, né?), mas principalmente com as pessoas que convivemos no dia-a-dia. O mundo é assim; todos temos defeitos e qualidades.

      • Mac13

        Bravo….Bravo…..Bravo……

        Fantastico a forma como utilizou as palavras….

        Estou magnificado…..

        Parabens….

  • Bruno

    Eu tenho fé em deus que steve deixou 20 protótipos de iphones e ipads pra os proximos anos. E claro, pelo menos mais 2 produtos novos que nao sabemos *ainda* quais são

    • Marcel Souza

      Cara, 20 não sei mas uma coisa vc pode ter certeza. Uma empresa como a Apple e com o CEO que tinha, teremos nos próximos 5 anos produtos com a assinatura dele.

      Depois disso, vamos ver se ele conseguiu formar executivos de primeira linha.

    • Marcel Souza

      Ele certamente decidiu abrir a vida numa biografia pq sabia que tinha pouco tempo de vida. Bom pra gente que teremos uma história verdadeira sobre o cara, sem mitos e mentiras.

  • daniel

    grande perda

  • Madmediphone

    Eu fiquei admirado como ele conseguiu manter sua vida particular ( familiar) longe dos holofotes da imprensa. Pessoalmente não sei nada sobre ela , possivelmente porque não é da minha conta.
    Morrer perto da família foi mais um escolha sensata de um grande Homem. Aceitar a morte quando ela vem , decidir o que quer fazer diante dela e fazer respeitarem seus desejos é muito difícil.

  • Lucas Sobral

    iLex, mais uma duvida do que uma correção. Por que, nesta parte: “Com esta biografia, quero que meus filhos me conheçam melhor. Não fui um pai muito presente e quero que eles saibam porque, fazendo-os entender o que eu fiz.”
    Você utilizou “porque” a não “por que”?
    Me ensinaram que se usava “por que”, por isso a dúvida.

    • Isso realmente é de extrema importância ,estragou o artigo. ‘-‘

    • Rocha Neto

      O importante é que deu pra entender. Porque, por que, porquê, porquè, isso nao vem ao caso

  • Carlos Arcas Neto

    Ilex.
    A midia só falou sobre a morte de Jobs. E o funeral foi em segredo para não haver tumulto?

    • Foi privado, em respeito à família que sofreu todos estes meses.

  • Felipe Criscuolo

    Certamente Jobs deu o seu melhor. Não concordo com o posicionamento que tomamos na vida de dizer que devíamos ou não ter feito alguma coisa, damos o nosso melhor sempre, incondicionalmente. Pensem nisso.
    Regards

  • Luciano

    Seus filhos devem se orgulhar pelo q ele foi, se ainda não entederam creio q um dia entederão, ele esta na lista dos grandes que fizeram diferença para a humanidade, nossos filhos vão saber quem foi Steve Jobs.

  • Daniel

    iLex, a frase correta não é “esteja sempre faminto, seja sempre tolo”?

  • Amílcar Henrique

    Na minha opinião, o que temos de mais valiosos e importantes na nossa vida são os filhos. Uma vez vi na internet uma entrevista do Sean Lennon, falando sobre seu pai, o Beatle John, e foi muito difícil segurar a emoção em saber o quanto seu pai, que influenciou tanta gente, fez falta a este rapaz. Até o Paul McCartney sentiu isso e compôs Hey Jude pra consolar o Julian. Mesma coisa com Pelé, que negou qualquer ato de paternidade à sua filha “ilegítima”, a falecida Sandra, e hipocritamente dizia-se interessado nas “crianças” do Brasil. Steve jobs pode ter sido muito bom para a Apple e para inventar uns aparelhos ou softwares ou estilo de empresa que tornaram a Apple um nome fortíssimo e que fazem o emodo de vida de uma sociedade se alterar, mas tentou até passar por estéril para não reconhecer a paternidade de sua primeira filha. Assim, no mínimo que seria sua responsabilidade, cuidar de seus filhos com dedicação, atenção e afeto, e prepará-los para uma vida plena, ele fracassou e, deve ter sido realmente tão ausente que, para se dirigir aos filhos, não foi por meio de um diálogo familiar, intimo ou reservado, mas por um meio público numa (auto?)bibliografia (!), e ainda ganhando uns cobres para a prole abandonada, talvez crendo que esta compensação financeira amenize a ausência como pai em vida. Creio que no final ele descobriu que os acionistas e empresários da Apple receberam muito mais dele do que ele deu de si para os filhos. Depende do conceito de cada pessoa considerar o que é sucesso e o que é fracasso ou, ainda mais, se, no final, valerá a pena deixar os filhos privados do convívio paterno.

    • LP

      Muitíssimo bem colocado.

  • Marcio Rodrigues

    Steve Jobs foi um dos grandes gênios de nossa época, assim como houveram grandes gênios em épocas passadas. Acredito que ainda há grandes gênios entre nós, que só precisam da oportunidade e do momento certo para revolucionarem o mundo (mais uma vez) em que vivemos. Com essa gritaria toda neste plano que chamamos de ‘internet’, acabamos por “genializar” apenas aqueles que nos convém.
    Já li uma porção de comentários em blogs e sites de notícias que Tim Cook não vai dar conta de manter a Apple como ela está, alguns títulos e resumos até desafiam os leitores a pensarem após uma série de insinuações e comparações medíocres. Talvez seja por isso que as ações da Apple caíram após a saída de Jobs. Pra mim isso parece uma versão dos populares boatos, que frequentemente são quebrados aqui no blog, e como tal tem a função de causar problemas para alvo do falatório.

    Tim Cook precisa de quantas chances forem necessárias para mostrar ao mundo porque Jobs o colocou como seu sucessor. Afinal, Jobs não foi um gênio?

  • Rafael

    Essa biografia vai sair em formato digital para o iPad? (acredito muito que sim né heheh)