Curiosidades

Veja porque no Brasil provavelmente não veremos propagandas do iPod touch

Ontem recebi um curioso email da Apple Brasil que me chamou a atenção. Ele mostrava um iPod touch com seu acelerômetro (dispositivo interno que permite identificar os movimentos do aparelho) visivelmente desregulado.

Nível do mar em uma ladeira

Visto que o suposto aplicativo deveria servir para determinar o nível do horizonte, a posição do aparelho ficou meio estranha. Como a Apple não costuma deixar escapar esse tipo de detalhe, fiquei intrigado.

A resposta veio ao analisar o mesmo email, mas em versão americana. A imagem não era a mesma usada na campanha publicitária mundial e sim uma feita especialmente para o público brasileiro, repare:

Emails diferentes para americanos e brasileiros

Enquanto que o email mundial enfatiza os jogos como uma das melhores facetas do touch, no Brasil o texto destaca outras características menos interessantes, como o recurso Genius ou a tecnologia Wi-Fi, argumentos que já não chamam tanto a atenção assim.

Isso tem uma razão muito clara: a não possibilidade de comprar jogos na App Store brasileira (entenda porque aqui), o que obriga a Apple a mudar sua campanha mundial no nosso país.

Isso é uma pena. Nunca teremos (pelo menos não tão cedo) a oportunidade de ver adaptados para o nosso público as propagandas do iPod touch, que costumam ser as mesmas no mundo todo, nem integrações interativas com sites, como foi feito na Wired, veja:

httpvh://www.youtube.com/watch?v=xx_6DjgNKco

Leitores advogados: o que precisamos fazer, nós consumidores, para alterar a lei brasileira?

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • RodrigoDC
  • Marcelo Turolla

    iLex a forma mais fácil, seria entrar em contato com o “seu” Deputado e propor e ou reclamar uma atuação dele para uma alteração na lei. Se todos os interessados entrarem em contato com o “seu” Deputado, possivelmente teremos uma boa resposta. Depende de nós mesmos!

  • Diego

    Simples, esse é um motivo que encoraja a fazer o jailbreak.
    De que adianta tem o IPhone e não poder rodar estes jogos?

    • orlandson

      Não entendi o que isso tem a ver com o Jailbreak!?
      É só comprar os jogos na App Store da Argentina.

      • Vinicius

        Eu não moro na Argentina nem nos EUA e todos falam como se fosse a coisa mais natural do mundo comprar coisas no exterior. Pensem nisso tudo para a maioria absoluta dos usuários de iphone que como o proprio Steve Jobs fala que o aparelho foi feito para qualquer “sem cerebro” operar. E essas pessoas que não são aficcionados por tecnologia como a maioria aqui são a maior fatia do mercado consumidor de aplicativos e jogos. Pq não reduzir a briga com o jailbreak e começar uma briga política para a liberação ou alteração da legislação como iLex comentou.

      • ArmagedonNGB

        Tá faço uso disso também mas agora me diz, cade o Civilization Revolution que foi lançado há mais de 4 meses na App Store USA ou então cade o Rock Band na App Store ARG? – a App Store ARG não resolve tudo não, mais além disso tenta comprar o Photoshop.com Mobile, já faz mais de semana e nada ainda. Já deu para entender né?

        Abraços …

  • O caminho mais fácil e rápido, ao meu ver, não é mudar a lei, e sim que a Apple implemente medidas para que os jogos da AppStore gringa sejam submetidos às determinações legais de classificação impostas por nosso governo.

  • krikaoli

    Marcelo Turolla disse tudo. Depende só de nós. Um e-mail e uma ligação para nossos respectivos deputados ajuda. Abraços.

  • Mas a Apple bem podia se submeter as leis brasileiras. Se põe os desenvolvedores a tanta espera e dor de cabeça lá, é muita hipocrisia desistir por não quer passar por algo semelhante.

    • Cara, o problema não é da Apple. Não teria condições de aprovar qualquer lanterninha que é lançada toda vez…

      • Eu até acreditaria nisso, mas depois de provarem que subestimam o nosso mercado com os estoques baixos da Apple Store, eu não sei mais se é realmente tão impraticável ou se acham que não importa se temos jogos ou não, nunca vamos dar tanto lucro.

        O que realmente nos deixa confusos é que eu comprei Grand Theft Auto IV pra PS3 logo que saiu, meu irmão tem vários jogos de Wii, por que só a Apple teria problemas pra passar jogos na App Store? Podia demorar, mas se tivessem feito logo de início, hoje já teríamos vários a disposição.

      • Acredito na reciprocidade, se eles não se dão ao trabalho de alterar seu método de avaliação dos jogos para vende-los NO NOSSO MERCADO, por que alteraríamos nossa legislação para o mesmo?

        Apple já tem critérios para avaliar os APPs, incluir um critério a mais para jogos a serem vendidos no Brasil não sairia tão caro.

        Para ser honesto desde que a apple abriu a loja Brasileira eu perco progressivamente o respeito pela marca, não sei se hoje eu teria comprado um iphone como o fiz há 1 ano.

      • Acredito que seja infinitamente mais provável que a apple faça alguma coisa, é improvável que modifiquem nossa legislação só por que uma minoria (e poe minoria nisso) quer jogar joguinhos no celular =)

      • ricman1103

        claro, imagina se a apple fosse mudar o sistema d aprovacao d apps pra se adequar as leis d todos os 70 e tantos paises q ela tem app store…

    • DarkSide

      Você viram no Ministerio da Justiça como é a coisa ? você tem que mandar a notificação pro Minitério avaliar, e efetuar o pagamento da taxa por CARTA sim isso mesmo CARTA

      Aliás, 90% dos desenvolvedores iria fugir quando vissem que tinham que pagar uma taxa absurda para na hora de submeter da um “click” no Brasil.

      Pra mim o que a Apple devia fazer e sei lá se vocês como Blog consiguissem unir uma galera para isso, era provar que os jogos são hospedados nos EUA, se paga em dolar e por isso eles não precisam se submeter a essa droga de lei. Alias agente ve na TV um monte de empresa que não segue essa lei, parece que a Apple é a unica empresa no Brasil que segue essa lei.

  • Frederico

    Fala a verdade….

    Por isso que o Brasil é o país do “jeitinho”.

    Gente, pra poder comprar legalmente um jogo, um jogo, não é maconha, não é cocaína, é um simples jogo.

    Mas maconha e cocaína, você acha em qualquer lugar para comprar, não precisa nem inventar endereço nos EUA, nem nada. Só ir lá no seu “revendedor” mais próximo, e adquirir.

    De todas as coisas que vicia, logo os inofensivos “joguinhos” é que foram banidos.

    Como diz o Neto (comentarista da Band): Só pode “tá” de bricandeira…

    • Fui obrigada a concordar Frederico…

    • Concordo com vc.

      O Brasil tem certas coisas que fazem ele andar para trás… os nossos políticos só se mexem se entrar algo no bolsos deles.. que tal fazermos uma vaquinha ?

    • Jrbs

      Sou obrigado a discordar de você Frederico… essa comparação não refresca em nada! Maconha, cocaína ainda continua proíbido e não pode ser comercializado livremente. Quem faz ou está fazendo está errado.

      Eu acho que só a concorrência e estabelecimento de mercado consumidor sólido para fazer a apple abrir os olhos para o Brasil. Acredito que ela precisa adequar suas políticas com as normas brasileiras.

      Isso vai acontecer quando ela não tiver onde tirar mais grana e precisar expandir seu mercado consumidor. Com certeza vai querer entrar de cabeça no mercado brasileiro. É só aguardar!

      Enquanto isso, infelizemente, perde-se dinheiro para o Jail.

  • Até tem como o povo legislar, porem as exigencias para tal são tão absurdar que nunca aconteceu. O que pode acontecer é, ocorrer uma pesquisa de significante valor social entre o povo, e os deputados/senadores se sensibilizarem com essa, fazendo a proposta de lei.

    Mas como ja foi dito, é mais facil a apple adaptar seus metodos de avaliação para corresponderem à nossa legislação.

    Acredito que o fato de não haver os jogos no Brazil seja birra da propria apple por não se prontificar a adaptar seus metodos.

  • Max

    Enquanto aqui tiver deputados e juízes que acham que jogos são artigos de luxo, ou que jogos como Counter Strike afetam a ordem publica(vide proibição ao jogo), podem esquecer!!! Mas esses caras não entendem que a realidade mudou!!! Jogos já movimentam mais dinheiro que filmes de hollywood, basta ver quanto o GTA4 faturou no lançamento…

  • Alex iPilot

    Mas será que a Apple sequer tentou? Ou será que desistiram com base na visão histórica que somos uma “republica de bananas” com funcionários públicos corruptos que pediriam uma cervejinha para carimbar cada jogo?

    Não sei não, nossa legislação parece melhor e mais eficiente do que a deles para classificação de jogos, desfazer isso seria caminhar para trás e nivelar por baixo. Talvez o trâmite burocrático seja lento mas para ter certeza é preciso ter experimentado. Será que a Apple tentou?

    Abrindo parênteses para traçar um paralelo, conheço o caso de um navio que veio para o Brasil contratado por uma grande exploradora americana de petróleo. Os texanos se lixaram para as licenças que deveriam pedir para que o navio pudesse trabalhar em nossas águas. Eles imaginaram que bastaria pagar uma cerveja para algum militar e foi o que fizeram, cheios de marra, perguntando o valor para um Almirante… O resultado foi que o navio ficou parado 6 meses tomando multa e aprendendo uma lição: isso aqui não é a Casa da Mãe Joana.

    Eu posso levar o caso ao meu Senador, mas ele vai me perguntar detalhes da (suposta) experiência frustada que a Apple teve. Como foi o retorno que ela teve? Quanto tempo levou? Quais as exigências? Sem isso não haverá base fundamentada para propor alteração da lei… Seria muita inocência nossa achar que apenas um abaixo-assinado bastaria para alterar uma legislação e “relaxar” a fiscalização sobre uma matéria que é palanque de muitos políticos. Essa alteração também “retiraria o poder” de algumas pessoas e isso é sempre complicado de fazer, se ainda fosse o contrário…

  • Max.

    Quanto à proibição do counter strike, foi uma decisão irracional e posteriormente modificada em grau superior, claramente ignorancia por parte do julgador singular. Portanto não representa a opinião da justiça e eu não ficaria surpreso em saber que tal juiz tenha sido advertido pela corregedoria.

    Quanto a jogos ser considerados artigos de luxo, não é isso, são considerados supérfluos. Isso faz parte da atual filosofia de governo de valorizar o mercado nacional importando apenas o que é necessario, NÃO QUER DIZER QUE O GOVERNO NÃO DA CREDITO AOS JOGOS, só que não pode se comprometer ao efeito negativo na balança comercial que milhares de reais deixando o pais semanalmente causarão. OS IMPOSTOS NÃO BENEFICIAM EM NADA O GOVERNO! Eles servem apenas para desestimular as pessoas a comprarem aquele produto, gastando o dinheiro no mercado interno e fortalecendo-o.

    O “descrédito” aos jogos se deve à filosofia de governo, portanto pode mudar com a mudança do lider do executivo. Porem, a nível nacional reduzir os impostos dos jogos é extremamente danoso.

  • Hermano

    É mais fácil comprar jogos na apple store da Argentina. Infelizmente liberar a comprar dos jogos não é um assunto que sensibilizará a opinião pública e nem será bom para os desenvolvedores nacionais. Eu desisto, compro logo na Argentina e não esquento com mais a cabeça com esse assunto.

  • Fernando

    Entrando no site do Ministério da Justiça, tem uma parte específica, tipo “Fale conosco”…

    Eu mandei um e-mail há mais ou menos 2 semanas perguntando sobre a liberação da appstore, mas até agora nada.

    Talvez a gente consiga alguma coisa se todo mundo tiver a paciencia de entrar lá no site do Min. da Justiça e pressionar um pouco por e-mail…. perguntar sobre o andamento da classificação de jogos, ou outros fatores que impossibilitem a liberação da appstore brasileira.

    (mesmo sendo uma idéia besta, acho que vale a pena tentar… )

    • Fernando

      Só pra esclarecer… “idéia besta” no sentido de achar que eles vão parar pra ler e-mail de cada pessoa.

      Mas, de repente, se chegar um monte de e-mail (e por um monte, eu digo milhares), abarrotando a caixa de entrada deles, e com esse assunto específico, talvez chame um pouco a atenção né…

    • JuniorCeara

      É até acho que pode dar certo, se várias pessoas começarem a pedir, e eles começarem a ver que não é uma minoria isolada!

      E amigo ai de cima que falou da maconha e da cocaína!
      Quem disse que o Brasil não se preocupa? Você não ver jornais? Eles não prendem bandidos não?

      EM QUALQUER PAÍS HÁ BANDIDOS, não importa aonde seja! não tem nada haver com droga essa historia da app store!
      a Maconha e a Cocaína foram proibidas como qualquer outra droga ilicita!
      abraços

  • Magyner

    Pode fazer o contrário também.

    Pressionar a Apple, que, vendo o grande número de e-mails pedindo jogos para o brasil, pode ver uma oportunidade de lucro, que é o unico argumento válido para qualquer empresa. GRANA!

    • DarkSide

      Mas se a Apple fica amarrada a lei o que ela pode fazer ? Eu sou desenvolvedor de iPhone e tenho contato com o eng de sistemas da Apple, ficou claro qual o problema, e a forma que o ministério da justiça exige o cadastro para verificação é muito arcaica. A Apple simplesmente não vai mudar o sistema de submissão de aplicativos da APP Store do mundo todo, por culpa de uma republica das bananas, não vai simplesmente isso.

      e os Brasileiro mesmo fazem tudo para não mostrar a Apple que tem mercado o mercado de macs, ipods e iphone vive de contrabando no Brasil, ai a Apple Brasil não tem números para justificar altos investimentos, é tudo tão claro que não sei como tem tanta gente que viaja aqui

  • Thiago

    Que a apple se adapte às necessidade do emergente mercado brasileiro. Não há motivo nenhum para que a Lei brasileira seja modificada quando o reconhecimento desta, no aspecto a que se refere, está por vezes anos a frente em contexto mundial. A apple já enxerga que o Brasil é um país com potencial de consumo. Dentro em breve, quando o grupo de executivos que formam aquela empresa, observarem o que estão deixando de lucrar, certamente teremos a solução do problema. Agora, injusto é ver um cidadão brasileiro reclamando da lei pátria funcional para flexibilizar esta em detrimento principiológico de uma multinacional. Quanto ao leigo colega que dissertou acerca da tributação nacional, antes de fazer uso de palavras sem sentido e de senso comum, procure ter um conhecimento aprofundado do assunto e crie uma opinião própria. Não é elegante, mesmo em um meio virtual, opinar sem base.

    • Concordo com cada palavra, a apple lucra com esses jogos, portanto nada mais justo que ela adapta-los à nossa legislação. Quanto aos “impostos abusivos” eles fizeram a sony vir para o Brasil, vejo-os como um mal necessário.

  • Fernando

    Uma parada que eu não entendo é:

    A classificação indicativa de jogos já é um projeto “antigo”… acho que começou em 2002.
    Mas, em termos de jogos (seja pra pc, videogames, celulares, etc), só a AppStore tem problemas pra ser liberada.

    Então, se existe essa “desculpa” de que é necessário fazer a classificação dos jogos pra poder liberar tudo, então esse atraso na liberação deveria afetar todas as outras plataformas, né? (isso é.. pc, videogames e outras categorias de celulares)

  • Amigos,

    Enviei um email para a responsável de contato com a imprensa perguntando o motivo e o que pode ser feito para liberarem os jogos. Vamos ver o que vai dar. Assim que eu receber o retorno do email (se eu receber) eu posto aqui e também no forum. Já abri um post sobre o assunto.
    link: http://forumdoiphone.com.br/index.php?showtopic=2747

    Caso queiram mandar email também segue o link de onde achei o email.
    http://latam.apple.com/pr/articulo/?id=1611&r=br

    VAMOS LÁ PESSOAL!!! Vamos ver se a gente consegue alguma coisa!!!!

    Abs,
    Diego

  • link: http://forumdoiphone.com.br/index.php?showtopic=2747

    Quem tá comigo???

    Abs,
    Diego

  • Max

    Galera,

    concordo com a maioria dos comentários, mas sobre a valorização do mercado interno eu discordo. Dificultar a compra de produtos importados favorece o mercado interno no curto prazo, mas no longo prazo isso faz com que a moeda fique excessivamente valorizada, devido à uma maior entrada de capital estrangeiro. A valorização do Real reduz a competitividade da nossa indústria, pois nossos produtos ficam mais caros lá fora. Portanto, deve-se haver um equilíbrio entre exportações e importações. A melhor forma de se melhorar o mercado interno é investir em infraestrutura e qualificação da mão de obra (educação) para permitir a expansão de nossa indústria. Porém, essa falta de investimento em infra é um problema recorrente do Brasil desde o final do governo militar quando nos afundamos em dívidas e começamos a gastar muito em pessoal, fora a corrupção.

    Concluindo essa história longa e chata que eu contei, como o Brasil não produz os jogos, não temos alternativa senão importá-los, e liberar a importação dos mesmos com tarifas mais baixas não prejudicará o mercado interno que é deficiente nessa parte pois não é capaz de atender a demanda.

  • Não sei porque a Apple não põe jogos na AppStore Brasileira?
    Afinal, se fosse uma loja brasileira, eles nem podiam vender em dólares e ainda teriam que pagar os impostos brasileiros.
    A AppStore Brasileira só tem o nome, porque juridicamente e fiscalmente ela não está no Brasil e não segue as leis brasileiras, sendo assim pode vender jogos.

  • Alex iPilot

    DarkSide, não importa onde os jogos estão hospedados. A compra seria feita no Brasil e portanto sujeita à legislação brasileira.

  • RMF

    O ptoblema mesmo é que a Apple não é empresa de político brasileiro ou de algum parente deles, ou então porque não ofefeceram a molhada na mão certa, molha a mão certa que eles liberam até jogatina, vê se o jogo do bicho é caçado.

    Abraços …