Notícias

Desenvolvedores aplicam sistema anticrack em seus aplicativos de forma barata e eficiente

Anticrack de aplicativos

É bem verdade que a Apple nunca fez nada de efetivo para combater a pirataria de aplicativos para iPhone OS, preferindo jogar a culpa toda no jailbreak, que acaba permitindo a instalação não autorizada de programas no aparelho. Com isso, os desenvolvedores tiveram que procurar eles mesmos soluções independentes para proteger suas criações.

Talvez nem todos os desenvolvedores saibam, mas colocar um sistema anticrack em aplicativos é muito mais fácil e barato do que se imagina. 🙂

Um dos grandes problemas da App Store é o cracking, manipulação ilegal que tira dos aplicativos a certificação digital, permitindo que ele possa ser distribuído livremente pela internet e instalado em aparelhos também crackeados. É um problema, porque a grande parte dos desenvolvedores para iPhone OS não são gigantes da indústria de software, mas gente simples, como eu e você, que aprendeu a usar o sistema da Apple para criar programas para iPhone e iPod touch. Estes, ao verem que seu trabalho não dá retorno e é roubado livremente, se desestimulam a criar bons títulos para a nossa plataforma.

O primeiro sistema antipirataria que surgiu foi o Kali Anti-piracy, criado pelos desenvolvedores do histórico Installer, programa que ajudou a popularizar o jailbreak no início. O problema deste método é que ele é considerado caro, pois exige que se pague uma mensalidade para usá-lo, além da taxa inicial (de 100$ a 300$).

Por isso que o desenvolvedor Oliver Drobnik, autodenominado Dr. Touch, criou um método que identifica e impede que aplicativos crackeados funcionem. E o melhor: quem escolhe quanto quer pagar é você, através de uma doação (estabelecida entre 30$ e 100$).

A implementação é bastante simples e relativamente rápida. Com poucas modificações em seu código e a inclusão de alguns scripts, seu aplicativo já ficará completamente protegido. Alguns desenvolvedores brasileiros já estão usando, com sucesso.

httpvh://www.youtube.com/watch?v=Pu4M6qyOhY0

Para maiores informações, visite o site do Dr. Touch.

Se você é desenvolvedor e tem (ou pretente ter) aplicativos na App Store, não deixe de se proteger, para que a comunidade brasileira de desenvolvedores cresça cada vez mais e tenhamos mais e mais títulos nacionais de qualidade para o iPhone OS. 🙂

Tags
Mostrar mais

iLex

Robô virtual que tem como missão organizar o site e ajudar leitores. De tempos em tempos ele desvirtua e tenta fazer outras coisas, mas nada que um hard reset não resolva.

Artigos Relacionados

  • leonardo eloi

    Meus parabéns pela atitude. Gostaria que tivéssemos a mesma preocupação em relação à industria audiovisual.

  • iMed

    Eu ja testei e funciona, porem vamos se dizer, a garantia é de 30% pois tem algumas brechas. O cracker pra tudo se tem um jeito.

  • Mamede

    iLex, concordo com a proteção dos aplicativos, mas como eu brasileiro faço pra ter os jogos que não vendem na AppStore brasileira no meu Iphone, partindo do principio que ter conta em outra pais tb é ilegal…

    • Os desenvolvedores brasileiros sempre publicam na App Store brasileira, onde se pode comprar normalmente. Ou seja: argumento #fail. 🙂

      • Roberto

        iLex, acho que você está se equivocando…

        Sou contra a pirataria dos aplicativos também, mas abrir conta na App Store dos EUA, por exemplo, é ilegal sim…
        Pois embora a acusação de falsidade ideológica possa (e de certa forma é) parecer um exagero ela é válida sim. Infelizmente a lei é dessa forma, e infelizmente a App Store brasileira vai virando lenda….

      • Roberto, tem que separar bem a noção de ILEGAL e ERRADO.

        O que chamamos de “errado” é subjetivo, o que é errado para uns não é para os outros. Já o “ilegal” é objetio, há leis que gerenciam a sociedade e você deve respeitá-las. Como escrevi no comentário abaixo (e talvez vc não tenha lido) é justamente isso. Dê uma lida.

        Eu não sou advogado e não sei se você é, posso sim estar equivocado. Mas eu DOU UM IPHONE NOVINHO a alguém que for um dia processado na justiça por ter aberto uma conta na App Store de outro país. Pode escrever que é compromisso. Acho mais fácil primeiro o Brasil ser considerado a maior potência do mundo.

      • iLex, agora você mexeu comigo. Só tenho uma pergunta: a promoção vale se eu me delatar pra justiça e pedir condenação?!?! rsrsrs

      • Rafael Nogueira

        É mais uma vez confundindo a noção de Ilegal e Errado.

        Não existe lei nenhuma proibindo você de ter conta em uma loja no exterior, mesmo que essa loja não envie o produto para você. Ocorreria “apenas” um risco de perder um produto e não ter a proteção jurídica necessária.

        Dizer que não cria conta na app internacional, como a Argentina (que está muito boa), é desculpa para não pagar e usar produto crackeado (ESSE SIM, COMPLETAMENTE ILEGAL!), e não existe motivo que justifique o uso, mesmo que não existisse possibilidades de compras no exterior.

        Essa é a mesma discussão na época do jailbreak, que muitos acreditavam ser ilegal apenas porque uma empresa falou. No máximo, será considerado ilegal, caso a justiça conheça como um instrumento para facilitar a pirataria, graças aos usuários como você que usam de desculpas para utilizar aplicativos pirateados.
        Veja que sempre fui, e sou a favor do jailbreak. Mas por desbloquear funções e possuir programas que preciso que não podem estar na app store. E assim como a criação da conta na AP store no exterior, no máximo, você pode considerar errado, pois também não existe ilegalidade alguma.

    • Nesse caso você tem que brigar com o governo do seu país, que cria regras de conteúdo por idade que não bate com o utilizado no resto do mundo, tornando inviável a venda de jogos por aqui (pois precisa passar por uma classificação exclusiva do ministério “não sei qual” aqui do Brasil).

      Não culpe os desenvolvedores ou a Apple por isso.

      E se você realmente não tem formas de obter tal conteúdo sem utilizar uma forma ilegal, então não compre. Afinal quem usa a AppStore deve estar ciente de como as coisas funcionam por lá.

      Uma recomendação totalmente pessoal, mas que funciona, é entrar em contato com os desenvolvedores do jogo que você está tentando comprar. Explique a situação da falta da categoria de jogos no Brasil e peça que em um futuro update eles atribuam a categoria secundária do app deles na seção de entretenimento. 30% dos casos, vai funcionar.

      Abraço.

  • Conheço as duas formas e mais algumas outras (não tão garantidas). Ainda não uso esse sistema porque não tenho apps com grande quantidade de vendas, apenas coisas simples.

    Uma coisa interessante é que com esse mecanismo é possível enviar o ID do iPhone para um servidor próprio e posteriormente enviar para a Apple. A Apple (pelo menos comigo) foi bem atenciosa no que diz respeito ao bloqueio de ID que agem de má fé, banindo de recursos online providos pelos seus servidores, tais como alguns usos da AppStore, Push, entre outros recursos menos importantes para a maioria das pessoas. Ou seja, o risco de usar um app pirata é bem maior do que o pessoal imagina.

    Algumas semanas depois de eu lançar meu primeiro aplicativo na AppStore, uma pessoa crackeou o meu programa e iniciou a distribuição gratuita.

    Porém o arquivo .ipa crackeado que é espalhado entre os piratas, fica com a conta da iTunes da pessoa que comprou o aplicativo e iniciou o processo de pirataria.

    Nesse caso os desenvolvedores podem (e devem) baixar uma cópia pirata de seus próprios apps, e no Mac com o botão direito sobre o arquivo pegar o nome do usuário e o ID. Basta enviar para a Apple solicitando o bloqueio da conta do fulano responsável.

  • Frederico

    iLex, se fazer o cadastro na App dos EUA não é errado, porque temos que colocar um endereço falso para poder fazer isso?

    De certa forma é errado sim!

    Agora, bem pior que isso é crackear aplicativos, concordo contigo.

    Mas então explica pro amigo ai de cima que basta fazer uma conta na App da Argentina. Lá tem jogos, aceita cartão de crédito brazuza, você compra a aplicativo, você passa a ter direito às atualizações do aplicativo, o desenvolvedor fica feliz, o Steve Jobs fica feliz, é isso ai. Simples assim!

    • Uma coisa é dizer que é ERRADO, outra é dizer que é ILEGAL. Entende a diferença?

      Abrir conta em outro país que não é o seu (que é comprovado pelo cartão de crédito) não é permitido pelos Termos de Uso da Apple. Mas o que ela diz não é lei nem no Brasil nem em outros países e portanto, isso não pode ser considerado ILEGAL. Alguns insistem em argumentar que é falsidade ideológica, mas é tão absurdo quanto dizer que as pessoas que comentam aqui podem ser processadas por não colocar o nome verdadeiro no nick só porque os Termos de Uso do Blog assim o pede. 😉

      É errado não termos a categoria de jogos na nossa loja? É, mas o assunto aqui é outro e é sempre bom não misturar as coisas.

      • José Bernardo

        Sei que não é o assunto do tópico mas só para colocar a minha singela opinião:

        Artigo 299 do CP – Omitir, em documento público ou particular, declaração que dele devia constar, ou nele inserir ou fazer inserir declaração falsa ou diversa da que devia ser escrita, com o fim de prejudicar direito, criar obrigação ou alterar a verdade sobre fato juridicamente relevante.

        Se você colocou na conta externa o seu Nome Verdadeiro e o seu próprio Cartão de Crédito, fica comprovado que a sua intenção não foi prejudicar o direito de ninguém, tenho certeza que o JOBS não tá incomodado com isso.

        Fica a dica… coloca o nome original e seu proprio cartão e fique tranquilo.

    • Mamede

      Obrigado pela informação, eu so tenho conta na AppStore do Brasil e dos EUA, mas nesse caso vou pra da Argentina e vou comprar os jogos com certeza.Tanto sou contra q ja comprei jogos direto com os desenvolvedores por ainda nao ter cartao internacional (usava o da minha namorada). 🙂

  • Pedro

    Olá iLex, tudo bom?

    Ótimo artigo!

    Nós da BITIX temos um contato constante com o Oliver e estamos usando desde da versão 1.0 do AntiCrack.

    Neste sábado em Sampa irei falar sobre Pirataria de Apps para iPhone trazendo algumas estatísticas interessantes, se você tiver a oportunidade de aparecer será muito bem vindo! 🙂

    Abraços,

    Pedro

    • Infelizmente eu não vou poder ir desta vez, mas estaremos ligados em tudo o que vai acontecer lá. 😉

  • Nat

    Sempre voltam a mesma discussão, pode até ser errado se cadastrar com uma conta de outro país. Só que isso não traz malefícios a ninguém, vc se beneficia e a Apple até ganha com isso pq vende apps que não venderia de outra forma. Oq as pessoas não entendem é que crackeando, você desestimula a produção de novos aplicativos legais. E no fim, quem paga somos todos nós que utilizamos e amamos tanto nossos aparelhinhos. Nós que não temos atualizações, e novidades. Se cada pessoa q tivesse 1 iPhone ou iTouch usasse apenas apps crackeados, a itunes/app store não iria existir mais, e tds as diversas possibilidades que fazem esses aparelhos incríveis, seriam jogados na lata do lixo. Duvido que alguém aqui voltaria a ter um celular basicão, depois de ja terem experimentado o iPhone. Acho que cada um tem que fazer a sua parte para que todos possamos progredir.
    Não custa pagar alguns poucos reais por um app (dependendo do app), p/ qm ja paga muito de conta de dados, ou da parcela do aparelho.
    Parabéns pela iniciativa e movimento contra a pirataria, iLex!

  • Daniel Taiguara

    Gente a maioria dos aplicativos custa 1 dolar. Se vc vai num Shop vc gasta 10 reais no minimo.

    Agora o aplicativo te dá muito mais horas de diversão.

    Não acho que tenha nada de mais comprarmos na loja da argentina jogos. Se foce realmente ilegal a própria apple barraria os cartões Brasileiros lá como já faz na loja Americana. Se eles permitem pq não aproveitar?

    So queria falar para os desenvolvedores também cobrarem preços justos para seus aplicativos. Preços justos ao meu ver combatem a pirataria e uma versão lite também ajuda muito a pessoa a avaliar o programa para depois comprar sem se arrepender e não ficar pensando que jogou dinheiro fora e querer piratear de uma próxima vez para não passar por isso de novo.

    Aplicativo que tem um preço bem alto e que acho um pouco abusivo é o Sygic Brasil. Afinal já temos todo o hardware e ele já tem o software e os mapas já prontos de uma outra plataforma o que no caso é só uma migração de plataforma. Uns 40 a 50 dólares estaria bom demais por este aplicativo. Como ta muito caro não compro e espero abaixar o preço e não faço pirataria dele.

  • Roberto

    Então iLex, pode ficar tranquilo que você não vai ter que dar iPhone para ninguém hehehe

    Eu concordo com você, ninguém vai ser processado por isso, como também acho muito, mas muito difícil mesmo alguém ser processado por usar apps crackeados… (Para não dizer impossível)

    A única coisa que eu estou querendo dizer que fazer isso é ilegal sim… Mas eu concordo inteiramente com que o (a) Nat disse… As pessoas precisam ter discernimento nas suas ações… Ao meu ver ninguém é prejudicado quando cria contas em lojas que não são do seu próprio país, muito pelo contrário acho que só beneficia todo mundo…

    A única coisa que eu quis dizer é que é errado e ilegal só isso.

    E ao meu ver, o sucesso do iPhone/iPodTouch se deve em grande parte pelo modelo de negócio que a Apple pensou, sem dúvida alguma o hardware é muito inovador, mas mais inovador que isso é a App Store e sem dúvida nenhum a pirataria dos aplicativos é realmente um problema para esse modelo de negócio e para o sucesso do iPhone/iPodTouch.

    Além do que, os aplicativos possuem preço mais do que justos em sua grande maioria.

    Resumindo, o que eu disse é o que a grande maioria concorda e já até disse aqui, apenas quis deixar claro o meu ponto de vista.

    • Rafael Nogueira

      Veja que estamos falando de crime.

      Qual a tipificação e a pena do cadastro em uma app store estrangeira mesmo??
      Não existe!

      Ao contrário da pirataria que está presente nos crimes de propriedade intelectual, como o art. 184 do Código Penal Brasileiro. É claro que a pena é branda, mas neste caso existe.

  • leoavesani

    Impressionante como Brasileiro tem todas as desculpas na ponta da língua para tentar defender a pirataria. O único problema é que não tem o que falar, no final das contas, é pirataria do mesmo jeito.

  • Jason S.

    Acho fantástica a idéia dos desenvolvedores brasileiros estarem buscando sua própria forma de de proteger os aplicativos contra o cracking, mas a divulgação disso me deixa um pouco preocupado.

    Não sou muito próximo do Xcode, mas divulgar o script de proteção não seria uma “brecha” que estariam dando aos crackers?

    Uma coisa é você dizer, estamos nos protegendo, outra é mostrar o script de proteção.

    Se estiver falando besteira, por favor iLex, me corrija.

  • Desde meados dos anos 80 quando os computadores pessoais (TRS-80, MSX, APPLE IIe e outros) começaram a aparecer nas casas de nós brasileiros, também a pirataria de software virou quase uma instituição nacional. Sempre foi comum para nós comprar um jogo ou aplicativo pirateado e quase sempre a desculpa era mesma: “Vivo em um país de terceiro mundo, não ganho em dólar”.

    Depois veio o DOS, Windows e OS/2 e nós aumentamos significativamente as ações de pirataria neste país. O mesmo acontece com as músicas em formato MP3, filmes DIVX e por aí.

    Querendo, ou não, isso se tornou quase parte de nossa cultura. Porém, conceitos novos como o da Applestore, que oferecem ótimos aplicativos a preços aceitáveis no nosso universo, podem de certa forma nos fazer repensar o conceito da pirataria, questionando: vale a pena piratear um aplicativo que custa 10 reais, enquanto eu posso comprar um original e ter toda garantia e ser um cara legal?

    Particularmente conheço muitas pessoas que levam muito ao sério essa questão e sempre escuto a mesma pergunta: “Se eu comprar um Iphone vou poder piratear programas?”. E eu sempre tenho respondido com a mesma resposta: “Poder você não pode, mas se quiser tem jeito, porém acredito que você pagaria um preço justo pelo software que você”.

    Faço questão de mostrar os preços e programas disponíveis na Applestore, vocês ficariam surpresos se vissem alguns rostos… Alguns até mudam de conceito sobre o assunto e admitem que é melhor pagar, porém a maioria faz cara de “não gostei, quero de graça”.

    Por outro lado conheço pessoas que utilizaram jailbreak em seus aparelhos, piratearam muita coisa e agora voltaram a ser legais pelo simples fato de que o custo para ser original e legal é irrelevante se comparado ao valor pago pelo aparelho.

    Outro exemplo que tenho visto ao vivo e a cores, foi o pacote office 2007 versão do estudante que está sendo vendido por R$ 199,00 e você instalar em 3 computadores. Em algumas lojas você ainda leva um Router Wireless de brinde. Só esta semana 3 pessoas que comentei sobre esse pacote compraram o sofware original e removeram o pirata de seus equipamentos.

    Acredito que se os grandes desenvolvedores de software conseguissem reduzir o valor de suas aplicações, muitos fariam a opção pelo produto original. E quem sabe essa nossa “cultura de pirataria” mudasse um pouco.

    Um Abraço.

    • Matou a pau, Alex!! Comentário extremamente pertinente, objetivo e claro!!

      Muito bom!!

  • leonardo

    acho que as pessoas é errado mas o que vocês me dizem das pessoas que vendem drogas em ar livre a policia faz o que nada? nosso Brasil é lamentavel neste aspecto é provavel que não fação nada em relação a isso sei que muitos desenvolvedores tiram sua renda da app store então PESSOAL VAMOS COMPRAR APPS E NÃO `ROUBAR APPS´.

  • Michel Wilker

    Eu me mato de rir com alguns comentários…. 🙂

  • Tekquilla

    Eu me mato de rir com alguns comentários…. [2]

  • Engraçado é o pessoal que acha que o artigo é uma bandeira contra a pirataria e a favor da família e dos bons costumes!

    Pessoal, não dêem interpretações extras ao texto. Ele é claro: fala para os desenvolvedores brasileiros se preocuparem com suas obras. SÓ.

    Vir aqui defender a pirataria é sair do contexto do artigo. 😉

    • Gabriel Levcovitz

      iLex, só pra avisar, os 30$-100$ sao em EUROS.
      Mas, se eu fosse desenvolvedor, pagaria na boa esse valor pra proteger meu app.
      Obrigado!

  • Mais ilegal que comprar aplicativos de App Stores internacionais, pagando imposto e tudo, é simplesmente roubá-los com a pirataria.
    Além do mais, se não me engano, criar contas em App Stores internacionais não é exatamente ilegal, só desrespeita os termos da Apple… Tô certo?