O iPhone 5, por fora, parece muito similar ao iPhone 4/4S, mas na realidade seu interior precisou contar com mudanças significativas de engenharia e design, para suportar mudanças como uma tela maior e antena de rede LTE 4G. A alteração de material externo também é um detalhe importante, pois o alumínio tende a riscar muito mais facilmente que o vidro.

Tudo isso faz a produção do aparelho muito mais difícil que um dispositivo comum.

Um funcionário da Foxconn explicou ao Wall Street Journal das dificuldades de montagem do novo modelo:

O iPhone 5 é o dispositivo mais difícil que a Foxconn já montou. Para torná-lo leve e fino, o projeto é muito complicado. É preciso tempo para aprender a fazer este novo dispositivo. A prática faz a perfeição. Nossa produtividade tem melhorado dia após dia.

Isso explica também o atraso na produção e a falta de estoques em lojas de todo o mundo. A fábrica não está conseguindo dar conta da demanda na velocidade que estava acostumada.

O controle de qualidade dentro da fábrica aumentou, principalmente porque a lateral negra do novo iPhone pode riscar muito facilmente. O objetivo é não colocar aparelhos já riscados nas caixas, como já aconteceu com alguns usuários.

Informações obtidas pelo Blog do iPhone revelam que esta semana a fábrica brasileira da Foxconn (em Jundiaí/SP) já começou um treinamento interno com alguns funcionários para a montagem do iPhone 5. A unidade nacional teria recebido uma encomenda de fabricar 60 mil unidades do novo aparelho, para o mercado interno.

A nova fábrica da Foxconn em Itu também poderá ser destinada à montagem de produtos da Maçã.

Tudo isso pode influenciar na decisão da data de lançamento do novo modelo no Brasil. Por enquanto, estima-se que não acontecerá antes de meados de novembro.