Quem abrir o aplicativo Instagram, irá notar que uma mensagem na parte de cima da tela avisa que os termos de serviço serão mudados. Isto porque a partir do dia 16 de janeiro, ele irá unificar seu banco de dados com o Facebook, atual proprietário.

Mas o que nem todos sabem é que os novos termos dão autorização para que o Instagram venda o uso de suas imagens para outras empresas.

Confira o trecho polêmico das novas regras:

Uma parte ou todo o Serviço pode ser suportado por receitas de publicidade. Para nos ajudar a oferecer conteúdo pago ou patrocinado interessante ou promoções, você concorda que uma empresa ou entidade pode nos pagar para exibir o seu nickname, imagem, fotos (juntamente com todos os metadados associados), e/ou ações que você fizer, associados a conteúdo pago ou patrocinado ou promoções, sem qualquer compensação [financeira] para você.

As suas fotos continuam sendo de sua propriedade,  mas o Instagram está licenciando todas as suas imagens (para fazer o que quiser com elas), sem lhe pagar nenhum tostão.

A única maneira de não aceitar isto é cancelando a sua conta no Instagram.

Por que tudo isso? Porque o Facebook pagou pouco menos de 1 bilhão de dólares em abril, para adquirir o serviço de fotos e agora precisa fazer o investimento “se pagar”. E a maneira de monetizar o serviço foi através da publicidade e do licenciamento de fotos. Ou seja, você tira as fotos, as empresas as usam e quem ganha dinheiro é o Instagram.

Claro, não quer dizer que ele realmente fará isso, mas se você usar o serviço depois do dia 16, estará permitindo que ele faça, se quiser.

Meu palpite é que não tardará muito para que o próprio Facebook fique assim também.