iPhone no Brasil

O desfecho parecia mais do que óbvio: uma marca em vias de falência, importa da China um aparelho mequetrefe e usa o seu direito jurídico de adotar o mesmo nome de uma marca conhecida. Seu objetivo é apresentar uma boa opção para o consumidor? NÃO, claro que não, ingênuo gafanhoto. A armação toda foi apenas para ter mais poder de barganha para tirar dinheiro de outra grande empresa.

A detentora da marca Gradiente, a  IGB Eletronica SA, diz estar “aberta ao diálogo” para uma possível venda dos direitos da marca “iphone” em território brasileiro para a Apple.

O presidente da IGB, Eugenio Emilio Staub, deu uma entrevista hoje para a agência de notícias Bloomberg, anunciando suas intenções a respeito da marca que pertence à Gradiente desde 2000.

Nós estamos abertos ao diálogo a qualquer momento, quando quiserem. Nós não somos radicais.

A declaração vem exatamente no mesmo dia em que seria publicado na Revista da Propriedade Industrial a oficialização de que a Apple não tem o direito de usar a marca “iPhone” no Brasil para nada que seja relacionado a dispositivos móveis. Mas a publicação foi adiada para a semana que vem, devido a “problemas técnicos” (leia-se Carnaval).

Agora é esperar para ver o que a Apple faz. Se ela não procurar a IGB, é possível que eles entrem na justiça para impedir que a Maçã use a marca em seu principal produto, presente no país desde 2008.

xinfrimphone Gradiente

Repare que, neste caso, a decisão não tem a intenção de trazer nenhum benefício para o consumidor, pelo contrário. Se a Apple não paga, nós seremos obrigados a nos privar do iPhone no comércio brasileiro (não pense que a Apple irá mudar o nome do aparelho só por causa disso). Se, ao contrário, ela paga o que a Gradiente pedir, a vida de NINGUÉM irá mudar. Ou seja, a IGB Eletrônica está brigando por uma causa de interesse único dela, por benefício próprio, e não por estar minimamente preocupada em trazer algum benefício aos seus consumidores.

É, como alguém disse nos comentários, o mundo é dos espertos.

Esta semana, um metido a espertinho criou uma conta no Twitter de nome @blogdoifone, oferecendo o sorteio de um iPhone 5 para atrair seguidores. Pois acreditem, o cidadão nos contatou para nos oferecer a compra da conta, pois se um dia fôssemos obrigados a mudar nosso nome, ele não deixaria adotarmos o F no lugar do PH. Felizmente o Twitter tem recursos para punir pilantras e a conta foi encerrada. (Não se preocupem, nós NUNCA adotaremos nada que tenha escrito IFONE no nome). ;)

O direito industrial permite que, quem registra primeiro o nome, tenha direito sobre ele. Mas algumas almas menos nobres nem sempre usam isso de forma saudável e ética.