Quinze anos atrás, quando a mídia brasileira falava da Apple, era para especular quanto tempo ela duraria antes de falir ou ser vendida. Hoje, a história é claramente outra, com alguns meios de comunicação se aproveitando da popularidade da Maçã e usando seus produtos para atrair consumidores distraídos.

Talvez muitos brasileiros fãs de iPhone (e até de iPad) acabem comprando a edição deste sábado só por causa da capa, que coloca em questão uma dúvida que irrita muitos de nós: Por que o Brasil tem o iPhone mais caro do mundo? Afinal, quem não quer saber isso?

Esta resposta todos sabemos: altas taxas de importação, mas se uma famosa revista de circulação nacional coloca isso na capa, é porque conseguiu informações que finalmente nos expliquem a razão disso acontecer, não é mesmo? Será pura ambição da Apple? Descobriram algum desvio de verbas em ministérios da Dilma?

Nada disso. A matéria na verdade fala do que todos nós já sabemos: os produtos nos Estados Unidos (não só o iPhone, mas tudo) são muito mais baratos que no Brasil, até mesmo o quilo da banana. A matéria quase não cita o iPhone, se limitando a comparar os preços do modelo de 32GB em 5 países. E a razão dele ser mais caro é mesmo os altos impostos do governo. Ponto. Nenhuma novidade a mais.

Por isso, o aviso: se você estiver pensando em comprar a revista desta semana só para saber a razão do iPhone ser mais caro no Brasil, nosso conselho é que você economize seu dinheiro e o gaste em algo que realmente trará melhor retorno para você.

Porque de sensacionalismo, a internet já está cheia. E de graça.