Você está confuso em definir como ficaram as opções de tablets da Apple depois da apresentação desta terça-feira? Não se preocupe, você não foi o único. A culpada da confusão é a própria Apple, que quebrou sua periodicidade de lançamentos e resolveu lançar 3 iPads diferentes em apenas um ano.

Entenda quais as diferenças entre eles e fique bem informado na hora de comprar.

✦ iPad 3 (chamado antes de “Novo iPad”)

Este é o que todos conhecemos como “Novo iPad“. Ele está à venda no mercado brasileiro desde o dia 11 de maio deste ano, introduzindo a novidade da tela Retina, além de um processador A5X, mais rápido que o modelo anterior (o iPad 2) e que o iPhone 4S (com chip A5). O design é praticamente o mesmo do iPad anterior, mas a câmera fotográfica traseira é um pouco melhor, com os mesmos estabilizadores do iPhone 4S.

✦ iPad 4 (chamado agora de “iPad com tela Retina”)

Até mesmo Tim Cook se atrapalhou na hora de chamar o “novo” novo iPad na apresentação. O tablet de 4ª geração é diferente do iPad lançado no início do ano, principalmente na performance. Seu novo processador A6X é duas vezes mais rápido que o iPad 3, tanto na CPU quando nos gráficos.

O A6X é mais rápido graficamente até mesmo que o iPhone 5, que foi lançado no mês passado.

A nova versão ganha também uma melhor câmera frontal, que passa a ser a FaceTime HD (a mesma do iPhone 5), que melhora as imagens nas chamadas por vídeo.

Outra mudança significativa (que provavelmente provocou tudo isso) é a mudança de conector, que passa a ser o Lightning, de 8 pinos.

Estas são as diferenças entre as duas gerações. A resolução da tela continua exatamente igual (Retina), assim como o design externo e as outras características.

✦ iPad mini

O iPad mini nasceu da necessidade de colocar um produto em uma fatia de mercado que os concorrentes estavam começando a crescer. Com a entrada do Kindle Fire, o consumo de tablets de 7 polegadas cresceu bastante e começou a roubar vendas do iPad. Claro que a Apple continuava liderando, mas poderia ser perigoso a médio prazo não satisfazer a parcela dos consumidores que preferem um tablet menor para levar na bolsa ou no bolso do paletó.

O mini iPad vem com praticamente o mesmo hardware do iPad 2, lançado em 2011, e este pode ser o único calcanhar de Aquiles do novo dispositivo (hardware defasado). Ele é menor e pode ser segurado com apenas uma mão. É leve (metade do peso), fino e possui uma tela não-Retina, com a mesma resolução do iPad 2 (1.024 xn 736px). O conector menor Lightning também está presente no caçula da linha de tablets.

Apesar de ter o mesmo hardware, o iPad mini possui a função Siri, diferentemente do seu similar maior.

◉ iPad 3 sai do mercado, iPad 2 continua

Com o novo iPad 4, a Apple tirou do mercado o iPad 3, que passa a não mais existir. Então, se você tinha comprado o iPad 3 este ano e pretendia revendê-lo por um preço bom, saiba que ele poderá desvalorizar a partir de agora.

Por isso, esqueça o iPad 3. Ele não existe mais, apesar de ainda ser vendido no Brasil até o lançamento do novo (talvez no Natal).

Se você não tinha o iPad 3 e quer adquirir um novo iPad agora, preste atenção no que irá comprar, pois a falta de numeração na nomenclatura oficial fará com que muitos comerciantes tentes vender o modelo “velho” como se fosse o novo. Ir na loja e perguntar sobre “o novo iPad lançado este ano” pode render muita confusão para o consumidor, que arrisca comprar um produto que já ficou defasado.

Claro, se você já possui um iPad 3 e está feliz com ele, ótimo! Ele continua sendo um ótimo produto e durará firme e forte por alguns anos. Mas se alguém for comprar um novo a partir de agora, é fortemente aconselhável comprar o novo, pois o preço continuará o mesmo.

Conteúdo original © Blog do iPhone