iPod

Acha o iPhone 3G caro? Conheça as alternativas para ele

Para inicío de conversa, vou avisando que não falarei que outros celulares alternativos. Por que? Porque o iPhone é simplesmente o melhor e ponto. É verdade que falta ainda muita coisa nele, mas ele tem características que nenhum outro tem, e só quem o usa sabe disso. Se eu não pensasse assim, não estaria escrevendo para um Blog que se diz ser do iPhone. 🙂

O objetivo deste artigo é justamente apaziguar a febre que muitos estão tendo com a chegada do aparelho no Brasil. É absolutamente normal, efeito do “campo de distorção da realidade” de Steve Jobs, que afetou pessoas do mundo inteiro e agora chega ao nosso país.

Ah, importante dizer: eu já tenho o meu iPhone 3G desde julho e por isso tenho o conforto de falar com conhecimento de causa (antes que digam que tudo o que estou dizendo é porque sou recalcado). 😛 

Então vamos às alternativas.

1. Comprar um iPhone da primeira geração

Quem nunca teve o precioso da Apple deve estar louco para ter um depois de toda essa exposição na mídia. Ao ver vídeos e fotos é quase impossível não ficar com vontade. Mas se sua emoção não é compatível com seu bolso, saiba que comprar o modelo clássico pode ser uma boa opção.

As únicas diferenças significativas entre o novo e o antigo são o 3G e o GPS.

A pergunta é: quem realmente precisa de rede 3G?
Vamos ser sinceros, é ótimo poder ter uma conexão rápida como no computador, mas o lado que a publicidade não mostra é que há um custo para isso. Planos 3G são mais caros, será que vale o preço só para poder baixar emails alguns segundos mais rápidos? Concordo que, se você precisa utilizar a internet constantemente, faz diferença, mas a maioria usa apenas para o básico. Ver vídeos do Youtube no celular ainda é um luxo, ainda mais se você pode baixá-los antes no computador e transferir para o iPhone, como eu faço.

E o GPS não é tudo isso (na minha opinião) para justificar a compra. Ele não permite o clássico “curva-a-curva” típico dos GPS tradicionais. O que ele faz é usar o Google Maps para localizar onde você está e devido a isso é obrigatório que você tenha uma conexão internet para baixar os mapas. A diferença para o sistema de triangulação de antenas usado no modelo EDGE é bem pequena.

Ou seja, os dois maiores argumentos para comprar o novo modelo nem são tão decisivos assim.
O brilho do iPhone está nas outras funções dele: multitouch, interatividade, praticidade, facilidade de uso. A Apple tinha que justificar as poucas mudanças que fez ao lançar o iPhone 3G em julho e para isso investiu toda a publicidade no 3G e no GPS, como se fossem a melhor coisa do mundo. Nós, consumidores, acreditamos.

As reais mudanças devem vir no ano que vem, quando a concorrência estiver ameaçando mais. No momento, iPhone Classic e 3G não são muito diferentes.

Como não se fabrica mais o modelo antigo, você terá que comprar um usado, o que diminui ainda mais o preço.

2. Comprar no exterior

A solução mais econômica continua sendo comprar no exterior. Mas onde?

Antes era possível comprar livremente nos Estados Unidos. Você entrava em uma Apple Store qualquer e saía com seu aparelho comprado com qualquer cartão de crédito internacional brasileiro. Hoje as coisas mudaram. Para comprar um iPhone 3G é preciso documentos de residente, assim como a assinatura de um contrato de dois anos com a AT&T. Somado ao fato que não há ainda um método de desbloqueio por software para o modelo 3G, a alternativa americana ficou bem complicada.

Na América Latina, como estamos divulgando desde o mês passado, os preços são muito mais razoáveis que no Brasil, mas o problema é que para comprar um na maior parte deles, você é obrigado a assinar um plano junto, o que limita a compra somente para residentes. Se você tem algum parente lá, ótimo. Senão nada feito. Há a opção sem contrato apenas na Colômbia e El Salvador, mas o preço acaba não compensando, ainda mais que o aparelho vem bloqueado com a operadora local.

Se o bloqueio é um problema, então onde comprar?
Publicamos já uma lista de todos os países que vendem o aparelho desbloqueado de fábrica. Deles, apenas Itália e Hong Kong vendem para não residentes. Com o desbloqueio oficial, o aparelho nunca sofrerá o risco de bloqueio, mesmo com a restauração do firmware,  podendo ser usado com o chip de qualquer operadora do mundo. O preço do modelo de 8GB na Itália é de R$1.350,00 e em Hong Kong R$1.185,00, mas com a vantagem de não estar preso à plano nem chip nenhum. Nestes preços, óbvio, não conta a taxa alfandegária ao passar pela fronteira brasileira.

3. Comprar um iPod touch

Mesmo assim ainda está muito caro o aparelho e você não quer algo usado? Então um iPod touch pode muito bem suprir sua carência do precioso da Apple enquanto você espera por mudanças mais significativas. Com exceção das funções de telefone, GPS e máquina fotográfica, ele é exatamente igual ao seu irmão telefone. Mesmo sistema operacional, mesmos aplicativos, mesma facilidade de uso.

Se você pedir para alguém que vai para o exterior comprar, o novo modelo de 8GB pode sair por R$450,00. Mas se você não conhece ninguém que vá viajar, pode encontrar o modelo antigo à venda por aí por até R$700,00. Tem que procurar bem.

Conclusão

Agora você sabe que há alternativas para diminuir os sintomas da “febre”. Se já possui um modelo anterior, não mude agora, não vale a pena. A Apple já tem várias novidades na manga que certamente serão colocadas no próximo lançamento do iPhone.

[ad#rodape-artigo]

Tags
Mostrar mais

Ale Salvatori

Applemaníaco desde 1995, quando precisou aprender a usar um Mac em uma semana para conseguir um emprego em uma agência de publicidade. Acha que a Apple não é mais a mesma depois da saída do Gil Amelio.

Artigos Relacionados